O Mundo do Software Livre muito além do Linux! (Notícias e Dicas)

Aúncio


quinta-feira, dezembro 15, 2005

Vulnerabilidade no Kernel do Windows permiteelevação de privilégios




Fonte:



Microsoft Security Bulletin MS05-055
[CAIS, 14.12.2005-14:23]

O CAIS está repassando o alerta da Microsoft, intitulado "MS05-55 Vulnerability in Windows Kernel Could Allow Elevation of Privilege (908523)", que trata de uma vulnerabilidade no kernel do Windows. Um atacante que consiga explorar com sucesso esta vulnerabilidade pode tomar controle total do sistema afetado, porem o atacante necessita ter direitos de acessar o sistema localmente. A vulnerabilidade em questão não pode ser explorada remotamente ou por usuários anônimos.

A vulnerabilidade existe na forma que as chamadas de procedimentos assíncronos (APC) sao processadas dentro do kernel.

Sistemas afetados:

* Microsoft Windows 2000 Service Pack 4

Correções disponíveis:

Recomenda-se fazer a atualização para as versões disponíveis em:

* Microsoft Windows 2000 Service Pack 4

Mais informações:

* MS05-055 - Vulnerability in Windows Kernel Could Allow Elevation of Privilege (908523)
* Microsoft Brasil Security
* Technet Brasil - Central de Segurança




Identificador CVE: CAN-2005-2827

O CAIS recomenda que os administradores mantenham seus sistemas e aplicativos sempre atualizados, de acordo com as últimas versões e correções oferecidas pelos fabricantes.

Os Alertas do CAIS também são oferecidos no formato RSS/RDF :
http://www.rnp.br/cais/alertas/rss.xml







Dalai Lama estréia seu site




Fonte:



SÃO PAULO – O Dalai Lama estreou o seu site pessoal no último domingo (11), Dia Mundial dos Direitos Humanos.

"Quero levar ao mundo, com a rapidez da nova tecnologia, uma mensagem amor, paz, compaixão e responsabilidade", declarou o líder espiritual tibetano.

Disponível em inglês e tibetano, o site traz páginas com notícias, ensinamentos, biografia, discursos, fotos, publicações e sua agenda.

O Dalai Lama nasceu no dia 6 de julho de 1935, com o nome de Lhamo Thondup. Viveu no Tibete até a invasão chinesa, em 1959. Hoje mora em Dharamsala (Índia), onde fica a sede do governo tibetano no exílio.

Leia também:




Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Toshida atrasa liberação do HD DVD




Fonte:



SÃO PAULO – A Toshiba afirmou que não colocará no mercado até o fim desse ano, como previsto, a nova geração dos seus leitores de HD DVD.

O adiamento foi causado por problemas não resolvidos a tempo no sistema de proteção contra cópias. Essas semanas a mais são particularmente preocupantes para uma empresa que é a principal apoiadora de um formato que compete em desenvolvimento, há três anos, com o Blu-ray, capitaneado pela Sony, para ser o substituto dos atuais DVDs.

O HD DVD usa um laser azul para incluir 15 Gbytyes em um único disco. Para comparação, um DVD convencional comporta 4,7 Gbytes.

Os primeiros leitores de Blu-Ray estão previstos para meados de 2006. O lançamento dos modelos de HD DVD ainda em 2005 era um de seus trunfos comerciais, pois poderia ganhar terreno enquanto a concorrência não chegasse para valer.

Segundo a Toshiba, o hardware dos leitores já está aprovado. As fábricas aguardam apenas a liberação do AACS 1.0 (sigla em inglês para sistema de acesso avançado de conteúdo) para iniciar a produção.

Já é o segundo atraso na liberação dos leitores de HD DVD. Quando foram anunciados, esperava-se que os produtos estivessem disponíveis nos mercados americanos e japoneses ainda em 2005. No começo desse ano, a Toshiba já havia anunciado o atraso da liberação nos EUA para o primeiro trimestre de 2006.


Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Microsoft anuncia comunicador em Ajax




Fonte:



SÃO PAULO – A Microsoft liberou, nesta terça (13), o Office Communicator Web Access, um comunicador instantâneo feito com em tecnologia Ajax.

O produto é destinado a ambientes corporativos, integrando-se ao Live Communications Server 2005. O download do módulo é gratuito, necessitando ser instalado apenas no servidor. Para os usuários da rede da empresa, o produto deve ser usado com qualquer navegador web, como Internet Explorer, Firefox, Netscape, Opera ou Safari.

O Office Communicator acrescenta recursos de conversas por textos, vídeo, voz por IP e videoconferência ao pacote Office. Outra vantagem do produto é sua integração com as redes de mensagem instantânea da MSN, da AOL e do Yahoo!. A versão web, agora anunciada, tem o mesmo visual, porém menos recursos.


Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Cientista batiza espécie de formiga com Google




Fonte:



SÃO PAULO – – O pesquisador Brian Fisher, da Academia de Ciências da Califórnia (EUA), batizou uma recém-descoberta variedade de formiga com Google.

O inseto, do gênero Proceratium, foi catalogado como Proceratium google. O cientista decidiu fazer a homenagem pela ajuda recebida da equipe do Google Earth, enquanto tentava integrar as funções do sistema de mapas com informações de seu site, o AntWeb.

Segundo Fisher, graças a isso, os usuários do Google Earth podem ver o habitat das formigas catalogadas no AntWeb em três dimensões, bastando procurar pelo lugar onde vivem.

A Proceratium google é originária de Madagascar e se alimenta de ovos de aranha.


Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Biblioteca Livre




Fonte : noticiaslinux.com.br




A Sociedades de Amigos da Biblioteca Nacional (Sabin), com apoio do Ministerio da Cultura e da IBM, está desenvolvendo um software livre para catalogar livros. Chamado de Biblioteca Livre o software está praticamente pronto e será lançado no primeiro trimestre do ano que vem.

Você pode saber mais sobre o software em:
http://gazetaweb.globo.com/gaz[...]ria.php&c=80217&e=1208










"Comitê do software livre planeja ações para 2006"




Fonte : noticiaslinux.com.br




"O Comitê de Implementação do Software Livre, ligado ao Governo Eletrônico, desenvolveu uma agenda técnica para ser seguida em 2006, em sua última reunião do ano, há cerca de duas semanas. De acordo com o coordenador do comitê, Renato Martini, presidente do Instituto de Tecnologia da Informação (ITI), ligado à Casa Civil, os integrantes fizeram um balanço das ações postas em prática até o momento."

Leia mais na fonte:
http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI795037-EI4803,00.html









TV Software Livre disponibiliza os vídeos do fisl6.0 para download




Fonte : noticiaslinux.com.br




O Fórum Internacional Software Livre, através da TV Software Livre, está liberando os vídeos das palestras de sua 6a edição, fisl6.0, que aconteceu em Porto Alegre nos dias 1, 2, 3 e 4 de junho de 2005.

Saiba mais em:
http://www.softwarelivre.org/news/5189








Software livre já se tornou política de Estado, diz presidente do ITI




Fonte:




Responsáveis pelo Governo Eletrônico Brasileiro dizem que os projetos de adoção dos softwares livres por órgãos públicos não estão enfrentando problemas de orçamento nem tampouco de inexperiência dos técnicos.


"Nenhum governo fez tanto pelo software livre como este. Depois de três anos de um trabalho de aculturamento, e também de vários programas de computador desenvolvidos com código aberto, acredito que software livre no Brasil é política de Estado", afirma Renato Martini, presidente do Instituto de Tecnologia da Informação (ITI) e coordenador do Comitê de Implementação do Software Livre, um dos oito que atuam na esfera do Governo Eletrônico. Um dos articuladores do Projeto Software Livre Brasil, Marcelo Branco, disse recentemente à ABr que o projeto público brasileiro de apoio aos programas livres continuava sendo o mais avançado do mundo, mas teve problemas por causa de cortes orçamentários e de "inexperiência técnica". Os programas livres são assim chamados porque não impedem o compartilhamento entre os usuários, nem seu aperfeiçoamento contínuo.

Rogério Santanna, secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, também discorda dessa avaliação. Ele conta que, em setembro, foi realizada uma oficina técnica de migração, com 220 profissionais de 60 instituições de governo. "Apresentamos um questionário para esses servidores e, pelo resultado, podemos provar que, em nenhum momento, apareceu a questão orçamentária como ponto de dificuldade".

Santanna também é secretário-executivo do Governo Eletrônico, instância interministerial coordenada pela Casa Civil. Ele conta que mais de 75% dos servidores participantes do evento responderam que sua instituição está realizando algum tipo de migração para software livre, 10% disseram que haverá migração até o final deste ano ou no ano que vem, e os cerca de 15% restantes responderam que não há previsão.

