O Mundo do Software Livre muito além do Linux! (Notícias e Dicas)

Aúncio


quarta-feira, outubro 26, 2005

Novo site ajuda jornalistas na cobertura da Sociedade da Informação




Fonte:





Jornalistas interessados em informações atualizadas sobre a Sociedade da Informação podem obtê-las no novo site i-Witness (www.panos.org.uk/iwitness), lançado esta semana pelo Instituto Panos London, uma organização não-governamental britânica de mídia que trabalha com comunicação para o desenvolvimento.

O site i-Witness foi organizado para ajudar na cobertura da Cúpula Mundial da Sociedade da Informação, marcada para os dias 16 a 18 de novembro, em Tunis, capital da Tunísia. O objetivo é ajudar jornalistas do mundo inteiro a compreender melhor algumas questões polêmicas e muitas vezes pouco divulgadas sobre a Sociedade da Informação – desde a exclusão digital até o controle da internet.

O site oferece acesso a documentos sobre os diversos aspectos da Sociedade da Informação, a um banco de dados de especialistas e a links para pesquisa. Os jornalistas interessados também podem oferecer sua própria visão e experiência na cobertura desse tema altamente técnico por meio de um fórum on line de discussão.

Na opinião de Murali Shanmugavelan, um dos coordenadores do Instituto Panos London, os jornalistas têm um papel crucial não apenas na cobertura da Sociedade da Informação, mas também na própria moldagem da Sociedade da Informação.

“Sociedade da Informação é basicamente troca e fluxo de informação”, diz Shanmugavelan, “então, a mídia é o melhor lugar para invocar esse debate já que esse é o seu negócio. A mídia tem que questionar aspectos-chave da Sociedade da Informação, tais como quem controla a informação, quem tem direito à informação e como o lucro influencia a agenda”.

O site i- Witness é uma das várias atividades organizadas pelo Instituto Panos London para ajudar jornalistas, principalmente dos países em desenvolvimento, na cobertura deste tema de crescente impacto econômico e cultural e que pode provocar ainda mais exclusão social nos países pobres.

O Instituto Panos London está levando para a Cúpula Mundial na Tunísia um grupo de jornalistas de países em desenvolvimento, inclusive do Brasil. Esses jornalistas enviarão reportagens para suas próprias organizações e divulgarão uma visão mais pessoal do tema no blog i-Witness .


Fonte: Márcia Detoni - Radiobrás








Modelo de negócio? A Intel aposta no Linux no desktop e quer ser parceira




Fonte:




Há uma divisão inteira de negócios da Intel no Brasil, dentro da CSO (Channel Software Operation), dedicada a apoiar o desenvolvimento do ecossistema Linux no país. São diversas ações, a maioria no mecado de desktop, "porque a Intel acredita que a melhor maneira do mercado Linux se desenvolver virá pelo desktop", afirmou Ricardo Franco, funcionário da gigante dos computadores.


"Nós já reconhecemos o Linux como o segundo sistema operacional mais usado entre os notebooks com placas e chips Intel", diz ele. Entre as empresas apoiadas pela Intel aqui no Brasil estão a Itautec e a Metasys, do grupo mineiro International Syst.

Bruno Lessa, da Fábrica Digital, discordou, em parte, com a visão na Intel. Na sua opinião, a inovação na área de software livre realmete passa pelo mercado de desktop. "Ainda é um mercado virgem a ser explorado. E evangelização custa caro. Se a Intel quer ajudar, ótimo. Eu não recomendaria a uma pequena empresa começar qualquer negócio baseado em software livre pelo mercado desktop, embora concorde que ele crescerá muito", disse Bruno. "Para a pequena empresa, o mais recomendável é tuar no mercado servidor, já maduro".

Fernando Nery, da Módulo Security, que também participou do painel sobre prioridades e estratégias de negócios foi mais radical. "Não vejo sustentabilidade em um modelo de negócio Linux baseado no desktop", afirmou ele. "Acho que é possível usar Linux no desktop. Mas não é uma realidade e não é uma oportunidade de mercado. Eu nunca orientaria um novo desenvolvedor, uma nova empresa dentro de uma incubadora, a desenvolver software para desktop Linux. Não tem viabilidade econômica. Olha a Conectiva. Olho a indústria, e não vejo...", disse Fernando.

Para Fernando Nery, todo esforço do governo em incentivar o uso do Linux no desktop faz parte de uma decisão estratégica, e tem ajudado a fomentar a discussão sobre uma opção tecnológica feita pelo governo. "O problema é que enquanto nós aqui fizemos a opção tecnológica pelo software livre, a China focou na TV Digital, estratégica para todos nós, e começará a colher os frutos em pouquíssimo tempo. A Índia focou no IPV6 e, quando este for de fato o padrão da Internet, suas empresas estarão em condição privilegiada para vender no mercado globalizado", completou Fernando. "O governo brasileiro hoje não tem feito o básico, que é comprar software. Brasileiro, estrangeiro, nenhum. Não tem contratado nada, desenvolvido nada", disse.

"Não sou contra o uso do software livre. Sou um entusiasta do desenvolvimento de software", garantiu Fernando. "Mas sou contra o radicalismo no Software Livre, uma vez que o ambiente está cada vez mais heterogêneo", afirmou.

John Forman, presidente da Assespro do Rio de Janeiro e moderador do painel, colocou mais pimenta na discussão. "Concordo com o Fernando quando ele diz que parte da situção que enfrantamos hoje se deve à radicalização do discurso de que software livre é software gratuito e que ninguém deve pagar por ele", disse.

"Temos que olhar para este modelo de negócio e saber como trabalhar com ele. Eu duvido que a Intel, algum dia, vá ter lá um Pentium livre, porque não faz o menor sentido", argumentou Forman. "A gente tem que pensar o fortalecimento da indústria do software brasileiro, pensando como é que, em cima da plataforma de componentes livres, criaremos negócios. O software livre está aí, e está mudando paradigmas. Nosso desafio é encontrar o nosso caminho neste cenário", disse Forman.

Ricardo Franco, da Intel, procurou explicar melhor o posicionamento da empresa. "Assim como o Fernando, a gente também acha que a radicalização não leva a nada. E não temos a pretensão de dizer que o modelo que estamos propondo se aplica a tudo. Mas para alguns nichos, segmentos de mercado, pode ser um modelo de negócio viável sim. O de pequenas e médias empresas, por exemplo, na área de serviços, customização de plataformas abertas para área de varejo, callcenters", disse ele. "E estamos sentindo a falta de uma outra figura neste mercado: a das associações ou empresas que trabalhem modelos de uso do software livre", disse ele.

No fim do ano passado a Intel Brasil criou o Open Source Software Laboratory (OSS Lab), em São Paulo, para testar e validar soluções baseadas em software de código aberto para os sistemas baseados em seus chips. Este laboratório testou todos os sistemas operacionais livres que rodarão nos micros fabricados no país para o programa "Computador para Todos" que usem componentes Intel. "Queremos ficar muito próximos dos desenvolvedores de software livre porque sáo eles os primeiros a aproveitar as inovações tecnológicas que colocamos no hardware. Tem duas inovações tecnológicas que estão chegando nos processadores agora, a virtualização e a capacidade de gerenciamento remoto, que já estão nas distribuições Linux que usamos aqui no Brasil e ainda levarão algum tempo para estarem disponíveis nos softwares proprietários", explicou Franco.

E em resposta à provocação do presidente da Assespro do Rio, Jonh Forman, Ricardo Franco comentou que nunca ouviu falar no conceito de processador livre, e provavelmente nunca ouvirá. "Mas a Intel está no grupo de Free Bios. A bios é a interface entre o sistema opperacional e as aplicações com o hardware. Só existem dois fabricantes de bios no mundo. Quando os fabricantes vão integrar sistemas precisam pagar royalties para essas duas empresas. Então estamos no grupo que está discutindo o desenvolvimento de uma bios de software aberto para garantir o acesso a todos os dispositivos de baixo nível", explicou Franco.

"Vocês podem ter certeza: onde fizer sentido, vocês vão ver a Intel apoiando software livre", garantiu Franco.


Fonte: O Dia








Software Livre Nacional???




Fonte:




O debate ocorreu no III Fórum de Software Livre do Rio de Janeiro:

No jogo entre o monopólio proprietário contra o oligopólio livre, onde estarão as empresas nacionais?

# posted by Online @ 4:05 PM


Provocado por Ricardo Filipo, presidente do Instituto Brasil (IBPAS) Padrões Abertos em Software, sobre que tipo de apoio as empresas que o integram poderiam vir a ter da Fenainfo, Maurício Mugaini, presidente da entidade, foi didático e enfático:

"Estamos todos convidados para um grande jogo. De um lado está o monopólio do software proprietário. Do outro, o oligopólio do software livre. Eu digo para você que, se essas impresas quiserem fazer parte do time do oligopólio do softare livre, contarão com todo o nosso apoio".

Governo não transformou o software livre em um modelo estruturante "Não somos prestadores de serviço. Somos produdores de software. E gostaríamos que o governo apenas nos deixasse crescer como tal e não venha com diversionismo para permitir que as estatais voltem a atuar no nosso mercado", provocou Mauricio Mugaini.

"O que queremos é que o software livre venha a ser de fato uma alternativa para o desenvolvimento e fortalecimento da indústria nacional de software", completou ele, lembrando que antes de defender o software livre o governo deveria estar preocupado em defender o software nacional, um dos quatro pilares da política industrial.

Segundo Mugnaini, o que se esperava era que a adoção do software livre pelo governo resultassee na racionalização dos gastos com a implementação de processos de informatização. O que não aconteceu. O governo fez muito pouco ou quase nada para evitar que o software livre fosse visto mais como adversário da indústria nacional de software, do que como alternativa capaz de gerar resultados através de um modelo adequado e lucrativo.

"Toda a vez que levantamos a bandeira da indústria nacional, imediatamente nos relacionam à reserva de mercado. Assim fica muito difícil construir uma marca Brasil forte", lamentou Mugaini.


Fonte: O Dia Online








Minas Gerais usa software livre para informatizar 4 mil escolas públicas




Fonte:




Os participantes do III Fórum de Software do Rio de Janeiro puderam alguns casos de sucesso de uso de software livre, como o Projeto Escolas em Rede, da Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais, para implantar laboratórios e secretarias informatizadas, com acesso à Internet banda larga, nas 4 mil escolas da rede pública mineira. Uma das exigências da secretaria era o gerenciamento remoto, pois não seria viável ter 4 mil técnicos para administrar as redes de cada uma dessas escolas.


A solução escolhida foi a Metasys, da empresa de mesmo nome, nascida em 2001 na Universidade Federal de Minas Gerais. "A solução é um 'metassistema operacional'. Todas as máquinas do projeto são diskless com boot no servidor. Oferecemos também o curso multimídia Metasys Desktop, que - em cinco minutos - ensina a utilizar esses aplicativos baseados em software livre", explica o diretor executivo da Metasys, Carlos Alberto Senna de Lima.

Com isso, a idéia foi primeiro incluir digitalmente o professor para que ele atuasse, mais tarde, como agente multiplicador desse conhecimento. Hoje, além da informatização das 4 mil instituições de ensino público da Minas Gerais, ferramentas de apoio ao ensino, de administração escolar e conteúdo on-line estão disponíveis para a capacitação de 160 mil professores ativos e 2,5 milhões de alunos. Tudo com software livre.

"Nosso grande desafio foi buscar um modelo de sustentabilidade com o software livre. Encontramos no software livre uma oportunidade que resolvemos abraçar e deu certo. Estamos muito satisfeitos", avalia Senna de Lima, que se denomina um novato no ramo, já que trabalha há pouco mais de três anos com software livre.


Fonte: O Dia








Momento é de consolidação. E um dos mais delicados para o software livre




Fonte:




Para Corinto Meffe, da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, não esatamos nom fim das discussões do software livre. Mas talvez, no fim da última etapa de consolidação do software livre como opção. Um momento marcado significativamente pelas cobranças da comunidade sobre aopoio do governo, que muito se valeu dela até aqui.


"Eu, particularmente, sou contra centrar a discussão livre x proprietário em uma única empresa. Não é para a Microsoft que pagamos mais royalties. Pagamos mais para a IBM, por exemplo. Por isso, nós do Planejamento queremos ver software livre em todos os níveis. Inclusive no mainframe", disse Corinto.

"Nós precismos de usuários. De licenças. E de compartilhamento. Se fala muito de compartilhamento, mas temos feito muito pouco neste sentido. E acho que o Projeto CACIC foi um bom exemplo de práticas para resolver questões como estas", afirmou Corinto.

Ele foi o primeiro palestrante do painel sobre Software Livre e Sistemas de Interesse Público, organizado pelo Proderj, que abriu o segundo dia do III Fórum de Software Livre do Estado do Rio de Janeiro. Corinto lembrou que o Cacic já está em uso na Argentina. A communidade Cacic tem mais de 150 .govs do Brasil. Mais de 20.govs da Argentina. "Hoje o nosso interesse e fortalecer o conceito do software público, como nós temos a saúde e a educação pública. Ele deve suprir as carência da sociedade como este software de inventário Cacic vem fazendo", completou Corinto Meffe.

Corinto Meffe - Foto: Cristina De Luca


Fonte: O Dia








Três boa notícias




Fonte:




Questionamento sobre as novidades tecnológicas da semana em software livre e aberto.


Três boas notícias. Essa semana foram disponibilizados o SUSE Linuz 10.1 Alpha 2 e o OpenOffice.org 2.0. Também conhecemos o visual do notebook de 100 doláres do MIT, que funcionára como tablet, e-book e até outras coisas. Incrível! Dizem que será apenas para os estudantes, mas todo mundo vai querer um! O que isso significa para nós, brasileiros, na periferia do desenvolvimento tecnológico? Pela primeira temos um sistema GNU/Linux de força que pode ser ligado a um pacote de escritório de alta qualidade. Os dois são abertos e gratuitos. Ainda existem algumas dezenas de softwares fundamentais que só funcionam em windows. Mas agora podemos sonhar com um futuro, em que comprar um computador portátil, com tudo que precisamos em termos de software, será tão fácil quanto um telefone celular pré-pago. falo de um computador capaz de realizar as tarefas básicas atuais, pois os mais modernos e caros serão capazes de realizar tarefas ainda desconhecidas por nós. Qual é o futuro da computação em 10 anos? Pense nisso!


Fonte: Várias.








sábado, outubro 22, 2005

Serpro prevê migração total para software livre até o fim do ano




Fonte:




Apesar de estar no "olho do furacão" das discussões sobre liberação de verbas para software livre, o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) pode ser considerado uma experiência avançada de implantação do código aberto no governo federal. "O objetivo é encerrar o ano com todo o Serpro incluído, passando pela migração de infra-estrutura, pelo desenvolvimento e pela incorporação de estações de trabalho. Isso inclui a sede e as 10 regionais", aponta Deivi Lopes Kuhn...


Mesmo tendo que driblar as restrições de recursos para viabilizar a migração, a instituição já tem 3.237 máquinas migradas Apesar de estar no "olho do furacão" das discussões sobre liberação de verbas para software livre, o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) pode ser considerado uma experiência avançada de implantação do código aberto no governo federal.

"O objetivo é encerrar o ano com todo o Serpro incluído, passando pela migração de infra-estrutura, pelo desenvolvimento e pela incorporação de estações de trabalho. Isso inclui a sede e as 10 regionais", aponta Deivi Lopes Kuhn, coordenador do projeto de migração para software livre da instituição.

Só no ano passado foram 2.588 máquinas migradas e 6,5 milhões de reais investidos, com recursos próprios do Serpro. Isso representa uma economia de cerca de 4 milhões de reais frente aos 10 milhões de reais que seriam investidos em licenças proprietárias, conforme aponta Kuhn.

De acordo com o executivo, os projetos de migração dos sistemas para código aberto começaram em 1998, mas começaram a ganhar fôlego mesmo a partir dos dois últimos anos. "Dois anos atrás migramos servidores Lotus Notes para Linux, da Red Hat. Hoje estamos no ponto de consolidar os servidores internos e debater os de diretório", aponta.

Como na maioria dos projetos que alteram a estrutura de tecnologia, no entanto, o projeto de migração do Serpro apresentou problemas no transcorrer do processo. "Como qualquer mudança tecnológica, tivemos resistência, principalmente dos usuários. Mas quando os benefícios dos sistemas foram mostrados, a implantação foi realizada com mais tranqüilidade", sinaliza. Entre os outros desafios apontados por Kuhn também esteve o cumprimento do cronograma de implantação e a qualificação dos profissionais.

Migração nos ministérios

Se por um lado a migração interna no Serpro está deslanchando, a implantação do código aberto nos ministérios - proposta do ex-presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, Sérgio Amadeu - parece caminhar a passos lentos. Isso porque a restrição orçamentária para os projetos deverá comprometer algumas iniciativas.

A disputa mais recente diz respeito aos 200 milhões de reais solicitados por Sérgio Amadeu à Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) que seriam canalizados para a migração de 22 mil desktops e 600 servidores, em projetos realizados pelo próprio Serpro. A verba foi vetada pela SLTI porque, segundo o secretário Rogério Santanna, o projeto apresentava custos elevados e não explicava suficientemente a fonte dos recursos.

Conforme explicou Sérgio Amadeu, o projeto era destinado a migração nos ministérios durante dois anos, sendo 100 milhões de reais destinados para cada etapa. Com o veto aos recursos, o projeto de migração nos ministérios tende a seguir um ritmo mais lento. "Não temos garantia de um nível de investimentos para migrar esses sistemas. Não sabemos se dentro dos ministérios existirá uma verba para tocar esses projetos adiante, o que consequentemente vai deixar o processo todo mais lento", sinaliza Kuhn.

Na avaliação do executivo, apesar de muito se falar sobre software livre dentro do governo e do Serpro aparecer nas posições de ponta dentro dos órgãos públicos federais, ainda há muito a caminhar. "Precisamos mostrar resultados. Mostramos o que tínhamos que fazer e por problemas de burocracia normais em uma administração pública não conseguimos trazer mais software livre dentro do governo", diz. Na avaliação do coordenador, o desafio para o ano que vem está em tornar efetiva a postura de migração, já ressaltada para o software livre. COMPUTERWORLD | HOME | 10/10/2005


Fonte: COMPUTERWORLD








Dell tem estratégia para o mercado de software livre: novo PC sem sistema operacional




Fonte:




A máquina foi desenvolvida para pessoas que querem rodar sistemas operacionais de código aberto como o GNU/Linux ao invés do Windows. O modelo Dimension E510n vem com um hard drive em branco e uma cópia do sistema operacional FreeDOS, que pode ser instalado pelos consumidores.


Equipamento faz parte da linha n-Series, que começou a ser entregue sem sistema operacional em setembro de 2002

A Dell está oferecendo um novo PC sem sistema operacional instalado. O computador é parte do n-Series da Dell, que começou a ser entregue sem sistema operacional em setembro de 2002.

A máquina foi desenvolvida para pessoas que querem rodar sistemas operacionais de código aberto como o GNU/Linux ao invés do Windows. O modelo Dimension E510n vem com um hard drive em branco e uma cópia do sistema operacional FreeDOS, que pode ser instalado pelos consumidores.