Mais de 70% dos profissionais, segundo ele, disseram que não há nada que impeça o início do processo de migração e, dentre as dificuldades mais apontadas, em ordem decrescente, estão: problemas políticos, capacitação da equipe, falta de aceitação do usuário, capacitação do usuário, falta de confiabilidade no programa que usa o código aberto e aplicações herdadas que não permitem um processo de migração rápido e simples.

Além disso, conforme explica Santanna, não existe no Orçamento do governo rubrica específica para software livre. "A rubrica é para processamento de dados em geral, a decisão do quanto alocar e de como destinar o que foi alocado é de cada ministério. Esta secretaria pode até fazer um trabalho de consultoria, caso o ministério não saiba como começar a migração", explicou.

Marcelo Branco, do PSL Brasil, também havia afirmado que seriam R$ 200 milhões para a implementação do software livre em 2005 e que o recurso sofrera contingenciamento (corte). Santanna diz que é impossível identificar quanto foi usado apenas com software livre até o momento, pelo fato de não haver rubrica específica para esse gasto. Além disso, segundo ele, previsões de gastos apresentadas para migração de máquinas de ministérios, no ano passado, na época em que presidia o ITI e coordenava o comitê de implementação o especialista Sérgio Amadeu, se mostraram altas demais.

"Se eu posso economizar para o governo, vou fazê-lo. Os valores apresentados foram de R$ 3,4 mil para migração de desktops (computadores individuais usados pelo usuário final) e de R$ 23 mil por servidor (máquinas que sustentam todo o banco de dados de uma empresa ou instituição e a rede de computadores)", diz ele.

Santanna conta que a empresa de tecnologia do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a Dataprev, comprou recentemente máquinas individuais, com software livre operando, por menos de R$ 1 mil cada. "Estou certo de que um bom servidor com o mesmo programa não sai por mais de R$ 15 mil. Então, se dá para gastar menos, vamos gastar menos", conclui.

Quanto ao preparo dos técnicos de informática do governo, a resposta vem de Renato Martini. "Não há nenhuma limitação das equipes técnicas que trabalham pela implantação do software livre no governo. É uma afirmação que beira o ridículo", diz o presidente do ITI.


Fonte: ITI








Deu no Gazeta Mercantil:Brasil passa a centralizar TI corporativa




Fonte:




São Paulo, 14 de Dezembro de 2005 - Multinacionais aproveitam suas operações no Brasil como base de serviços de tecnologia da informação para a corporação.Os motivos vão do baixo custo da mão-de-obra à importância do País na região.

Até 2007, a Johnson & Johnson centralizará no Brasil os data centers das 17 unidades latino-americanas.De 2000 a 2008, a área de TI local terá recebido US$ 30 milhões.

Página C-1(Gazeta Mercantil/1ª Página - Pág. 1)(Roberta Prescott / IT Mídia - TI)


Fonte: Gazeta Mercantil









Serpro migra para o Linux




Fonte:




Faz parte da política brasileira o incentivo à utilização do software livre, tanto que, no programa de inclusão digital Computador para Todos, os PCs terão programas abertos como padrão. Diante dessa orientação, alguns órgãos públicos já começaram a migrar os sistemas proprietários para sistemas livres, como é o caso do Serviço Nacional de Processamento de Dados (Serpro), empresa vinculada ao ministério da Fazenda, que presta serviços na área de tecnologia da informação.


no recife, todas as 318 máquinas da empresa já rodam o linux, sendo 110 exclusivas para o software livre. Foto: Glauco Spíndola/DP. De acordo com chefe da área de tecnologia da informação da regional Recife do Serpro, Paulo Arruda, a empresa já conseguiu migrar do Windows para o Linux as 3.577 estações de trabalho das sete mil existentes em todo país. "No Recife, nós temos 318 máquinas e todas usam Linux, mas ainda contamos com dual boot, que usam dois sistemas operacionais, por causa da necessidade de nossos clientes", afirma. Do total de computadores, 110 são exclusivamente Linux, aqueles usados como estações administrativas e para o suporte técnico. "No entanto, adotamos o OpenOffice como padrão de gravação de documentos, todos os funcionários do Serpro trabalham com o programa", destaca.

Com a migração, o Serpro conseguiu economizar R$ 10,5 milhões na compra de licenças proprietárias. Parte deste valor foi reinvestida em treinamentos, renovação de infra-estrutura, consultoria e suporte. De acordo com o gestor, o sistema operacional usado é a distribuição Fedora Core 2.0, da Red Hat, que sofrerá um upgrade para a versão 4.0 até o final do ano, o pacote OpenOffice e o navegador Firefox. "No início, enfrentamos uma certa resistência dos funcionários, mas já foi superada", comenta Paulo.

Emprel - Empresa Municipal de Informática (Emprel) também deu início à migração dos sistemas dos órgãos ligados à Prefeitura do Recife. O plano é concluir a mudança até 2007. Atualmente, a Emprel está migrando os sistemas e, segundo o cronograma estabelecido, será seguida pela Emlurb, secretaria de Desenvolvimento Econômico e Câmara dos Vereadores. "Não significa que em dois anos as máquinas sejam 100% Linux, porque algumas licenças continuarão válidas. Vamos cumprir uma agenda sem estresse", afirma.

Desde 2002, o município não adquire o pacote Office da Microsoft, as novas máquinas vêm com softwares livres instalados. "No entanto, os desktops que já estão com as licenças pagas continuarão usando o Office, mas quando houver necessidade de atualização, migraremos", explica o diretor de Infra-estrutura de Informática, José Alberto Pereira. Dos 52 servidores da empresa, apenas quatro rodam NT, os demais, Linux.

Outra iniciativa da Emprel na área de software livre, apresentada durante a Lacfree, foi o lançamento do Manguebit, uma versão simplificada da distribuição do Fedora Core 4.0 com a interface gráfica QVWM para distribuir aos interessados em conhecer o software livre. O nome é em homenagem ao cantor e compositor Chico Science, morto em um acidente de carro em 1997, que era funcionário da empresa. (A.P.).

A EMPRESA MUNICIPAL DE INFORMÁTICA TAMBÉM INICIOU A MIGRAÇÃO DOS ÓRGÃOS LIGADOS À PREFEITURA DO RECIFE. previsão é concluir mudança em 2007


Fonte: Diario de Pernambuco








ornais encaram o desafio da era da internet




Fonte:




Em artigo para o periódico Advertising Age, especializado em mídia e publicidade, o editor-executivo da revista, Jonah Bloom, recorre a uma entrevista dada pelo ex-editor do Financial Times, Andrew Gowers, para discutir o futuro do jornal impresso. A frase de Gowers, ao deixar o Financial Times depois de 22 anos, foi: "Trabalhar na imprensa escrita, pura e simplesmente, é o equivalente no século 21 a dirigir uma empresa fonográfica especializada em discos de vinil."


Segundo Gowers, os proprietários de jornais ainda não perceberam o poder da internet.

Para Bloom, porém, a questão vai além. Segundo ele, com as constantes dispensas de jornalistas que vêm ocorrendo nos EUA, fica difícil ignorar a pergunta: "Será que fenecerão as organizações noticiosas centradas na palavra impressa?"

A resposta óbvia, diz Bloom, é que a maioria se sustentará convertendo-se em organizações digitais. E volta a citar Gowers: "Os jornais que sobreviverão serão aqueles que produzirem conteúdo verdadeiramente original e aprenderem rapidamente como traduzir isso na nova mídia."

Segundo Bloom, porém, o problema com esta transição de árvores para bytes é que a receita da maioria dos sites de editoras na internet não chega nem perto de sustentar a coleta de notícias e as organizações de conteúdo construídas sobre os alicerces do anúncio impresso. Mas, para Gowers, no ritmo em que o dinheiro migra para a web, logo alguns sites conseguirão suportar as infra-estruturas de criação de conteúdo existentes.

Segundo Bloom, a resposta mais provável para a adaptação das empresas atuais ao novo mundo está numa mudança por atacado no modelo e na mentalidade do jornalismo. Rafat Ali, que comanda o Paidcontent.org - site dedicado a novos modelos de mídia - é um defensor deste Jornalismo 2.0. No mundo descrito por ele, os editores parariam de desperdiçar recursos ordenando aos repórteres que recriassem as reportagens existentes, em vez disso aceitando que parte do papel de seus sites é agregar o conteúdo mais relevante. Isso liberaria tempo para os jornalistas se aprofundassem em reportagens genuinamente originais.

Ali acredita, também, que os jornalistas terão de ser treinados para criar conteúdo multimídia. "Alguns dos repórteres de empresas noticiosas pontocom têm pedido câmeras para criar conteúdo de vídeo, e seus chefes então respondem: 'Não, temos compromissos e questões sindicais'. Mas, se eles não o fizerem, alguém mais o fará".

E, é claro, há a promessa do conteúdo gerado pelo usuário. "Cada vez mais, os editores se transformarão em curadores, eles terão software que os ajudará a filtrar conteúdos, mas também farão triagem, analisarão e contextualizarão um volume de conteúdo entrante".


Fonte: O Estado de são paulo








Linus Torvalds critica GNOME e recomenda KDE




Fonte:




“Li agora no slashdot e é bem interessante. São dois posts na lista de usabilidade do GNOME. No primeiro Linus fala da mentalidade de "usuários são idiotas, e são confundidos por funcionalidades" do GNOME e recomenda: "Eu pessoalmente apenas encorajo as pessoas a mudarem para o KDE". No segundo ele continua, critica a maneira do GNOME de resolver problemas e diz que o GNOME parece ser desenvolvido por "interface nazis". Interessante.


"Por favor, apenas diga às pessoas para usarem o KDE." (Linus Torvalds)” A nota foi enviada por Piter PUNK (piterpkΘterra com br) , que enviou este link para mais detalhes.


Fonte: Br-Linux








RITS agora mantem o Sacix, software livre para telecentros




Fonte:




O Sacix Arara é uma distribuição GNU/Linux voltada para telecentros. O âmbito do projeto é promover a inclusão social e políticas de crescimento sustentável através do software livre de forma a proporcionar à comunidade acesso a tecnologias de forma aberta e a baixos custos. O Sacix, através de perfis de instalação, permite que múltiplos projetos de telecentros compartilhem a mesma base de desenvolvimento. Facilitando a manutenção e racionalizando o trabalho.


Bem-vindo ao sacix.org.br

O projeto é atualmente desenvolvido pelos Sacis, com o apoio da RITS e do Coletivo Digital.

Lançamento Oficial do Sacix 5.11

A nova distribuição do Sacix que será lançada em novembro durante a Conisli, o Sacix 5.11 Arara, irá corrigir vários problemas da versão anterior (Tamanduá) como:

* Impossibilidade de atualização do sistema operacional via APT

* Problemas de performance

* Instalação complexa

* Baixa compatibilidade com modelos de placas de vídeo e hardware em geral

* Não possuir repositório próprio de pacotes deb

Novidades da nova versão:

* CDD (Distribuição Debian Customizada), viabilizando a instalação de novos aplicativos como jogos e outros

* Novo instalador do projeto Debian, faciltando e automatizando todo o processo de instalação

* Profiles com customizações específicas para cada projeto de Telecentros (papel de parede, etc)

* Pacotes de softwares facilitando a instalação e manutenção do sistema

* Melhor performance

* Grandes melhorias de compatibilidade com placas de vídeo, rede e hardware em geral

Os Sacis!


Fonte: Sacix








Proteção da Microsoft recolhe muitos dados do PC




Fonte:




Um teste realizado pela empresa de segurança CSIS revela que os programas contra spyware e o antivírus da Microsoft transmitem um considerável volume de dados da máquina do usuário para os servidores da empresa. A companhia considera que o "Windows Live Safety Scanner" busca com interesse excessivo material armazenado no computador para em seguida notificar a empresa de Bill Gates.


Para a CSIS, não há necessidade de coletar e guardar tanta informação como fazem os novos programas da Microsoft. Entre os dados recolhidos estão o conteúdo do arquivo hosts do Windows (que informa os sites visitados pelo internauta), assim como a pasta iniciar e de serviços ativos, além dos conteúdos do sistema em si.

O programa antivírus também registra informação sobre as extensões do Internet Explorer, assim como o conteúdo e definições de registro do Windows. Segundo a CSIS, tudo isso é repassado para a Microsoft. Por último, a empresa de segurança afirma que testou tanto o "Life Safety Scanner" como o "OneCare Antivírus" com 86 pragar digitais e todas elas foram detectadas pelos programas. A companhia encontrou ainda pequenos erros que, em versões futuras, deverão ser eliminados.

A Microsoft explicou que os dados coletados pelos dois programas são anônimos e não permitem identificar o usuário. De acordo com a companhia de Bill Gates, essas informações se destinam à melhoria dos produtos. As informações são do IBL News.

Redação Terra


Fonte: Terra








Comitê do software livre planeja ações diante da complexidade dos bancos de dados públicos




Fonte:




Brasília - O Comitê de Implementação do Software Livre, ligado ao Governo Eletrônico, desenvolveu uma agenda técnica para ser seguida no próximo ano, em sua última reunião do ano, há cerca de duas semanas. De acordo com o coordenador do comitê, Renato Martini, presidente do Instituto de Tecnologia da Informação (ITI), ligado à Casa Civil, os integrantes fizeram um balanço das ações postas em prática até o momento


"Foi o primeiro encontro do grupo depois da saída do Sérgio (Amadeu da Silveira, ex-presidente do ITI e ex-coordenador do Comitê, até agosto passado). Concluímos, por exemplo, que o trabalho de aculturamento que o Sérgio fez, difundindo a importância da adoção do software livre, foi muito bem desempenhado. Agora, precisamos partir para uma agenda prática, e é o que faremos em 2006", relata Martini.

Para o novo coordenador do Comitê do Software Livre, a adoção da nova tecnologia é um desafio que não se supera do dia para a noite. "Revoluções tecnológicas levam pelo menos 10 anos para se consolidar", registra. Martini destaca o tamanho das bases de dados inseridas nos sistemas de informática brasileiros como o bancário, previdenciário, a folha de pagamento e o sistema de compras do governo federal, entre outros. "São inúmeras bases e todas muito complexas, são sistemas gigantescos que rodam em plataformas heterogêneas e distintas umas das outras. Não dá para mudar tudo como num toque de mágica. Além disso, pela importância dos dados que contêm, é preciso migrá-las com responsabilidade", frisa.

Martini define o comitê como um espaço para partilhar experiências e trabalhos na área, em cooperação com outros órgãos de governo e até mesmo com empresas que estão no mercado. Por ser um dos comitês que integram o Governo Eletrônico, o Comitê de Implementação do Software Livre tem também a função de debater as políticas de inclusão digital, e de analisar como essas políticas se complementam, para evitar superposição ou lacunas.

O coordenador lembra ainda que nunca foram estabelecidas no Comitê do Software Livre metas fixas para implementação da nova tecnologia. "Não é nosso papel. Além disso, cada órgão do governo tem suas especificidades e adota suas próprias experiências diante desse quadro. Posso garantir que a maior parte dos órgãos de governo tem alguma iniciativa, por menor que seja, de adoção ou migração para software livre", conclui.

- Páginas que contêm informações sobre iniciativas do governo em software livre:




Fonte: Radiobras








Microsoft usando Linux indiretamente




Fonte:




A próxima vez que Bill Gates enviar um e-mail através da nova rede Wireless da Microsoft, este passará através de um dispositivo de rede baseado em Linux. No começo desde ano a Microsoft e a Aruba Networks anunciaram que as duas companhias trabalharão para substituir a atual rede wireless Cisco com a infra-estrutura com gerenciamento centralizado da Aruba, que elimina a necessidade de alterações individuais em access points (APs).


A Aruba Networks foi selecionada a prover o equipamento de conectividade por ser considerada uma das maiores redes wireless de próxima geração, servindo mais de 25.000 usuários por dia em 60 países. O que o anúncio da Aruba não mencionou é que os controladores Aruba rodam o sistema operacional Linux, que a Microsoft tem agressivamente apontado como inferior ao Windows como parte de sua campanha de marketing "Get the Facts".


Fonte: Softwarelivre








Deu na Radiobras:Software livre já se tornou política de Estado, diz presidente do ITI




Fonte:




Brasília – Responsáveis pelo Governo Eletrônico Brasileiro dizem que os projetos de adoção dos softwares livres por órgãos públicos não estão enfrentando problemas de orçamento nem tampouco de inexperiência dos técnicos. "Nenhum governo fez tanto pelo software livre como este.


Depois de três anos de um trabalho de aculturamento, e também de vários programas de computador desenvolvidos com código aberto, acredito que software livre no Brasil é política de Estado", afirma Renato Martini, presidente do Instituto de Tecnologia da Informação (ITI) e coordenador do Comitê de Implementação do Software Livre, um dos oito que atuam na esfera do Governo Eletrônico.

Um dos articuladores do Projeto Software Livre Brasil, Marcelo Branco, disse recentemente à ABr que o projeto público brasileiro de apoio aos programas livres continuava sendo o mais avançado do mundo, mas teve problemas por causa de cortes orçamentários e de "inexperiência técnica". Os programas livres são assim chamados porque não impedem o compartilhamento entre os usuários, nem seu aperfeiçoamento contínuo.