Nos EUA, o desktop será vendido por 849 dólares e virá com um processador Pentium 4, 512MB de memória DDR; uma placa de vídeo de 128MB ATI Radeon X300SE, um hard drive ATA serial de 80GB e garantia de um ano.


Fonte: Projeto Software Livre Brasil








Computador total do Silvio Santos com Software Livre




Fonte:




Por Edileuza Soares Plantão INFO

SÃO PAULO – Começou a ser vendido no domingo pelo sistema de televendas o Computador Total, PC popular do grupo Silvio Santos. O micro será anunciado durante o programa Domingo Legal do Gugu Liberato, no SBT, com planos de venda à vista, por consórcio ou financiado pelo PanAmericano. O pacote inclui o sistema operacional GNU/Linux e mais 100 aplicativos como editores de texto, planilha, fotografia e áudio.


Está aí o computador total do Silvio Santos

Sexta-feira, 07 de outubro de 2005 - 17h11

O Computador Total é fabricado pela Novadata com chip Celeron D M3700 de 2,13GHz e poderá ser adquirido em até 40 parcelas mensais de 49 reais pelo consórcio ou financiado em até 25 prestações de 99 reais por mês.

O preço à vista é de 1,4 mil reais. Rodrigo Navarro Marti, diretor de novos negócios do SBT, informa que dentro de uma semana, haverá mais uma opção de pagamento, que será com cartão de crédito parcelado em até três vezes sem juros. “Estamos finalizando as negociações com as administradoras de cartão de crédito para oferecer essa alternativa.”

Marti informa que o Computador Total atende às exigências do projeto de inclusão digital do governo federal e será credenciado no programa “Cidadão Conectado – Computadores para Todos”, autorizado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia.

O PC popular do Silvio Santos será vendido pelo televendas do SBT com entregas para todo o país. O frete já está incluso no preço do produto. Segundo Marti, a meta é comercializar 60 mil equipamentos até o final do ano. Para 2006, a estimativa é de 5 mil a 10 mil máquinas por mês.

As máquinas vêm com 256 MB de memória RAM, leitor de CD e disquete, monitor de 15 polegadas, modem de 56k e acesso grátis a internet pelo provedor iSBT. O pacote inclui o sistema operacional GNU/Linux e mais 100 aplicativos como editores de texto, planilha, fotografia e áudio.

Essa é a segunda iniciativa do grupo Silvio Santos na venda de computadores. Em 2002, a companhia apresentou o PC do Milhão, com venda financiada e que hoje é oferecido apenas por consórcio. Segundo Marti, a empresa vendeu mais de 180 mil unidades dessas máquinas e está reformulando o projeto.


Fonte: Plantão Info








quinta-feira, outubro 06, 2005

Google e Sun se unem para enfrentar a Microsoft




Fonte:



SÃO PAULO – O Google e a Sun uniram forças para competir com a Microsoft. As duas empresas fecharam uma parceria para distribuição do OpenOffice da Sun.

O OpenOffice é um pacote de aplicações de código aberto com distribuição livre. O produto é o principal concorrente do Office da Microsoft. Além de distribuir a suíte, o Google também está abraçando a plataforma Java da Sun.

Pelo acordo, a Sun fornecerá a barra de ferramentas de busca do Google para download com Java. Scott McNealy, CEO da Sun, diz que a popularidade do Google vai ajudar a disseminar os produtos da companhia na web e atrair usuários da Microsoft. Ele acredita que a parceria poderá fazer com que algumas empresas troquem o Office pelo OpenOffice.


Edileuza Soares, do Plantão INFO






Deu na Folha: ONG lança guia para criação de blog anônimo




Fonte:




A organização não-governamental Repórteres sem Fronteiras, que defende a liberdade de imprensa no mundo, lançou um guia que ensina os internautas a criar blogs anônimos. O documento, que se chama "Handbook for bloggers and ciber-dissidents" e pode ser baixado em www.rsf.org/rubrique.php3?id_rubrique=542, traz 88 páginas de discussões interessantes sobre a publicação apócrifa de textos na internet, mas suas principais instruções técnicas são as seguintes.


Primeiro, o usuário deve baixar e instalar os programas Tor (tof.eff.org) e Privoxy (www.privoxy.org). Em seguida, é preciso configurar o navegador para funcionar com eles. No Internet Explorer, clique em Ferramentas e em Opções da Internet, abra a guia Conexões e clique duas vezes na sua conexão. Na janela exibida, marque o item Usar um servidor proxy e digite o endereço localhost e a porta 8118.

Se você usa o Firefox, clique em Ferramentas/Opções e aperte o botão Proxy. Para completar, escolha a opção Usar servidores proxy, digite as configurações no campo HTTP e assinale o item Usar o mesmo proxy para todos os protocolos. Por fim, é preciso fazer um pequeno ajuste no Privoxy. Clique em Iniciar, Programas, Privoxy, Edit Config e Main configuration. Um arquivo de texto será aberto. Adicione a ele, no início da tela, a seguinte frase: "forward-socks4a / localhost:9050 ." (sem as aspas, mas com espaços e ponto final).

Reinicie o Privoxy, abra o Tor e pronto. O tráfego de dados passará a ser codificado, ou seja, os sites que você acessar não saberão quem você é, e o provedor de acesso também não conseguirá interceptar a sua comunicação.

Teste

Para verificar se o sistema está funcionando, acesse o site www.showmyip.com, que mostra o endereço IP (número de identificação de rede) do seu computador. Sem a combinação Tor/Privoxy, o site mostrará o nome do seu provedor e até, em alguns casos, a cidade onde você mora. Depois da anonimização, isso não ocorrerá.

Nenhum sistema de proteção é perfeito, mas o Tor proporciona bom nível de codificação. Isso acontece porque ele direciona os dados por várias máquinas, renovando sua criptografia em cada etapa do processo. Mesmo se um dos nós da rede Tor for atacado por espiões, eles não conseguirão decodificar as informações que passaram por ali. (BG)

Folha de São Paulo - Índice de notícias - //05/10/2005

DA REPORTAGEM LOCAL


Fonte: Folha de São Paulo








Deu na folha: Softwares mostram TV paga de graça pela rede




Fonte:




Depois de incomodar os donos dos direitos autorais de músicas e de filmes, a tecnologia de troca de arquivos ponto a ponto agora mira os programas de TV paga. Por meio de pequenos softs sintonizadores, é possível usar o Windows Media Player para assistir gratuitamente às atrações da ESPN, da MTV, da HBO, da BBC News e de outras emissoras.


Os softs responsáveis pela inovação vêm em grande parte da China e podem ser baixados e usados sem nenhum custo. Basta ter uma conexão de banda larga com a internet e um tocador compatível com algum dos sintonizadores- que têm versões para Windows, Linux e Mac OS X.

O princípio usado para as transmissões une as redes descentralizadas à técnica do streaming (exibição de conteúdo sem download prévio) e já atrai um bom número de usuários ocidentais.

De acordo com reportagem do "Wall Street Journal", jogos da NBA e o futebol do Campeonato Inglês atraem audiências de até 50 mil usuários simultâneos na rede do site CoolStreaming. Esse fato já chamou a atenção de emissoras européias, que devem mover ações contra os sites em breve.

Conteúdo

O grande atrativo das transmissões P2P de sites como o PPLive e o SopCast são os canais ocidentais que têm áudio em inglês e só em alguns casos trazem legendas em chinês, mas também existe um farto repertório de emissoras regionais, como a CCTV-5 e a China Music Broadcasting Station.

A exibição das transmissões é razoável. Apesar de não poderem ser assistidas em tela cheia devido à baixa qualidade de imagem, as interrupções são raras e o áudio é reproduzido sem ruídos ou grandes distorções.

Um fator-chave para que tudo funcione bem é a conexão com a internet. Enquanto as imagens são copiadas para o seu computador (download), elas também são transmitidas (upload). Isso impossibilita a abertura dos programas em micros que acessam a internet por meio de conexão discada. A velocidade de programas de troca da rede BitTorrent serve como comparativo para quem pretende assistir aos canais P2P.

Audiência faz a diferença

Outro fator importante para uma transmissão eficiente é o número de pessoas conectadas a um mesmo canal.

A reportagem testou os sintonizadores SopCast e Feidian em diferentes horários e a influência da audiência na performance dos programas ficou evidente. Durante as últimas duas rodadas da Copa dos Campeões, nos dias 27 e 28 de outubro, os jogos do Barcelona e do Real Madrid tiveram menos de cinco interrupções durante os primeiros 45 minutos de transmissão .

Já os jogos que supostamente teriam menor audiência, como as partidas da Inter de Milão e do Manchester United, tiveram falhas quase constantes. Além do sumiço das imagens, houve problemas no áudio, que ficou sem sincronia. (JULIANO BARRETO)

Folha de São Paulo - Índice de notícias - //05/10/2005

COLABORAÇíO PARA A FOLHA


Fonte: Folha de São Paulo








Começa disputa antecipada pela TV digital no celular




Fonte:




O governo brasileiro ainda nem elegeu o padrão de TV digital que adotará, mas fornecedores de equipamentos já se posicionam para promover tecnologias de transmissão por meio dos telefones celulares. De um lado, os europeus defendem o DVB-H - padrão de TV digital adaptado para os aparelhos móveis. De outro, emerge como candidato americano o MediaFLO, defendido pela Qualcomm, que produz os conjuntos de chips dos celulares CDMA, utilizados no Brasil pela Vivo.


Os dois modelos, que no mundo todo ainda estão em fase de teste, poderão reproduzir na TV digital móvel a polaridade que há, nos celulares, entre as tecnologias CDMA e GSM (criada na Europa).