Rogério Santanna, secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, também discorda dessa avaliação. Ele conta que, em setembro, foi realizada uma oficina técnica de migração, com 220 profissionais de 60 instituições de governo. "Apresentamos um questionário para esses servidores e, pelo resultado, podemos provar que, em nenhum momento, apareceu a questão orçamentária como ponto de dificuldade".

Santanna também é secretário-executivo do Governo Eletrônico, instância interministerial coordenada pela Casa Civil. Ele conta que mais de 75% dos servidores participantes do evento responderam que sua instituição está realizando algum tipo de migração para software livre, 10% disseram que haverá migração até o final deste ano ou no ano que vem, e os cerca de 15% restantes responderam que não há previsão.

Mais de 70% dos profissionais, segundo ele, disseram que não há nada que impeça o início do processo de migração e, dentre as dificuldades mais apontadas, em ordem decrescente, estão: problemas políticos, capacitação da equipe, falta de aceitação do usuário, capacitação do usuário, falta de confiabilidade no programa que usa o código aberto e aplicações herdadas que não permitem um processo de migração rápido e simples.

Além disso, conforme explica Santanna, não existe no Orçamento do governo rubrica específica para software livre. "A rubrica é para processamento de dados em geral, a decisão do quanto alocar e de como destinar o que foi alocado é de cada ministério. Esta secretaria pode até fazer um trabalho de consultoria, caso o ministério não saiba como começar a migração", explicou.

Marcelo Branco, do PSL Brasil, também havia afirmado que seriam R$ 200 milhões para a implementação do software livre em 2005 e que o recurso sofrera contingenciamento (corte). Santanna diz que é impossível identificar quanto foi usado apenas com software livre até o momento, pelo fato de não haver rubrica específica para esse gasto. Além disso, segundo ele, previsões de gastos apresentadas para migração de máquinas de ministérios, no ano passado, na época em que presidia o ITI e coordenava o comitê de implementação o especialista Sérgio Amadeu, se mostraram altas demais.

"Se eu posso economizar para o governo, vou fazê-lo. Os valores apresentados foram de R$ 3,4 mil para migração de desktops (computadores individuais usados pelo usuário final) e de R$ 23 mil por servidor (máquinas que sustentam todo o banco de dados de uma empresa ou instituição e a rede de computadores)", diz ele.

Santanna conta que a empresa de tecnologia do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a Dataprev, comprou recentemente máquinas individuais, com software livre operando, por menos de R$ 1 mil cada. "Estou certo de que um bom servidor com o mesmo programa não sai por mais de R$ 15 mil. Então, se dá para gastar menos, vamos gastar menos", conclui.

Quanto ao preparo dos técnicos de informática do governo, a resposta vem de Renato Martini. "Não há nenhuma limitação das equipes técnicas que trabalham pela implantação do software livre no governo. É uma afirmação que beira o ridículo", diz o presidente do ITI.


Fonte: Radiobras








Deu no ComputerWorld:Gartner traça perspectivas para o futuro da TI




Fonte:




O Gartner identificou seis tendências de TI que devem causar mudanças significativas e gerar oportunidades para usuários e para a indústria de TI a partir de 2006. Segundo Daryl Plummer, vice-presidente e vice-CEO do Gartner Fellow, esses seis fatores devem impulsionar o crescimento do mercado, representando oportunidades de receita tanto para grandes empresas quanto para estreantes.


Para aproveitar essas mudanças em estágio inicial, sugere o executivo, fornecedores, usuários e investidores precisarão olhar para fora de suas indústrias em busca de early adopters que os inspirem a transformar essas tendências em valor real para os negócios.

Até 2008, 10% das empresas vão exigir que os funcionários tenham seus próprios notebooks. Os notebooks corporativos são normalmente utilizados para assuntos pessoais, como e-mail, música e vídeos.

Segundo as previsões do Gartner, os notebooks vão começar a deixar de ser propriedade das empresas e passarão a pertencer aos funcionários. Como o preço desses equipamentos caiu drasticamente nos últimos anos, essa transição deve ser gerenciada por meio da implementação de uma política de permissão de notebooks. Transferir a propriedade dos notebooks para o empregado não elimina o custo dos PCs, mas o transfere para as áreas de benefícios aos usuários e custos operacionais indiretos, segundo Leslie Fiering, vice-presidente de pesquisas do Gartner.

Até 2010, 30% dos lares norte-americanos usarão apenas celular ou telefonia sobre internet. Em 2004, cerca de 90% das novas linhas telefônicas do mundo eram celulares. O crescimento nas linhas fixas tradicionais deve ser cada vez mais lento na América do Norte, Europa Ocidental e outros mercados desenvolvidos, já que as pessoas passam a usar celular e telefonia sobre internet para as chamadas de voz.

Os consumidores norte-americanos estão apenas começando a ver os serviços de VoIP como opções de telefonia; mas, conforme eles ficam mais confortáveis com a tecnologia e os serviços de VoIP melhoram, devem começar a abandonar os telefones tradicionais. As comunicações móveis continuarão sendo as preferidas nos países em desenvolvimento e, como resultado, os links wireless representarão 99% das novas conexões de voz em 2009.

Para Ken Dulaney, vice-presidente e analista-sênior do Gartner , os antigos serviços de telefonia estão tornando-se decadentes nos Estados Unidos. O crescimento da voz sobre IP e a fenomenal disseminação da telefonia móvel representam agora o "tom de discagem" para o futuro.

O mercado de trabalho para especialistas de TI vai diminuir 40% até 2010. A próxima década verá o surgimento de "generalistas" de TI, pessoas que, graças aos seus papéis, habilidades e experiências, conseguem criar um conhecimento amplo e sintético, que passará a ser o combustível para dar mais valor aos negócios.

Para Diane Morello, vice-presidente de pesquisas do Gartner, os especialistas de TI de hoje devem focar na rápida e intencional expansão de seus conhecimentos, da especialização técnica para competências de negócios. Assim, o valor de longo prazo dos que hoje são especialistas de TI virá do entendimento e do direcionamento das situações e processos que caracterizam as indústrias verticais.

Provedores de serviços de Business Process Outsourcing (BPO) terão 11 bilhões de dólares em receita em 2008 provenientes do mercado de seguros. As seguradoras estão procurando provedores de BPO para agilizar seu processos de transformação. A resposta da indústria a essa demanda tem sido assumir não só os processos, mas também o controle dos seus requerimentos.

Os analistas do Gartner prevêem que, até 2008, os provedores de BPO terão o conhecimento e as plataformas tecnológicas para criar alianças com os canais de distribuição e lançar empresas de seguros que poderão capturar até 1% da receita global do setor. Usando o mercado norte-americano como exemplo, isto significa que cerca de 11 bilhões de dólares que eram receita de seguradoras passarão aos provedores de BPO, o que deve causar impacto significativo no mercado. O capital intelectual está migrando das seguradoras para provedores de BPO, permitindo a essas companhias tornarem-se competidoras - e não apenas fornecedoras de serviços - no mercado de seguros, prevê Annemarie Earley, vice-presidente do Gartner.

Um crescimento de 50% no investimento em software de saúde pode permitir que os profissionais da área reduzam para a metade o nível de mortes previsíveis até 2013. Historicamente, a área de saúde investe pouco em TI. Entretanto, esse quadro está mudando. Analistas do Gartner prevêem que, até 2009, os investimentos do setor em tecnologia vão aumentar mais de 50%, o que poderá permitir a redução no nível de mortes (que podem ser evitadas) em 50% até 2013.

A adoção de TI - e a realização de melhorias na segurança e redução de custos - acontecerá primeiro nos mercados onde os compradores exerçam liderança para estimular simultaneamente a adoção de tecnologia, mensuração de qualidade, transparência e incentivos financeiros alinhados, avalia Wes Rishel, vice-presidente do Gartner. O maior desafio da TI na maioria dos países, segundo ele, será levar a tecnologia aos numerosos pequenos centros de atendimento.

Até 2008, os investimentos em novas tecnologias serão reduzidos devido às obrigações regulatórias. A regulamentação está crescendo e a corrida por "paridade regulatória" entre a Comissão Européia e o governo dos Estados Unidos mostram que essa tendência deve continuar até 2010. Os analistas do Gartner dizem que todos os gastos para atender às demandas regulatórias estão crescendo a uma taxa duas vezes maior que a do aumento dos investimentos em TI e, em muitos casos, os orçamentos de TI são totalmente consumidos pelos esforços por compliance. "Novas regulamentações irão mudar a realidade dos negócios", afirma Jorge Lopez, vice-presidente do Gartner. E, nesse contexto, muitas irão causar também mudanças para a área de TI.


Fonte: ComputerWorld








Serpro:Seminário e-PING debate a troca digital de dados e informações para o benefício da sociedade




Fonte:




A Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento (SLTI) promove na próxima terça-feira, dia 13 de dezembro, um seminário técnico sobre a troca de dados e informações entre os órgãos do Governo Federal.


O evento vai discutir a aplicação dos Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico (e-PING) que ganhará versão atualizada até o final desse ano. Essa arquitetura de informação define políticas e especificações técnicas que possibilitam, mesmo para sistemas com aplicações diferentes, a geração e troca de informações em tempo real.

Na ocasião serão apresentados casos de aplicação da e-Ping na melhoria da prestação de serviços à sociedade por meios eletrônicos. Um exemplo é o Sistema Nacional de Integração de Informações em Justiça e Segurança Pública (Infoseg), do Ministério da Justiça.O Sistema integra informações referentes a indivíduos criminalmente identificados, armas de fogo, veículos, condutores, entre outros. A iniciativa permite que agentes de segurança pública, de justiça ou de fiscalização, possam acessar o sistema e verificar, por exemplo, se um suspeito está sendo procurado em outros estados.

No evento também será apresentado o andamento do processo de interligação dos cartórios brasileiros através dos Padrões de Interoperabilidade de Governo Eletrônico. Em junho desse ano, a SLTI e a Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg) firmaram um convênio para a troca de informações entre os cerca de 18 mil cartórios para beneficiar cidadãos, empresas e o próprio governo. Entre as principais vantagens previstas com a iniciativa estão a redução de fraudes e de erros e a aceleração no processamento de informações, possibilitando uma comunicação mais rápida como, por exemplo, nos casos de registros de nascimentos, falecimentos e imóveis. Serão integrados cartórios de registro civil, de bens e imóveis, pessoas jurídicas, tabelionato de notas, cartório de protesto de notas, entre outros.

Integração de Sistemas A arquitetura e-PING também viabiliza a implementação do Sistema de Integração e Inteligência em Informações de Governo (i3-Gov) que é desenvolvido pela SLTI em plataforma aberta. O i3-Gov, que também será apresentado no seminário, permite conectar os dados, informações e processos armazenados nos oitos sistemas estruturadores do governo federal. Os sistemas estruturadores tratam informações essenciais ao governo, de compras governamentais, programas sociais do governo, recursos patrimoniais, orçamentários, servidores públicos, entre outros. O objetivo é aprimorar a produção de informações referentes aos sistemas estruturadores de Governo e organizar o conhecimento sobre os processos de tratamento das informações.

O i3Gov deve entrar em operação no início de 2006. Participantes Participam do evento servidores do Ministério do Planejamento, do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), da Caixa Federal, Banco do Brasil, da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev), do Departamento de Informações e Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), além de coordenadores de Informática dos diversos Ministérios e outros convidados. Data e Local Dia 13/12/2005 às 14h30 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Bloco K, Auditório Térreo Inscrições pelo email: eping@planejamento.gov.br


Fonte: Serpro








Deu no Serpro:Guia livre reúne casos de empresas que aderiram ao sistema




Fonte:




O roteiro foi testado em laboratório e conta casos de sucesso na migração para o uso do software livre em instituições como Dataprev e Serpro.


Até ontem estavam inscritos mais de 1,4 mil pessoas no Lacfree, das quais pelo menos 800 estiveram na abertura segunda-feira no Centro de Convenções. Na ocasião, o governo federal lançou a versão 1.0 do Guia livre sistematizado pelo Ministério do Planejamento. O roteiro foi testado em laboratório e conta casos de sucesso na migração para o uso do software livre em instituições como Dataprev e Serpro. O guia foi distribuído para autoridades locais e internacionais, mas está à disposição no site www.governoeletronico.gov.br.

Outro lançamento foi o da distribuição Manguebit desenvolvida localmente para atender às necessidades da Prefeitura do Recife. Ao todo serão distribuídos 500 CDs ao público no estande da Emprel.


Fonte: Serpro








Deu no Serpro:MCT credencia mais cinco empresas para fabricação do computador popular




Fonte:




Novas portarias foram publicadas hoje (02/12) pelo Ministério de Ciência e Tecnologia concedendo o credenciamento aos fabricantes para produção dos computadores que serão vendidos com a logomarca do programa de inclusão digital: "Computador para Todos".


As empresas Semp Toshiba, Solectron (fabricará PCs da HP), Nova Soluções em Informática, Novadata Sistemas e Computadores e Haas Produtos e Tecnologia, receberam as autorizações do MCT. Agora são oito empresas credenciadas a fabricar computadores dentro do programa de inclusão digital. O MCT já havia concedido autorizações para a Positivo Informática, Login Informática e a Epcom Eletrônica no dia 25 de outubro.


Fonte: Serpro








Uso do software livre em programas de inclusão digital é exemplo, diz secretário




Fonte:




Brasília – O secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, admite que a adoção dos programas de código aberto pelo governo federal poderia estar mais adiantada. Ele atribui a divergências técnicas o atraso na condução da política do software livre nos últimos três anos.


Como exemplo dos avanços, Santanna cita a adoção do software livre em todos os programas de inclusão digital do governo, como Casas Brasil, Pontos de Cultura, PC Conectado, e Governo Eletrônico e Atendimento ao Cidadão (Gesac). É quanto ao uso do software livre em máquinas utilizadas em órgãos públicos, que Santanna diz ter havido certa divergência técnica no início da implementação da nova tecnologia, quando Sérgio Amadeu era presidente do Instituto de Tecnologia da Informação (ITI) e coordenador do Comitê de Implementação do Software Livre.

"Acredito até que poderia estar mais adiantado, mas isso não se deve à saída de Sérgio Amadeu", afirma o secretário, descartando a possibilidade de que a saída de Amadeu do governo, no meio do ano, tenha atrasado o programa. Santanna conta que defendia (e defende) a idéia de que a migração tem que começar pelos servidores e pelos softwares de middleware, responsáveis pelo suporte à rede, ao correio eletrônico, entre outros serviços. Com essas máquinas e programas, o usuário comum raramente tem contato.

Já Amadeu tinha a proposta de começar a migração pelo usuário final. "Eu argumentava que isso podia ser perigoso, afinal, se começassem a aparecer os problemas, o que seria normal para um sistema novo, o usuário ia odiar o software livre e o culparia por todos os problemas. Afinal, ele não é um especialista em informática e só quer saber de ter uma ferramenta que funcione", explica.

Além disso, Santanna acredita que, ao começar a migração pelos servidores, é possível treinar melhor a equipe técnica. "A equipe vai ganhando maturidade para resolver os problemas e vira um agente de mudança capacitado, pronto para ter prática e treino quando o usuário final, do desktop (computador individual), lhe apresentar problemas", justifica.

Conforme o secretário, em 2004, houve um acerto que estabelecia a seguinte forma de execução: o Comitê do Software Livre implantaria a migração em cinco ministérios e apresentaria o resultado em janeiro deste ano. "Não funcionou", diz Santana. Segundo ele, a Secretaria de Logística do Planejamento começou a implementar, paralelamente, o software livre no ministério. "Começamos pelo servidor e hoje estamos bastante adiantados. Em alguns casos, a migração foi feita com pessoal interno mesmo, sem custo adicional para o governo", afirma.

13/12/2005

----

Lana Cristina Repórter da Agência Brasil


Fonte: RADIOBRAS








Comitê de implementação do software livre no governo federal destaca exemplos




Fonte:




Brasília – A implementação do software livre nos órgãos públicos federais está hoje pulverizada em vários órgãos de governo e ministérios, em iniciativas apontadas pelos gestores não só como inovadoras, mas também como exemplos de excelência da equipe técnica. Além de uma série de iniciativas no campo institucional e jurídico, o coordenador do Comitê de Implementação do Software Livre e presidente do Instituto de Tecnologia da Informação (ITI), Renato Martini, cita uma série de experiências de migração ou adoção do software livre em curso no governo.


Segundo ele, a Dataprev, empresa de informática do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), por exemplo, anunciou em outubro de 2004 que já tinha 500 servidores usando programas de código livre. Na época, o presidente da empresa afirmava que, certamente, a Dataprev era um dos maiores usuários de software livre do governo.

Segundo o secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, a Dataprev é uma das mais dependentes da tecnologia do software proprietário. "Eles têm muitos de seus servidores que precisam de programas da IBM para ler algumas informações. Então, pagam uma fortuna de licença todos os anos. Além disso, não sabem o que roda por trás desses programas, o que é uma característica do software proprietário", conta o secretário.