Valerijonas Seivalos, diretor-geral da Qualcomm no Brasil, afirmou que o MediaFLO já foi apresentado à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Carlos Bastos, diretor de multimídia da Nokia, disse que a fabricante finlandesa de celulares também já levou o DVB-H ao comitê criado pelo governo federal para discutir a TV digital.

Elifas Gurgel, presidente da Anatel, ressaltou que a questão da TV digital nos celulares ainda está distante da realidade brasileira. "O primeiro passo é como vamos construir a TV digital", afirmou ele, no congresso Telecom Americas, promovido pela União Internacional de Telecomunicações (UIT), em Salvador.

Nos EUA e na Europa, o modelo que começa a ser testado prevê a licitação de faixas de freqüência adicionais para a transmissão de televisão digital por meio dos celulares - adquiridas pelas operadoras de telefonia ou por empresas interessadas em atuar como intermediárias entre as teles e as emissoras, como fez a Qualcomm. Os EUA destinaram a freqüência de 700 megahertz para essa finalidade. O DVB-H utiliza a faixa que vai de 470 MHz a 890 MHz.

Segundo Bastos, a Nokia pretende lançar comercialmente o DVB-H no próximo ano. A companhia tem feito testes em países como Espanha, Inglaterra e Austrália.

Por enquanto, o que existe no Brasil - ainda de forma muito incipiente - é a transmissão de TV analógica pelo celular.

O que está em discussão com a TV digital é um modelo em que as emissoras de televisão poderão veicular seu conteúdo diretamente e em tempo real nos aparelhos de celular, por meio de uma rede paralela à de telefonia.

Roberto Lima, presidente da Vivo, afirmou que o debate sobre o MediaFLO ainda está em estágio muito primário na operadora. "Ainda não sabemos que tipo de aplicação podemos oferecer."

O debate no Brasil ainda está atrasado. O ministro das Comunicações, Hélio Costa, afirmou anteontem que a escolha do padrão digital para a TV brasileira convencional será feita até fevereiro e que as primeiras transmissões deverão ocorrer em meados de 2006.

Outra discussão no mercado brasileiro é a necessidade de regulamentação da transmissão do conteúdo de TV (analógica ou digital) pelas operadoras de telefonia - um debate que já aconteceu em outros países.

Em entrevista na noite de segunda-feira, Costa voltou a defender a tributação e a regulamentação desses serviços. "A telefonia de terceira geração (3G) é um serviço de valor adicionado ", justificou.

Valor Econômico - Empresas & Tecnologia - //05/10/2005

Talita Moreira De Salvador


Fonte: Valor Economico








Sociedade civil dá lição de solidariedade - por Michael Moore




Fonte:




Amigos,

Na semana passada, eu fechei o meu escritório em Nova York e mandei os meus funcionários para Nova Orleans para montarmos a nossa própria assistência às vitimas. Eu pedi a ajuda de todos vocês, para mandarem comida, suprimentos e dinheiro para o centro emergencial de assistência que ajudamos a montar nas margens do Lago Pontchartrain junto aos Veteranos Da Paz.


Nós fizemos isso quando o governo não estava fazendo nada e a Cruz Vermelha ainda tentava se organizar. Cada dia, cada minuto, era crítico. Pessoas estavam morrendo, pessoas pobres, pessoas negras, largadas como lixo na rua. Eu precisava achar um jeito de levar ajuda imediata para lá.

Eu me juntei a um grupo de veteranos do Vietnam e da Guerra do Iraque (os Veteranos da Paz) que estavam organizando uma assistência emergencial no local. Era o mesmo grupo que tinha montado o acampamento de Cindy Sheehan em Crawford e agora eles tinham transferido Camp Casey para a Louisiana.

Eu tenho boas e péssimas notícias para dar. Em primeiro lugar, a resposta de vocês à minha carta de apelo foi incrível. Em poucos dias, meio milhão de dólares foi enviando por meio do meu site para custear a nossa assistência. Este dinheiro foi usado imediatamente para comprar geradores, comida, água, uma unidade móvel de primeiros socorros, barracas, telefones via satélite, etc.

Outras pessoas começaram a enviar mantimentos para o nosso acampamento. Pessoas do país inteiro começaram a organizar caravanas de caminhões para Louisiana. Só da Califórnia do Sul já chegaram 22 caminhões. Um caminhão de Chicago entregou dez toneladas de comida. Um grupo de amigos de Nova Jersey pegou dois caminhões, juntou sua comunidade local para ajudar a enchê-los com suprimentos e chegaram em Covington hoje a noite. Quinze computadores estão vindo da Califórnia. Um homem nos doou sua pick-up e uma outra, também doada, está vindo de Houston.

A resposta de vocês ao meu apelo tem sido milagrosa. E tem salvo muitas e muitas vidas. Vários de vocês simplesmente decidiram pegar os seus carros e dirigir até o nosso acampamento para nos ajudar como voluntário. Já tivemos aqui 150 voluntários. Há alguns dias, eles esvaziaram um trailer motorizado com vinte toneladas de comida em menos de duas horas. A cada dia chegam mais voluntários. Todos estão dormindo no chão ou em barracas. É incrível. Obrigado a todos vocês por responderem ao apelo. Eu nunca vou esquecer esta generosidade tremenda para com aqueles que foram esquecidos pelo nosso próprio governo.

Meus funcionários e os veteranos passam 18 horas por dia entregando comida e água pela cidade de Nova Orleans e seus arredores. O que eles têm visto é espantoso. Pedi a eles que colocassem no meu site (www.michaelmoore.com) suas atividades diárias junto com fotos e vídeos para que vocês possam ver o que realmente está acontecendo. O que a imprensa está mostrando NÃO reflete a realidade. É muito, muito pior e ainda é pouco o que está sendo feito para trazer ajuda para aqueles que precisam.

O nosso grupo visitou muitas cidadezinhas remotas no Mississippi e na Louisiana, lugares onde a Cruz Vermelha e a FEMA (Federal Emergency Management Agency, uma organização federal responsável pela assistência às vítimas de desastres) não estiveram em mais de uma semana. Muitas vezes, os nossos voluntários são o primeiro socorro que essas pessoas recebem. Eles não têm comida, água ou eletricidade. Pessoas morrem todos os dias. Não tem nenhuma câmera de TV gravando isto. Eles começaram a noticiar as histórias e os releases emitidos pela Assessoria da Casa Branca, as notícias felizes que muitas vezes não são verdadeiras ("Todo mundo recebe 2.000 dólares!").

A verdade é que temos corpos espalhados por todo lugar e ninguém os recolhe. Minha equipe diz que na maioria das áreas não há ninguém do FEMA e muita pouca gente da Cruz Vermelha. Já se passaram mais de duas semanas desde a passagem do furacão e simplesmente não há muita coisa sendo feita. Do que você chamaria isso nesse momento? De incompetência ou de uma recusa proposital para não mandar ajuda?

É por isso que decidimos não esperar. E nós somos muito gratos a todos os que se juntaram a nós. Os Veteranos da Paz e os meus funcionários não foram embora (e é por isso que torcemos para que aqueles que não conseguirem chegar em Covington, consigam ir à Manifestação dos Veteranos da Paz contra a guerra em Washington D.C. no dia 24 de setembro: www.unitedforpeace.org.)

Se quiser ajudar, aqui está a lista do que precisamos em Covington neste momento:

Material de limpeza (limpa vidro, alvejante, desinfetante, etc.);

Aspirina e outros remédios; Garrafas de água; Comida enlatada; Material de higiene pessoal; Materiais para bebês: comida, fraldas, luvas esterilizadas; Pilhas – todos os tipos, de AA a pilhas para relógios e audiofones; Voluntários com caminhões e carros; Cozinhas de campanha com geradores, utensílios e trabalhadores;

Se possível, mande os suprimentos em embalagens re-aproveitáveis. Escreva por fora do pacote o que há no seu interior para facilitar a organização dos itens pelo pessoal no depósito.

Não precisamos de roupas. Se você for para lá, lembre-se de que você TEM que ser auto-suficiente. Traga uma barraca e um saco de dormir. Pessoas estão vindo do país inteiro de carro para Covington e muitas vezes há lugar no carro para levar mais alguém ou para mais uma caixa de suprimentos. Para mais informações, visite a home page dos Veteranos da Paz: www.vfproadtrips.org/katrina

Mande suprimentos via UPS para: Veterans for Peace Omni Storage 74145 Hwy. 25 Covington LA

Obrigado mais uma vez pelas doações e pelo apoio à assistência às vitimas. Tem sido um fato alentador neste mês do qual nos envergonhamos.

Cordialmente,

Michael Moore mike@michaelmoore.com


Fonte: Michael Moore








Caixa: contratos de terceirização, moralizando com software livre




Fonte:




Por André Borges - Gazeta Mercantil

São Paulo, 6 de Outubro de 2005 - A Caixa Econômica Federal (CEF) prepara oito licitações para terceirização de serviços de tecnologia da informação (TI). As cerca de 9 mil casas lotéricas do País estão fase de implementação de um sistema operacional de código-fonte aberto software livre) que substituirá os programas antes fornecidos pela empresa Gtech, que tem sido alvo de constantes acusações de esquemas de propinas.


Os primeiros editais devem ser publicados ainda neste mês, informa o superintendente nacional da CEF, Flávio Luiz Pinto da Silva.

Segundo o executivo, o objetivo da Caixa é "quebrar" a terceirização de TI do banco em oito partes, serviços que hoje são prestados por apenas duas empresas: Politec e DBA. As áreas que serão licitadas envolvem desenvolvimento de sistemas, auditoria de códigos, qualidade e conformidade, suporte avançado, programação, métricas, sustentação e serviços especializados. Um dos principais desafios do banco na atualidade será integrar seus sistemas antigos a novas plataformas tecnológicas.

Hoje a instituição gerencia 346 sistemas empresariais, 152 sistemas corporativos e 116 programas departamentais. "Além disso, temos 45 projetos diferentes para ser entregues nos próximos meses. E 2006, ano de eleição, será nossa prova de fogo", afirma Silva.

As cerca de 9 mil casas lotéricas do País estão fase de implementação de um sistema operacional de código-fonte aberto software livre) que substituirá os programas antes fornecidos pela empresa Gtech, que tem sido alvo de constantes acusações de esquemas de propinas.

Gazeta Mercantil/Caderno C - Pág. 1


Fonte: Gazeta Mercantil








MS Office no Linux nem pensar




Fonte : noticiaslinux.com.br



Segundo notícia do site IDG Now a Microsoft afirmou que não tem intenção de desenvolver uma versão para Linux do seu Office. Que bom!

Você pode ver os motivos em:
http://idgnow.uol.com.br/AdPor[...]8EB6C9C5&ChannelID=2000014








Placas de vídeo livres: Open Graphics




Fonte : noticiaslinux.com.br



Já imaginou uma placa de vídeo funcionando em seu sistema livre favorito sem problemas de drivers? Isto é o que objetiva o projeto Open Graphics: desenvolver uma placa de vídeo de forma aberta para que se acabem os problemas com os drivers fechados e a falta de especificações por parte dos fabricantes (para que alguém de boa vontade possa desenvolver drivers).

Um de seus criadores escreveu um artigo sobre o andamento do projeto no endereço:
http://kerneltrap.org/node/5743

Mais: http://wiki.duskglow.com/index.php/Open-Graphics








Quake 4 terá versão nativa para Linux




Fonte : noticiaslinux.com.br



Como pode ser lido no endereço a seguir, o Quake 4 terá uma versão nativa para GNU/Linux que sairá algumas semanas depois da versão para Windows. O pessoal da id Software volta a apoiar a comunidade Linux com este desenvolvimento, mas o que é realmente interessante é o fato de que para programar o cliente utilizaram SDL, bibliotecas multimídia e multiplataforma com licença GNU LGPL.

Confira: http://www.linux-gamers.net/modules/news/article.php?storyid=986







Linux completa 14 anos




Fonte : noticiaslinux.com.br



Segundo o Calendário Geek, há exatamente 14 anos, um 5 de outubro, aparecia uma mensagem na Internet com este título: "Free minix-like kernel sources for 386-AT". Era o tal Linus Torvalds em um anúncio enviado aos grupos da USENET sobre o lançamento da primeira versão pública do kernel Linux.

Calendário Geek: http://wiki.microsiervos.com/Calendario_Geek#Octubre

Mensagem original:
http://groups.google.com/group/comp.os.minix/msg/2194d253268b0a1b







quarta-feira, outubro 05, 2005

HP vai oferecer máquinas com browser Netscape




Fonte:



SÃO PAULO – A HP fechou um acordo com a América Online (AOL) para oferecer o Netscape pré-instalado em seus computadores. As máquinas com o navegador começam a ser oferecidas a partir do próximo ano.

Pela acordo de bundle, a HP vai embutir o Netscape 8 em seus PCs e notebooks. As máquinas virão com um ícone do Netscape e do Internet Explorer da Microsoft. Assim o usuário poderá escolher entre os dois qual gostaria de utilizar para navegar na web.

O navegador Netscape foi incorporado pela AOL em 1998 e foi motivo de uma batalha na Justiça contra a Microsoft num processo antitruste que levou vários anos. A versão que estará nas máquinas HP vem com recursos de proteção contra ameaças da web, como phishing e spyware.

Os primeiros equipamentos HP com o browser serão oferecidos nos Estados Unidos e Canadá para depois serem levados para outros mercados.


Edileuza Soares, do Plantão INFO






EUA recusam proposta para democratização da web




Fonte:



SÃO PAULO – O controle da internet permanece nas mãos dos Estados Unidos. O governo americano recusou a proposta da União Européia (UE), apresentada durante debates da ONU, em Genebra, para descentralização da rede.

Os 191 países que formam a ONU querem que a administração da internet saia dos EUA para democratização da web. Desde que foi criada, a rede mundial é controlada pela Corporação para a Atribuição de Nomes e Números na Internet, a Icann. É essa instituição sem fins lucrativos, ligada ao governo americano, que cuida de todos endereços eletrônicos da rede no mundo.

A UE propõe que a rede passe a ser gerida por uma nova entidade com abrangência internacional. Os países sugerem que este órgão seja ligado à ONU. O Brasil está entre os que estão pedindo esta mudança.

Como as negociações não avançaram durante os debates da ONU, realizados na semana passada em Genebra, o problema ficou para ser decidido na reunião de Cúpula da Sociedade da Informação, que será em novembro, na Tunísia.


Edileuza Soares, do Plantão INFO






Consultor dá dica de segurança para profissionais




Fonte:



SÃO PAULO – “Dicas para uma carreira de sucesso em Segurança da Informação”. Esse é o tema de uma palestra que Gustavo Alberto de Oliveira Alves, especialista no assunto, faz na próxima sexta-feira, dia 7 de outubro, para futuros profissionais da área do projeto HackerTeen.

Com 26 anos, Alves é um dos jovens que mais entendem de segurança da informação. Ele mexe com computação desde os 8 anos de idade, quando entrou no curso de Basic para aprender a programar. Seu primeiro emprego foi como estagiário da Módulo, onde começou a direcionar sua carreira para essa área.

Quando estava com 21 anos, Alves venceu o desafio internacional do Sans Institute e já dava treinamentos e palestras para empresas e órgãos do governo. Hoje, ele é coordenador do curso de pós-graduação Master of Security Information da Universidade Federal do Rio de Janeiro, autor de um livro sobre Governança de Segurança da Informação e consultor.

Durante palestra para alunos do curso profissionalizante do programa HackerTeen, o consultor ensinará como os futuros profissionais de segurança da informação podem usar sua inteligência para o bem e se destacar no mercado de trabalho

A palestra será gravada em um LOG e ficará disponível aos que quiserem acessar no site http://www.hackerteen.com.br


Edileuza Soares, do Plantão INFO






Divulgada relação dos projetos pré-aprovados para o Casa Brasil




Fonte:




Destacamos que as próximas estapas do processo seletivo serão as seguintes:

1ª etapa: Auditoria de informações e visita ao imóvel designado para instalação da unidade da Casa Brasil.

Complementará a análise do projeto, oportunidade em que serão verificadas as informações fornecidas a respeito dos seguintes aspectos previstos no edital:


A Comissão de Avaliação do Projeto Casa Brasil decidiu pela pré-aprovação dos projetos listados abaixo após verificação de enquadramento e análise de mérito das propostas submetidas ao Edital 041/2005.

PROJETOS SELECIONADOS – CASA BRASIL

CIDADE UF INSTITUIÇÃO COORDENADOR

ANAPÓLIS GO FUNDAÇÃO UNIVERSITÁRIA DO CERRADO LUCIVANIO OLIVEIRA SILVA

ARACAJU SE FUNDAÇÃO CULTURAL CIDADE DE ARACAJU JOÃO EMANUEL SANTOS

ARAPIRACA AL ASSOCIAÇÃO CANDEEIRO ACESO MAISA MARCIA CARVALHO OLIVEIRA

ARIQUEMES RO PREFEITURA MUNICIPAL DE ARIQUEMES WANDERSON FERNANDES

BELO HORIZONTE MG SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL E ESPORTES DE MINAS GERAIS MARCOS MONTES CORDEIRO

BELO HORIZONTE MG MOVIMENTO DE PROMOÇÃO SOCIAL-MOPS MARIA DE FATIMA MASIERO BITTENCOURT

BELO HORIZONTE MG UNIÃO MUNICIPAL DOS ESTUDANTES SECUNDÁRIOS DE

BELO HORIZONTE -UMES ALEXANDRE NORBERTO CANUTO FRANCO

BELO HORIZONTE MG UFMG REGINA HELENA ALVES DA SILVA

BLUMENAU SC INSTITUTO GENE CARLOS EDUARDO NEGRÃO BIZZOTTO

BOA VISTA RR SINDICATO DOS TRABALHADORES E TRABALHADORAS RURAIS DO MUNICÍPIO DE BOA VISTA LUIZ CARLOS GOMES DE LIMA

BRASÍLIA DF INSTITUTO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE AGOP KARAKIN KAYAYAN

BRASÍLIA DF DECANATO DE EXTENSÃO/UnB SYLVIO QUEZADO DE MAGALHÃES

BRASÍLIA DF ASSOCIAÇÃO POSITIVA DE BRASÍLIA MARA RUBIA DE ABREU LOBO

BRASÍLIA DF ASSOCIAÇÃO DE APOIO AOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS E DA COMUNIDADE-ADAPTE JOSÉ CÍCERO MEDEIROS FRANCO

CAMPINA GRANDE PB PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINA GRANDE VENEZIANO VITAL DO REGO SEGUNDO NETO

CAMPINAS SP NÚCLEO EXPERIMENTAL TEATRO DE TÁBUAS JORGE LUIS BRAZ

CAMPINAS SP PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS MARCELO PRADO FERRARI MANZANO

CAMPO GRANDE MS MISSÃO CRIANÇA PANTANAL MARIA ALICE GARCIA MARTINS

CAMPO GRANDE MS INSTITUTO DELTA DE EDUCAÇÃO TEREZA DE ÁVILA NOGUEIRA FERNANDES

CAUCAIA CE PREFEITURA MUNICIPAL DE CAUCAIA CELINA MAGALHÃES ELLERY

CAXIAS MA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAXIAS CRISTIANE FRANCO DA SILVA