Na lista de Martini, também consta a contratação de 40 projetos em software livre pela agência de fomento do Ministério da Ciência e Tecnologia, a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Ele destaca ainda o desenvolvimento pelo Ministério da Educação de um software de ensino à distância, que usa software livre, chamado e-Proinfo, que está sendo oferecido ao público. Além disso, o ITI vem contratando empresas nacionais para o desenvolvimento de sistemas como assinador digital e suporte para cartões inteligentes no Linux. Os servidores e dois terços dos desktops do Ministério das Cidades também usam software livre hoje.

No Banco do Brasil, 500 agências, segundo ele, usam hoje servidores Linux. No Ministério das Comunicações, está em curso um processo de licitação para contratação de profissionais para migração dos equipamentos do ministério. O software livre também está sendo implantado em 11 mil estações de trabalho dos Correios, o que corresponde a 30% do parque tecnológico da empresa

Nas Forças Armadas, existe o desenvolvimento de programas abertos nos comandos do Exército e da Marinha. Na Empresa de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), uma rede de sistemas voltados para a agropecuária e seis softwares com código aberto oferecidos ao público em geral pelo projeto Agrolivre. Na Radiobrás, a migração dos servidores para o sistema livre permitiu, entre outros avanços, aumentar os acessos às rádios da empresas pela Internet.

O presidente do ITI destaca também o trabalho do Serpro, empresa de informática que cuida da base de dados do governo. Considerada a maior do ramo na área governamental, no Brasil e na América Latina, o Serpro tem várias iniciativas de implementação do software livre.

13/12/2005

Lana Cristina Repórter da Agência Brasil


Fonte: http://www.radiobras.gov.br/








sexta-feira, dezembro 09, 2005

Atenção à web 2.0 é principal conselho aos CIOs




Fonte:




A partir de 2006 os Chief Information Officer (CIOs) das empresas deverão prestar atenção aos desafios da nova internet, a chamada web 2.0. O conselho é da empresa de análises Gartner, que apontou os blogs e os podcasts como exemplos das novas tecnologias que irão interferir nos negócios.


Essas inovações estão dando início a uma segunda fase na internet, um momento em que os negócios não podem se limitar a simplesmente estarem online. Para Mark Raskino, pesquisador do Gartner, os podcasts e blogs estão afetando as empresas tanto externamente como internamente.


A recomendação para a atualização quanto a esta nova internet ficou em primeiro lugar no ranking anual de recomendações que a empresa sugere aos CIOs.


"Em 2000, época do estouro da bolha da web, ocorreram grandes mudanças na forma como os negócios usavam a internet. Em 2003, a sensação era que o desafio da web já havia sido superado e controlado. Mas uma nova onda de tecnologias, que está ficando madura agora, oferece um potencial para mais rupturas, afetando a competitividade", explica Raskino.


Uma das características dessa nova fase é a inovação reversa, com as tecnologias alcançando primeiro os consumidores e depois as empresas. As companhias deverão se preparar para não ver uma nova tecnologia sendo lançada em um produto concorrente.


John Mahoney, chefe de pesquisa do Gartner, explica como o esse mercado funciona: "Alguém cria um novo produto simplesmente juntando várias coisas que já existem. Essa simples conexão de idéias cria, em um click, um novo conceito, um novo produto".


"Os CIOs são cada vez mais cobrados para que tenham uma visão de negócios tão aguçada e veloz quanto as transformações nos negócios online", afirma Raskino.


As diretorias das empresas estão informadas sobre as novas tecnologias e se questionam como isso afeta a competitividade, enterrando de vez as estratégias de TI comuns há três ou quatro anos atrás.


Nesse cenário, "o CIO deverá ser a voz da razão", afirma Mahoney. O ranking de recomendações para os CIOs elaborado pelo Gartner é dividido em três categorias, veja:


Táticas de a serem adotadas em 2006 para uma estratégia com foco em 2008:
1. Preparar o seu negócio para a segunda revolução na internet, antes que outros o façam.
2. Avançar na adoção das tendências da "não migração"
3. Trabalhar o lançamento das maiores inovações para o ano de 2008.


Insistência na agilidade do alto comando das empresas:
4. Preparar-se e preparar sua equipe para novos tipos de trabalhos.
5. Iniciar a implementação de uma lógica "software como serviço" em forma de teste e treinamento.
6. Organizar e planejar as possibilidades de fusões e aquisições.


Prosseguir com as táticas de valor, foco e tecnologia nas zonas de conforto de 2005:
7. Revisar a capitalização com seu chief financial officer (CFO).
8. Construir sua marca e seu time
9. Reciclar suas reuniões com seu CFO
10. Verificar as tecnologias mais quentes de 2006


Links:
         http://idgnow.uol.com.br/AdPortalv5[...]=2000004






Governo eleva tetos da "MP do Bem" para micros




Fonte:



SÃO PAULO – O governo aumentou o preço máximo de laptops no varejo para que se beneficiem da "MP do Bem", o que deve baratear os modelos mais simples.

O teto passa dos originais R$ 2.500 para R$ 3.000. Com a isenção de cobrança de PIS e Cofins, o valor dos equipamentos pode cair em cerca de 10%. A novidade foi publicada na edição desta terça do Diário Oficial da União.

A mudança visa adaptar o incentivo fiscal aos preços de mercado. Não havia nenhum notebook no país vendido oficialmente custando até R$ 2.500, mas alguns modelos cabem na nova faixa, como o Dell Latitude 110L (R$ 2.600) e o Amazon AMZ-L51 (R$ 2.950).

A atualização também amplia os benefícios para computadores de mesa, vendidos como solução completa ou por partes. Anteriormente, os incentivos valiam apenas para venda de pacotes com CPU, monitor, teclado e mouse custando até R$ 2.500. A partir de agora, o benefício se estende a CPUs adquiridas isoladamente com valor de até R$ 2.000. Quem quiser comprar CPU, teclado e mouse, pode se beneficiar se o conjunto custar até R$ 2.100. Para pacote incluindo o monitor, o limite de R$ 2.500 não foi alterado.

Leia também:




Paulo Silvestre, do Plantão INFO






IE com Google Desktop deixa micro vulnerável




Fonte:



SÃO PAULO – O hacker israelense Matan Gillon descobriu uma maneira de invadir computadores usando uma falha do Internet Explorer combinada com o Google Desktop.

Gillon descreveu a técnica em um site destinado a hackers, criando inclusive uma página para demonstrar seu conceito. Ele se baseia em um problema no método como o browser importa configurações CSS (cascading style sheets).

O hacker explica que o IE importa qualquer informação que esteja entre parênteses, não verificando se é uma configuração válida de CSS. Combinando isso com o Google Desktop Search, um cracker consegue coletar informações pessoais e mesmo executar remotamente operações no computador de qualquer usuário que navegue pela página.

O problema existe mesmo que o sistema esteja atualizado com todas as atualizações de segurança. "Tudo o que um atacante precisa fazer é induzir um internauta a visitar uma página desenvolvida especificamente para este fim", explica.

O Mozilla Firefox e o Opera não sofrem da vulnerabilidade que afeta o Internet Explorer. O Google disse que investiga o problema. Enquanto isso, sugere que os usuários do Google Desktop Search desabilitem funções de JavaScript no Explorer ou adotem outro navegador. A Microsoft disse que também está trabalhando em uma correção.

Leia mais:




Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Estudante holandês usa GMail como sistema P2P




Fonte:



SÃO PAULO – O estudante holandês Robbie Groenewoudt criou uma maneira de transformar o GMail em um pseudo-sistema de troca de arquivos P2P.

Batizado de G2G Exchange, o sistema de Groenewoudt tira proveito dos 2,5 Gbytes de espaço online do serviço de e-mail gratuito do Google. De uma maneira não prevista pelos seus criadores, ele cria um índice de arquivos que pode ser visto por outros usuários do sistema.

O sistema funciona pela Web e exige que o nome de usuário e a senha do GMail sejam informados. Por isso, o próprio Groenewoudt recomenda a criação de uma conta de e-mail dedicada apenas ao uso com o G2G Exchange. De qualquer forma, o sistema permite que apenas e-mails com um determinado marcador ("label") sejam exibidos aos outros usuários, evitando que correspondências convencionais sejam inadvertidamente compartilhadas.

Para o usuário fazer o upload de arquivos, deve enviar a sua conta do GMail uma mensagem com o arquivo anexo. Vele lembrar que o GMail não permite anexos maiores que 20 Mbytes, o que acaba restringindo a aplicação do G2G Exchange.

O download dos arquivos é feito diretamente dos servidores do Google, e não da máquina de quem os publicou, por isso foge do conceito clássico de P2P (peer to peer), a que se propõe.