CAXIAS DO SUL RS GUAYÍ MILTON JOSÉ PANTALEÃO JUNIOR

CONTAGEM MG PUC/MG IRIS MARIA DA COSTA AMÂNCIO

CORUMBÁ MS INSTITUTO HOMEM PANTANEIRO HÉLÈNEMARIE DIAS FERNANDES

CRUZEIRO DO SUL AC GOVERNO DO ESTADO DO ACRE IRAILTON DE LIMA SOUZA

CUIABÁ MT SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA DE CUIABÁ MARIO OLIMPIO MEDEIROS FILHO

CURITIBA PR ASSOCIAÇÃO CULTURAL DE NEGRITUDE E AÇÃO POPULAR GILVANE GOMES RIBEIRO

DOURADOS MS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS / UFMS EDMIR RIBEIRO TERRA

DUQUE DE CAXIAS RJ PREFEITURA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS NORMA SUELI DOS SANTOS

FLORIANÓPOLIS SC FEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DE MORADORES DE SANTA CATARINA ALLAN RODRIGO ALCANTARA

FORTALEZA CE PREFEITURA MUNICIPAL DE FORTALEZA (ANTONIO BEZERRA) DEMÉTRIUS RIBEIRO DE PAULA

FORTALEZA CE PREFEITURA MUNICIPAL DE FORTALEZA (VILA UNIÃO) DEMÉTRIUS RIBEIRO DE PAULA

FORTALEZA CE PREFEITURA MUNICIPAL DE FORTALEZA (ADAUTO BEZERRA) DEMÉTRIUS RIBEIRO DE PAULA

GOIÂNIA GO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS JOSÉ OLÍMPIO FERREIRA

GOIÂNIA GO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CLAUDIO MARTINS GARCIA

GUARULHOS SP PREFEITURA MUNICIPAL DE GUARULHOS HELOISA DE FARIA CRUZ

IMPERATRIZ MA PREFEITURA MUNICIPAL DE IMPERATRIZ JOAS MORAES DOS SANTOS

JOÃO PESSOA PB CEFET JOSÉ ROMULO GONDIM DE OLIVEIRA

JOÃO PESSOA PB PREFEITURA MUNICIPAL DE JOÃO PESSOA RICARDO VIEIRA COUTINHO

JOINVILLE SC FUNDAÇÃO MUNICIPAL ALBANO SCHMIDT ALODIR ALVES DE CRISTO

JOINVILLE SC INSTITUTO SUPERIOR E CENTRO EDUCACIONAL LUTERANO BOM JESUS TITO LÍVIO LERMEN

JUAZEIRO DO NORTE CE PREFEITURA MUNICIPAL DE JUAZEIRO DO NORTE CASSIA REJANE LEITE DE SOUZA

LONDRINA PR SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA E ABASTECIMENTO NEDSON LUÍS MICHELETI

MANAUS AM FUNDAÇÃO CENTRO DE ANÁLISE, PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ARNALDO CESAR DA SILVA COSTA

MANAUS AM SECRETARIA DE ESTADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL MARIA DAS GRAÇAS SOARES PROLA

MANAUS AM PREFEITURA MUNICIPAL DE MANAUS (PETRÓPOLIS) JORGE TRAJANO DA SILVA

MANAUS AM PREFEITURA MUNICIPAL DE MANAUS (ANTONIO ALEIXO) JORGE TRAJANO DA SILVA

NATAL RN MOVIMENTO DE INTEGRAÇÃO E ORIENTAÇÃO SOCIAL ALCINA MARIA DE HOLANDA MADRUGA

NATAL RN CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E COMUNICAÇÃO POPULAR ELIZAMA DO LIVRAMENTO CARDOSO

NOVA IGUAÇU RJ PREFEITURA DA CIDADE DE NOVA IGUAÇU VALERIA DO MONTI NASCIMENTO CUNHA

OLINDA PE AGÊNCIA DE ESTUDOS E RESTAURO DO PATRIMÔNIO JOSÉ EDSON GOMES DA SILVA

PALMAS TO PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS ARI HART

PARNAÍBA PI FUNDAÇÃO DOS COMERCIÁROS DE TERESINA FRANCISCO CELIO BARBOSA DA COSTA

PARNAMIRIM RN CENTRO DE INTERCÂMBIO INTERN.DA JUVENTUDE E DESENVOLVIMENTO HERBET DE MEDEIROS GOMES

PELOTAS RS REDE DUNAS MUNDIAL VITRINE DA PERIFERIA FLORISMAR OLIVIERA THOMAZ

PICOS PI PREFEITURA MUNICIPAL DE PICOS GIL MARQUES DE MEDEIROS

PONTA GROSSA PR PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTA GROSSA LUIZ SIMÃO STASZCZAK

PORTO ALEGRE RS ONG MORADIA E CIDADANIA ARTUR FERREIRA ALMEIDA

PORTO VELHO RO SECRETARIA MUNICIPAL DO DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO FLAVIO MORAIS NOGUEIRA JUNIOR

RECIFE PE PREFEITURA MUNICIPAL DE RECIFE JOÃO PAULO LIMA E SILVA

RECIFE PE PREFEITURA MUNICIPAL DE RECIFE CARLA ANDRADE REIS

RECIFE PE PREFEITURA MUNICIPAL DE RECIFE PLINIO BEZERRA DOS SANTOS FILHO

RIO BRANCO AC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE EVERALDO ARAÚJO FERREIRA

RIO DE JANEIRO RJ PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO LUCIA DAS CHAGAS E SILVA

RIO DE JANEIRO RJ PREFEITURA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO FABIO HENRIQUE E AZEVEDO GUIMARÃES

RIO DE JANEIRO RJ REDE DE INFORMAÇÕES PARA O TERCEIRO SETOR PAULO HENRIQUE LIMA

RIO DE JANEIRO RJ INSTITUTO DE CULTURA AMBIENTAL SERGIO JOSÉ DE ARAÚJO MACHADO

SALVADOR BA ASSOCIAÇÃO LACTOMIA AÇÃO SOCIAL PEDRO LUÍS CORTES JUNQUEIRA

SALVADOR BA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR (COUTOS) CLAUDIA MARIA DE ANDRADE E SILVA

SALVADOR BA PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR (ITAPOÃ) CLAUDIA MARIA DE ANDRADE E SILVA

SALVADOR BA ORGANIZAÇÃO DE AUXÍLIO FRATERNO MARCOS DE PAIVA SILVA

SANTA MARIA RS PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA MARIA ANTONIO VALDECI OLIVIERA DE OLIVIERA

SANTANA AP PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTANA JOSÉ ANTONIO NOGUEIRA DE SOUSA

SANTARÉM PA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTARÉM JADER RIBEIRO GAMA

SÃO BERNARDO DO CAMPO SP ASSOCIAÇÃO DE PROMOÇÃO HUMANA E RESGATE DA CIDADANIA AILTON GALDINO DE ALMEIDA

SÃO GONÇALO RJ PREFEITURA DE SÃO GONÇALO MARIA APARECIDA PANISSET

SÃO GONÇALO RJ PREFEITURA DE SÃO GONÇALO JOSÉ ROBERTO DA COSTA JUNIOR

SÃO LUÍS MA INSTITUTO DE CAPACITAÇÃO COMUNITÁRIA ELISEU LIRA

SÃO LUÍS MA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LUÍS CARLOS TADEU D'AGUIAR SILVA PALACIO

SÃO PAULO SP INSTITUTO ARTE E SUSTENTO MAURÍCIO SERRANO FALAVIGNA

SÃO PAULO SP PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO LACIR FERREIRA BALDUSCO

SÃO PAULO SP INSTITUTO DE AÇÃO CULTURAL E ECOLÓGICA AMADEU LUIZ CONTI

SÃO PAULO SP INSTITUTO POMBAS URBANAS MARCELO ANTÔNIO DE ALMEIDA

SINOP MT UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA TAISIR MAHMUDO KARIM

TERESINA PI SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO PEDRO FERREIRA DE LIMA

TERESINA PI MOVIMENTO HIP HOP ORGANIZADO DO BRASIL GIL CUSTÓDIO ARAÚJO FERREIRA

UBERLÂNDIA MG AÇÃO MORADIA ELIANA MARIA CARRIJO SETTI

VILA VELHA ES PREFEITURA MUNICIPAL DE VILA VELHA MAX FREITAS MAURO FILHO

VITÓRIA ES PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA JOÃO CARLOS COSER

Destacamos que as próximas estapas do processo seletivo serão as seguintes:

1ª etapa: Auditoria de informações e visita ao imóvel designado para instalação da unidade da Casa Brasil.

Complementará a análise do projeto, oportunidade em que serão verificadas as informações fornecidas a respeito dos seguintes aspectos previstos no edital:

a) Endereço do imóvel b) Área total do imóvel c) Área total destinada ao Casa Brasil (mínimo 300 metros) d) Condições de acessibilidade a portadores de necessidades especiais e) Condições de habitabilidade do imóvel f) Facilidade de acesso à população g) Comprovação de área de exclusão social

2ª etapa: Divulgação de resultados da auditoria, dia 14/10/2005.

3ª etapa: Habilitação dos parceiros estratégicos com formalização do comprometimento com as obrigações estabelecidas no Edital.

Esclarecemos que a não confirmação das condições verificadas na 1ª etapa, bem como a não apresentação das certidões negativas de débito com o Governo Federal na 3ª etapa, acarretará na desclassificação do proponente.

Ocorrendo desclassificações haverá novas convocações até o preencimento das 89 vagas especificadas pelo Edital, priorizando as propostas originadas no mesmo município da proposta desclassificada.

Dúvidas deverão ser encaminhadas à Comissão de Avaliação do Projeto Casa Brasil exclusivamente por meio do endereço eletrônico casabrasil@planalto.gov.br


Fonte: ITI








Prepatória termina com acordo sobre software livre e sem consenso na governança




Fonte:




Terminou na última sexta-feira (30/09), em Genebra, a terceira reunião preparatória (PrepCom 3) para a última fase da Cúpula Mundial da Sociedade da Informação. Depois de duas semanas de intensos debates, os 191 países membros da Organização das Nações Unidas (ONU) tentaram chegar a consensos necessários para a consolidação dos textos finais a serem firmados pelas autoridades e chefes de Estado no encerramento da Cúpula, que acontecerá em novembro, em Túnis.


03-Out-2005: Genebra-Sw -

A novidade do PrepCom 3 foi a decisão da União Européia (UE) de se aliar aos países emergentes para pedir o fim do controle norte-americano sobre a Internet. Na opinião do chefe da delegação brasileira, embaixador Antonino Marques Porto, há uma crescente percepção sobre a importância dessa questão. “Um grupo de países cada vez maior está entendendo que o processo de gestão da rede mundial de computadores deve ser mais tranparente, democrático e includente”, sustenta.

As negociações mais significativas dessa PrepCom giraram em torno da “governança da Internet”. Esse é um dos temas mais polêmicos juntamente com a criação do fundo de solidariedade digital. Esses dois tópicos mereceram atenção especial da ONU, que formalizou ainda na primeira fase da Cúpula, em 2003, a criação de grupos de trabalho específicos para tratar dessas questões.

O secretário de Logística e Tecnologia da Informação, Rogério Santanna, disse que o Brasil e outros países emergentes, como Índia, África do Sul e China defendem a criação de uma instância internacional, que permita um processo mais democrático e transparente de gestão da Internet. É muito difícil continuar a defender um modelo que, por questões históricas, tem um país com poderes sobre um canal de comunicação que se torna cada vez mais fundamental para todos os países, alertou o secretário.

Temas como a administração de nomes de domínios e distribuição de endereços IP, tentre outros, passaria a ser debatidos em um fórum internacional, com a participação ampla de governos, sociedade civil, membros da academia e grupos de interesses. Atualmente, a administração da infra-estrutura encontra-se sob a responsabilidade da ICANN, entidade vinculada ao Departamento de Comércio dos Estados Unidos.

Uma nova fase de debates ocorrerá às vésperas da Cúpula de Túnis para tentar novamente fechar um acordo mundial sobre a questão. A data prevista dos encontros é dias 14 e 15 de novembro, em Genebra.

Outro tema na pauta da discussão a respeito da sociedade da informação é o fomento da utilização de plataformas abertas, os softwares livres. O Brasil tem defendido uma política de incentivo aos programas de plataforma aberta como forma de se viabilizar programas de inclusão digital e o compartilhamento do conhecimento. O texto de consenso alcançado durante essa preparatória aparece na Declaração Política.

Para o diretor do Serpro, Sérgio Rosa, integrante da delegação brasileira, a preferência pelo desenvolvimento e uso do softwares livre é uma estratégia importante para os países em desenvolvimento à medida que reduz a dependência tecnológica e permite transformar esse países de meros consumidores de tecnologia em seus produtores.

Na análise do chefe da delegação, embaixador Marques Porto, os bons resultados são fruto do trabalho intenso da delegação que fez as articulaçoes necessárias com os principais atores nesse processo de se obter consensos sobre os temas da Sociedade da Informação”.

Além do corpo diplomático que coordena as negociações, fizeram para da delegação brasileira que participou das negociações da a PrepCom 3, representantes da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), José Alexandre Bicalho e José Gonçaves Neto; da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento, secretário Rogério Santanna; representado o Ministério da Fazenda, o diretor do Serpro, Sérgio Rosa; e como representante da Casa Civil da Presidência da República, a assessora do ITI, Denise Direito.


Fonte: ITI








Certificação digital e software livre na pauta dos países europeus




Fonte:




Durante o 6o Fórum Mundial e-democracie, ocorrido na última quarta e quinta-feira (28 e 29/09), em Paris (Fr), ficou claro que os países europeus caminham de forma consistente para a adoção da identidade eletrônica como forma de simplificar a vida do cidadão. Aliar a identificação civil com a tecnologia da certificação digital tem sido uma das soluções encontradas para oferecer mais segurança e agilidade aos vários processos em que a identificação do cidadão é fundamental.


04-Out-2005: Paris-Fr -

A Bélgica é um dos países que tem iniciativas concretas na área de certificação digital com o objetivo de usar a tecnologia para facilitar a vida do cidadão. Esse país somou às informações do registro civil um certificado digital. Isso significa que o cidadão belga ao receber a carteira de identidade, que vem com as tradicionais informações sobre o nome dos pais, data de nascimento, entre outras, recebe um certificado digital. Assim, a pessoa consegue se identificar na rede mundial de computadores possibilitando a realização de várias transações eletrônicas.

O diretor do Ministério do Interior da Bélgica, Denis Van Melsen, disse que atualmente já existem mais de 400 aplicações desenvolvidas tanto pelo governo como pela iniciativa privada que usam esse facilitador. Segundo a lei que regulamento o tema, o cidadão tem o direito de saber as informações que estão armazenadas no chip que, também, contem um certificado digital. Na análise de Melsen, essa é uma ferramenta que simplifica a vida da sociedade. Quando o cidadão quer, por exemplo, atualizar o seu endereço pode solicitá-lo, diretamente, via Internet nos cadastros dos órgãos, já que a certificação garante a autoria do solicitante da modificação.

O diretor do Programa de Identidade Eletrônica da França, Philippe Sauzey, disse que a meta da União Européia é ter até final de 2006 o passaporte eletrônico. No entanto, já há estudos que avaliam a possibilidade de agregar em um mesmo documento eletrônico o passaporte, a carteira de identidade e a carteira de motorista, além de um certificado digital.

Para Sauzey há questões que ainda merecem definição como se será obrigatória ou facultativa a adoção e aquisição do documento eletrônico. Além disso, será necessário adaptar processos para permitir o pleno uso da tecnologia.

Software livre

O software livre mostrou que também está na pauta dos países desenvolvidos. No primeiro dia do evento, o seminário �Por uma democracia eletrônica Livre� foi moderado pelo presidente da Associação das Sociedade de Serviços com Software Livre, Alexandre Zapolsky, contou com a presença do diretor do projeto GeNess, brasileiro José Eduardo de Lucca, do professor de informática da Universidade de Paris, Roberto Cosmo, e do assessor do Congresso do Peru, Edgar Villanueva Nuñez.

O caso do Brasil foi citado por quase todos os palestrantes. O diretor do projeto GeNess, Eduardo de Lucca, cujo projeto tem o foco na informatização dos municípios, disse que o ponto de partida foi um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação – ITI em parceria com a Softex. Nesse estudo ficou demonstrado que apenas 10% dos quase 5.600 municípios brasileiros, tem alguma infra-estrutura de TI. Além disso, a maior parte dos municípios tem problemas orçamentários para investir o necesário na informatização das estruturas municipais. Assim, o software livre pode multiplicar os recursos gastos no desenvolvimento, somando-se ao fato de possibilitar a descentralização da prestação de serviços de forma a gerar renda localmente, analisou de Lucca.

O assessor do Congresso peruano, Edgar Nuñez, aproveitou o evento para informar que naquela semana o Congresso aprovou lei que regulamenta a utilização do software livre e dá ao Estado um postura mais neutra ante as tecnologias disponíveis. Antes a compra já era direcionado para os software proprietários, agora é necessário primeiro que o gestor analise a melhor alternativa, esclareceu Nuñez.


Fonte: ITI








Governo avalia o processo de migração para software livre no setor público




Fonte:




Uma pesquisa aplicada junto a 210 profissionais da área de tecnologia da informação do governo federal, que participaram da 1º Oficina de Migração para software livre realizada no último dia 20, contribuiu para para detectar as áreas sensíveis do processo de migração no governo.


Cerca de 80% dos entrevistados afirmaram que as suas respectivas instituições realizam algum processo de migração para software livre e a metade desse percentual informou que os sistemas estão estáveis operacionalmente.

Para 18% dos entrevistados, não existe previsão para a migração para software livre em suas instituição e 5% responderam que esse processo será iniciado somente no próximo ano. Indagados se existe alguma justificativa que impeça a migração, as respostas foram: NÃO 69% e SIM 31%. Dos 210 usuários entrevistados, 65% deles são da área gerencial, 23% da área técnica e 12% da área administrativa.

A pesquisa também apontou como as instituições estão resolvendo as questões de contratação de serviços e soluções em software livre: para 85% os atuais contratos atenderam esta necessidade e para 14% os contratos foram ampliados em prazo e valor. Dos entrevistados, 1% precisaram somente da ampliação de prazo dos contratos.

Para esses entrevistados, a grande dificuldade para a migração continua sendo a capacitação de usuários e técnicos, conforme responderam 34% dos técnicos, enquanto 19% apontaram a aceitação do usuário como um dos fatores. O legado ficou com 16% e o desconhecimento interno em software livre com 2%. O item problemas políticos foi apontado 10% e equipe reduzida por 9%.

A oficina ocorreu dia 20 de setembro, na sede da Embrapa, em Brasília. Foi coordenada pelo Grupo de de Trabalho Migração para Software Livre e contou com apoio da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento e da Embrapa. O objetivo do evento foi discutir e encontrar soluções referentes a implantação de programas abertos nos ambientes corporativos dos órgãos públicos.