O programa ainda está em beta e traz algumas imperfeições que seu criador promete, no site do produto, corrigir. Do seu lado, o Google, que acaba servindo como provedor de espaço para aplicações como essa, não tomou nenhuma iniciativa contrária a elas.

Onde encontrar:



Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Cidade alemã abraça o código aberto




Fonte : noticiaslinux.com.br




A cidade alemã de Mannheim anunciou que está adotando soluções abertas, baseadas no sistema operacional Linux.

http://info.abril.com.br/aberto/infonews/122005/06122005-4.shl

Postada por: Anderson Assumpção <protomorphos.NOSPAM@bol.com.br>








Software livre é tema de debate em conferência da ONU




Fonte : noticiaslinux.com.br




"O impacto do uso de software livre na tecnologia, economia, cultura e comunicação será debatido a partir desta terça-feira (6), na 2ª Conferência Latino-Americana e do Caribe, que reúne até o dia 08, em Olinda, especialistas do Brasil, Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai, Peru e Venezuela."

Leia mais na fonte: http://jc.uol.com.br/2005/12/06/not_102021.php

Postada por: Ricardo Rabelo Mota <ricardorrm*at*ibest.com.br>








Microsoft lança plug-in para Firefox




Fonte : noticiaslinux.com.br




A Microsoft lançou um plugin para o browser Firefox que permite que utilizadores do navegador façam downloads em sites da Microsoft.

Saiba mais: http://www.bitesebytes.com/ind[...]k=view&id=415&Itemid=7








Versão 1.0 do Guia Livre foi lançada em Conferência Latino-americana




Fonte:




Foi lançada nesta segunda-feira, dia 5 de dezembro, no Pernambuco, a versão 1.0 do Guia Livre - Referência de Migração para software Livre do Governo Federal.

Entre as contribuições da nova versão está a incorporação de dicas que tornam mais fácil o processo de migrações. Também traz a estrutura básica para a montagem de planos de migração e um estudo de caso sobre o processo de Migração no Exército Brasileiro, considerado um dos casos mais consistentes do governo.


O lançamento ocorreu durante a Conferência Latino-americana e do Caribe sobre Desenvolvimento e Uso do Software Livre (LacFREE 2005). O evento será de 5 a 8 de dezembro em Recife e Olinda, no Pernambuco, e vai reunir autoridades da área de software livre e companhias da área de tecnologia de mais de oito países.

O Guia Livre já é utilizado como referência nos estados do Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo e o número de cópias baixadas ultrapassa a 50 mil. Depois de divulgar para a Comunidade de Software Livre a versão 1.0 do Guia Livre, está prevista a organização de um lançamento oficial junto ao governo. A versão anterior do documento já foi disponibilizado à Comunidade Brasileira de Software Livre e à Comunidade Latino-americana de Software Livre durante eventos realizados no último ano. A elaboração do Guia Livre, coordenada pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento, foi realizada por grupo de trabalho criado no âmbito dos Comitês Técnicos de Licenças e Sistemas Legados e de Implementação de Software Livre. O processo de redação foi apoiado por especialistas convidados, pela Comunidade Brasileira de Software Livre, e também contou com a participação da sociedade através de consulta e audiências públicas.


Fonte: Governo Eletrônico Brasileiro








Fust Já: Portal do PSL-Brasil junto com CDI, RITS, ADDCom, Ashoka e Avina




Fonte:




Campanha Fust Já! Uma iniciativa do Comitê para Democratização da Informática em associação com a Addcomm, Ashoka, Avina, Projeto Software Livre Brasil (PSL-Brasil) e Rede de Informações do Terceiro Setor. Esta campanha visa articular uma enorme " passeata" virtual para pressionar o Governo Federal a liberar os recursos do FUST.

Em vigor desde agosto de 2000 (lei 9.998), o Fust - Fundo de Universalização de Serviços de Telecomunicações - já tem mais de R$ 5 bilhões acumulados, mas essa verba,


Fust: melhores dias virão?

até hoje, não cumpriu sua finalidade.

Criado para ampliar os serviços de telecomunicações no Brasil, sobretudo nas regiões mais distantes, o Fust também visa implantar redes de comunicação em escolas, órgãos públicos, bibliotecas e instituições de saúde, melhorando o atendimento à população. Entre outras fontes, os recursos provêm do recolhimento de 1% do faturamento bruto das empresas do setor (excluído o ICMS, PIS e Cofins). Quando utilizados em programas, vão ser fiscalizados pela Anatel - Agência Nacional de Telecomunicações.

A demora excessiva na liberação do dinheiro motivou a formação, em 2004, da "Frente Pró-Fust", uma comissão de âmbito nacional que atua na área parlamentar, jurídica, governamental, tecnológica e universitária. Esta ampla mobilização pretende que o saldo do Fundo saia logo das mãos do ministério e seja aplicado nos segmentos a que se destina.

Ocorre, porém, que 90% dos recursos arrecadados estão contingenciados pelo Governo Federal, enquanto os restantes 10% permanecem em programas de educação e saúde, mas praticamente intocados, uma vez que o uso das verbas do Fust esbarra em ações na Justiça (por parte de operadoras de telecomunicações), em movimentos populares e em denúncias veiculadas na imprensa. As notícias dão conta, por exemplo, da existência de irregularidades nas licitações e nos projetos envolvendo as verbas do Fundo.

Autor do livro "As Telecomunicações e o Fust - Aspectos Jurídicos" (2001), o juiz Fernando Botelho chegou a afirmar que não haveria solução possível para o impasse fora do campo judicial. Admitiu que não imaginava tanta demora. "Jamais pude supor que os valores ficariam bloqueados, sem sequer atender a um programa de inclusão digital", disse o juiz aos jornais, assinalando a inconstitucionalidade da posição mantida pelo governo.

Na complicada história do Fust, também o Congresso Nacional já fez a sua parte. Diversos parlamentares manifestaram-se favoráveis ao imediato repasse do montante, alegando que a sociedade deve impedir o desvio da receita do Fundo para outras finalidades, como a de manter o superávit primário (diferença entre arrecadação e gastos) do governo.

A despeito do panorama nebuloso que cerca o Fust, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, anunciou recentemente que as reservas financeiras do Fundo serão mesmo alocadas em projetos de inclusão social. Isto poderá beneficiar centenas de projetos que já vêm sendo desenvolvidos pela sociedade civil, além de viabilizar novas propostas.

Mas, até o momento, nada existe de concreto, confirmando a afirmação do fundador e diretor executivo do Comitê para Democratização da Informática que, ainda em 2003, em entrevista, declarou que o Fust tinha tudo para injetar oxigênio em diversas iniciativas, mas que, até então, não passava de uma frustração.


Fonte: Fust Já








Carlos Afonso lanca dia 13/12, no Rio de Janeiro livro sobre Governanca da Internet




Fonte:




Lancamento do livro sobre o debate da Governanca da Internet, dentro os autores, Carlos Afonso, membro eleito pela sociedade civil para o Comite Gestor da Internet no Brasil. Confira nesta terca-feira, no Rio de Janeiro.

" É com satisfação que a RITS - Rede de Informações para o Terceiro Setor - vem convidar você para o lançamento do NUPEF - Núcleo de Pesquisa, Estudos e Formação da RITS.


O NUPEF foi criado com o objetivo de organizar e promover de forma substantiva a pesquisa, a disseminação de conhecimento, a formação e qualificação de pessoas nas várias áreas e temas relativos ao universo da sociedade civil frente aos novos desafios impostos pelas dinâmicas da sociedade da informação e comunicação.

Na data de seu lançamento, o NUPEF apresenta sua primeira realização: o livro

Governança da Internet, Contexto, impasses e caminhos

organizado por Carlos Alberto Afonso, com colaboração de outros autores como Marcelo Sávio, Henrique Luiz Cukierman, Ivan da Costa Marques e a equipe do Internet Governance Project, da Universidade de Syracuse, nos Estados Unidos. Haverá debate sobre o tema do livro, com a presença dos autores - Carlos Afonso, Marcelo Sávio e Henrique L. Cukierman - e de Demi Getschko, conselheiro do Comitê Gestor da Internet no Brasil.

Esperamos contar com sua presença para o debate e para o coquetel de lançamento, no dia 13 de dezembro, a partir das 19 horas, na Fundação Casa de Rui Barbosa - Rua São Clemente, 134 - Botafogo. Há estacionamento no local.


Fonte: Carlos Afonso








Deu na Receita Federal:Teste o programa IRPF2006




Fonte:




A Secretaria da Receita Federal disponibiliza a versão teste do programa IRPF2006, Windows e Java, para que os interessados possam conhecer o aplicativo com antecedência, detectar eventuais inconsistências e fazer propostas para que o aplicativo atenda cada vez mais aos usuários. As críticas e sugestões devem ser encaminhadas para o endereço irpf2006teste@receita.fazenda.gov.br até o dia 15/12/2005.

IRPF2006 Versão Windows IRPF2006 Versão Java


Fonte: Receita Federal









Deu no Br-Linux:Software Livre na Prefeitura de Fortaleza




Fonte:




“Com muita satisfação, acabo de ler no sitio da Fundação Demócrito Rocha - www.fdr.com.br/linux, uma notícia sob o título acima e assinada por Ivonísio Mosca de Carvalho Filho(*), divulgando o seguinte: "A Prefeitura de Fortaleza pretende fornecer os elementos para que o Software Livre seja uma apropriação criativa dos diferentes grupos sociais que constroem a Fortaleza Bela, de forma que possamos colocar o Linux a serviço da participação cidadã e ...


...da construção de uma sociedade mais justa e solidária. Lutamos por uma Fortaleza onde todas as pessoas tenham oportunidade de construirem suas realidades digitalmente. A exclusão digital veio somar mais uma nova dimensão às diversas desigualdades existentes: a do acesso desigual às tecnologias da informação e da comunicação. Apesar de a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, em vigor deste 1996, já preconizar a necessidade da "alfabetização digital" em todos os níveis de ensino, do fundamental ao superior, o censo escolar do Ministério da Educação (MEC), realizado em 1999, revelou que apenas 3,5% das escolas de ensino básico tinham, naquele ano, acesso à Internet, e cerca de 64 mil escolas do País não tinham sequer energia elétrica..." (*) Assessor de Informática da Secretaria de Planejamento e Orçamento do Município de Fortaleza (SEPLA), Diretor de Informática do Sindicato de Processamento de Dados e Informática do Ceará (SINDPD-CE), Gerente de Sistemas da Santa Casa de Miswericórdia de Fortaleza e membro do grupo cearense de usuários Slackware (GUS-CE).

Vejo no conteúdo da Informação divulgada a determinação de incrementar a cultura dos conhecimentos, a todas as classes sociais, indistintamente, na forma mais viável e econômica para o avanço tecnológico. Essa atitude coaduna com os meios que possam estar disponíveis e/ou estejam sendo elaborados, como, por exemplo o Projeto do Prof. Negroponte "Um Laptop por aluno". Pena que nem todos os governantes pensem "grande", assim, permanecendo indiferentes aos bolsões de ignorância que tanto flagelam nosso povo e têm aprisionado, principalmente os nossos curumins, neste estado de escravidão, sofimento, miséria e falta de perspectivas de progresso. Mas nós podemos mudar isso, seja apoiando, divulgando e incentivando inciativas como essa, atuando junto aos nossos governantes, principalmente os mais próximos, nas nossas comunidades e Municípios. ” A nota foi enviada por Profano (loureiroirΘclick21 com br) , que enviou este link para mais detalhes.


Fonte: Br-Linux








quarta-feira, dezembro 07, 2005

Claro terá celulares com Linux em 2006




Fonte : noticiaslinux.com.br




A Claro está avaliando a oferta de aparelhos celulares com sistema operacional Linux, principalmente para aumentar o leque de opções ao mercado corporativo. "Recebemos propostas de alguns fabricantes, mas não decidimos ainda os modelos", conta Roberto Guenzburger, diretor de marketing da Claro. O objetivo da operadora, segundo o executivo, é garantir a oferta de todos os sistemas operacionais ao mercado.

A Claro também está pensando em trazer ao País no ano que vem os smartphones Blackberry, hoje comercializados aqui apenas pela TIM. "Temos uma demanda corporativa forte por esse tipo de produto que simplesmente não podemos deixar de atender", conta o diretor.

De acordo com dados da empresa, as vendas da operadora cresceram 38,6% no interior de São Paulo. Além disso, o portal de serviços da operadora, o Claro Idéias, também gerou mais do que o esperado. De setembro de 2004 a outubro de 2005, o portal totalizou 1,2 bilhão de torpedos, 18 milhões de fotos enviadas via MMS e 46 milhões de downloads.

Na área corporativa, a Claro fechou o ano com mais de 25 mil postos de telemetria - para uso com cartões de crédito - e uma frota de 45 mil veículos utilizando soluções de rastreamento.

Para 2006, segundo Guenzburger, um dos focos de investimento da Claro será a área de música. Para isso, a operadora já fechou vários contratos com as principais gravadoras. Além disso, a meta é estender acesso baseado em Wi-Fi também aos usuários domésticos.

Fonte: http://idgnow.uol.com.br/AdPor[...]=138966&ChannelID=21080240

Postada por: Anderson Assumpção <protomorphos[ARROBA]bol.com.br>










LACFree: Voz Sobre IP em Software Livre




Fonte : noticiaslinux.com.br




É com imensa satisfação que lhes convidamos a participar da palestra 'Voz Sobre IP em Software Livre' a ocorrer no dia 08 de dezembro em Recife, no LacFREE 2005.

O palestrante será Armando Karin, 40 anos, 20 anos de experiência na área de tecnologia e serviços. É Sócio Fundador da OKscm, empresa provedora de VoIP, onde atua como CTO (Chief Technology Officer), sendo responsável por toda a equipe de TI – Tecnologia da Informação. Tem buscado soluções para telefonia IP, aumento de desempenho em plataformas de VoIP, e em uso e desenvolvimento de Software Livre para soluções em tecnologias para Voz sobre IP. Além disso, elabora estratégias de migração para implantação do Sistema Operacional Linux nas estações de trabalho da empresa.

Para aqueles que queiram se informar mais sobre o LacFREE, acessem o sítio http://www.lacfree2005.org

Contamos com a participação de vocês.

Abaixo temas que serão abordados na palestra:

1. Asterisk
2. SER - SIP Express Router
3. NAT - Network Address Translator
4. OKSCM - Estrutura Técnica:

Saudações,

Organização LACFree.

Postada por: Lucius Curado <shakuhashi EM gmail.com>










LACFree: Voz Sobre IP em Software Livre




Fonte : noticiaslinux.com.br




É com imensa satisfação que lhes convidamos a participar da palestra 'Voz Sobre IP em Software Livre' a ocorrer no dia 08 de dezembro em Recife, no LacFREE 2005.

O palestrante será Armando Karin, 40 anos, 20 anos de experiência na área de tecnologia e serviços. É Sócio Fundador da OKscm, empresa provedora de VoIP, onde atua como CTO (Chief Technology Officer), sendo responsável por toda a equipe de TI – Tecnologia da Informação. Tem buscado soluções para telefonia IP, aumento de desempenho em plataformas de VoIP, e em uso e desenvolvimento de Software Livre para soluções em tecnologias para Voz sobre IP. Além disso, elabora estratégias de migração para implantação do Sistema Operacional Linux nas estações de trabalho da empresa.

Para aqueles que queiram se informar mais sobre o LacFREE, acessem o sítio http://www.lacfree2005.org

Contamos com a participação de vocês.

Abaixo temas que serão abordados na palestra:

1. Asterisk
2. SER - SIP Express Router
3. NAT - Network Address Translator
4. OKSCM - Estrutura Técnica:

Saudações,

Organização LACFree.

Postada por: Lucius Curado <shakuhashi EM gmail.com>










Disponível Firefox 1.5 pt-BR




Fonte : noticiaslinux.com.br




á está disponível em http://www.mozilla.com/firefox/ a versão em Português do Brasil do Firefox 1.5

Postada por: Diniz Fernando Bortolotto Ferreira <diniz.bb{at}gmail.com>










Macromedia procura programador Linux para o Flash Player




Fonte : noticiaslinux.com.br




Conforme podemos ler no endereço a seguir, a Macromedia está procurando engenheiros de software para a posição de desenvolvedor de seu player Flash para Linux.

Confira: http://www.macromedia.com/macr[...]r/reqs/engineering/2907br.html










Macromedia procura programador Linux para o Flash Player




Fonte : noticiaslinux.com.br




Conforme podemos ler no endereço a seguir, a Macromedia está procurando engenheiros de software para a posição de desenvolvedor de seu player Flash para Linux.

Confira: http://www.macromedia.com/macr[...]r/reqs/engineering/2907br.html










Macromedia procura programador Linux para o Flash Player




Fonte : noticiaslinux.com.br




Conforme podemos ler no endereço a seguir, a Macromedia está procurando engenheiros de software para a posição de desenvolvedor de seu player Flash para Linux.

Confira: http://www.macromedia.com/macr[...]r/reqs/engineering/2907br.html