Participaram da Oficina 210 técnicos de mais de 60 órgãos da administração pública federal como Presidência da República, Ministérios da Cultura, Trabalho, Educação, Planejamento, Cidades, Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Agrário e de empresas públicas, dentre as quais Correios, Serpro, Cobra Tecnologia e Dataprev.

Nós de Migração

Os organizadores da oficina detectaram para o caso das ferramentas de automação de escritório que, entre as soluções para agilizar a migração, está o treinamento do corpo técnico, considerado um grande nó de migração. Na ocasião foi apresentado um caso de sucesso da Embrapa, que realizou a capacitação dos técnicos, em seguida treinou os usuários em larga escala e criou o laboratório de testes para controle de qualidade dos serviços.

Também foram levantados problemas específicos relacionados a necessidade de ferramentas livres para backup, autenticação de usuários, antivírus e gerenciamento e monitoração de redes. Para cada um dos problemas foram indicadas ferramentas das quais alguns dos participantes possuem experiência, dispondo-se a auxiliar na migração dos órgãos que enfrentam dificuldades.

Para os casos em que nenhum dos órgãos possui conhecimento da ferramenta, foram acertados o estudo e a elaboração de testes em conjunto. A idéia é que os diversos órgãos que enfrentam o mesmo problema trabalhem em equipe para executar a migração em suas redes. A oficina teve 15 temas e os grupos técnicos foram divididos de acordo com suas áreas de trabalho.

O Grupo de Trabalho Migração para Software Livre prepara o relatório final no qual estarão apresentados, por ordem de prioridade, os problemas existentes, as soluções propostas para cada problema e as ações, atividades e tarefas para resolver tecnicamente cada nó de migração.


Fonte: Governo Eletrônico Brasileiro








Linux para todos




Fonte:



Editoria: Sementes Livres
01/Oct/2005 - 10:15

Foi aberta incrições para o curso gratuito "Desvendando o LINUX", pelo diario do nordeste e outras pacerias como o SIGMA HOME SCHOOL

Nailton Vieira (88)99515215


Fonte: diario do nordeste








Guia de Migração - Governo da Alemanha




Fonte : noticiaslinux.com.br



Devido a alta demanda, o Governo Alemão, representado pela Agência de TI da Administração Federal, oferece em inglês a 2a edição revisada do Guia de Migração para Software Livre.

São 504 páginas em um pdf de 4.28 Mb.
Para baixar: http://www.kbst.bund.de/downlo[...]eitfaden_englische_Fassung.pdf

Para ler mais: http://www.kbst.bund.de/

Postada por: Marco Figueira <mafrj EM yahoo.com.br>







Mono Brasil na Semana Academica da UFPR




Fonte : noticiaslinux.com.br



I SECOMP - I Semana de Computação da Universidade Federal do Paraná.

Esta semana a equipe do Mono Basic apresentará uma série de palestras UFPR.

* Projeto Mono, Levando o Software Livre onde Jamais Esteve
* Jbanana for Mono: um MVC independente de Plataforma
* Quebrando as barreiras entre Java e Mono
* Mono em: Memórias póstumas da Linguagem SQL
* Rodando Asp.Net no Linux
* Programando Assembler Mono/.NET no Linux
* Ferramentes para programação em Mono Linux/Windows
* Desenvolvendo em Mono com C# e WebServices
* Demonstrações de aplicativos Mono
* Projeto Mono Basic

Local: Auditório do Departamento de Informática da UFPR Dias: 04, 05 e 06 de outubro Das 19:00 às 21:00h (09h)

Maiores informações: http://monobrasil.softwarelivre.org

Postada por: Alessandro Binhara <binhara@SEMSPAM.psl-pr.softwarelivre.org>







Visualizador de sistema de arquivos tridimensional




Fonte : noticiaslinux.com.br



Já imaginou visualizar o seu HD em um espaço tridimensional e navegar em seu disco como em um jogo de 1a pessoa? Pois é isto que o programa deste artigo disponibiliza em seu desktop para impressionar os usuários de sistema operacional proprietário.

http://www.vivaolinux.com.br/artigos/verArtigo.php?codigo=3124

Postada por: Pedro Baptista <pedrob_em_bol.com.br>







Terra: "Microsoft financia PCs para África do Sul e critica Linux"




Fonte : noticiaslinux.com.br



A Microsoft financiará centros de tecnologia em 284 municípios da África do Sul.

"Ballmer disse que os governos não deveriam optar necessariamente por alternativas de código aberto ..."

Leia a notícia completa na fonte:
http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI693915-EI4801,00.html

Leia também um outro texto com o título "Pelo amor de Deus, parem de ajudar a África!", um pouco antigo mas que vem bem a calhar:
http://noticias.uol.com.br/mid[...]gel/2005/07/06/ult2682u38.jhtm







Spreadfirefox.com hacked




Fonte : noticiaslinux.com.br



Pela segunda vez num período de 3 meses, um problema de segurança causou a indisponibilidade do site Spreadfirefox.com, que promove o navegador Firefox.

Membros da comunidade Spread Firefox foram notificados na segunda-feira à noite que o site Spreadfirefox.com havia sido atingido por ataques procurando explorar um bug (publicado 12 a 36 horas antes) no software de colaboração TWiki, que estava rodando no servidor.

A Mozilla Foundation não acredita que informações sigilosas tenham sido comprometidas, mas como precaução está encorajando aproximadamente 100.000 membros a alterarem suas senhas.

O site está por enquanto com uma nota avisando que deverá estar novamente em operação por volta do dia 15 deste mês.

Site: http://www.spreadfirefox.com/

Fonte: http://www.linuxworld.com.au/index.php/id;1913983418;fp;16;fpid;0







Google e Sun fecham parceria




Fonte : noticiaslinux.com.br



O Google e a Sun Microsystems revelaram um esforço colaborativo para promover softwares open-source da Sun, um movimento que irá tornar mais fácil para usuários a obtenção do 'Sun Java Runtime Environment', da Google Toolbar e da suite de produtividade OpenOffice.org, disseram as companhias nesta terça-feira. Os termos do acordo não foram revelados.

De acordo com o acerto, a Sun irá incluir a Google Toolbar como uma opção em downloads do Java Runtime Environment. Além disso, as companhias concordaram em explorar oportunidades para promover e melhorar tecnologias da Sun, como o Java Runtime Environment e o OpenOffice.org.

Fonte (em inglês):
http://www.linuxworld.com.au/index.php/id;574550288;fp;16;fpid;0







Gerência de Configuração e Ferramentas Open Source




Fonte : noticiaslinux.com.br



Gerência de Configuração é uma atividade de suporte que faz parte de modelos de maturidade de processo tais como o CMMi e o SPICE. Contudo, ainda é pouco utilizado principalmente em micro e pequenas empresas devido ao desconhecimento de sua importância e da existência de ferramentas open source de apoio disponíveis.

Saiba mais no seguinte endereço:
http://www.pronus.eng.br/tutor[...]erencia_configuracao/index.php

Postada por: André Dias <andref.dias@NOSPAM.terra.com.br>







Microsoft curvando-se à realidade do mercado




Fonte : noticiaslinux.com.br



Mantendo as lindas palavras do IDG Now:

"Curvando-se à realidade do mercado, a Microsoft divulgou nesta segunda-feira (03/10) que juntará esforços com a JBoss".

A idéia é melhorar a interoperabilidade entre as aplicações do JBoss e o Windows Server.

Leia mais:
http://idgnow.uol.com.br/AdPor[...]2EF9039C&ChannelID=2000006







Software Livre e direito autoral




Fonte : noticiaslinux.com.br



A advogada Elisa Santucci, Diretora de propriedade intelectual da multinacional Clarke, Modet&Co. explica sobre software livre e direito autoral:

Para ouvir baixe o arquivo de audio (mp3) abaixo:
http://www.voit.com.br/Arquivo.aspx?Codigo=308

Fonte: http://www.voit.com.br







Estudo de TCO de Windows 2003 vs Novell OES Linux




Fonte : noticiaslinux.com.br



A Novell elaborou um novo estudo comparativo do custo total de propriedade entre Windows 2003 server e Novell Open Enterprise Server Linux. Evidentemente a solução favorece ao fabricante que elaborado o estudo (como sempre), mas este considera não só sistema operacional, mas também o custo do escritório, cliente de correio, navegador, além dos clássicos custos de aquisição e manutenção de hardware, sistema operacional e middleware.

Os números impressionam.

Confira: http://www.novell.com/collateral/4621450/4621450.pdf

Fonte: http://barrapunto.com/articles/05/10/03/070231.shtml







Flumotion




Fonte : noticiaslinux.com.br



A mini-distro LeViX Linux foi atualizada para versão 1.01, agora com suporte a NTFS e minix.

O LeViX Linux trata-se de um disco de emergência para sistemas padrões POSIX. Conta com programas para checagem de partições ext2, ext3, ReiserFS, minix, undelete para sistemas ext2 e possui também varios comandos. Tudo em um disquete, maiores informações no site:

http://codigolivre.org.br/projects/levix

Postada por: Rafael Leandro Breviglieri <pistosbo[arroba]hotmail.com>







Mono Brasil participará do primeiro Evento de Software Livre de Ivaiporã




Fonte : noticiaslinux.com.br



Será realizado dia 17 Outubro a 1º Semana de Software Livre Univale, o Mono Brasil realizará várias palestras. No evento também será firmada parceria para desenvolvimento de Projetos Mono na faculdade. Link para evento da Univale

http://www.univale.com.br/processamento/palestra/index.html

Postada por: Alessandro Binhara <binhara.NOSPAM@psl-pr.softwarelivre.org>