O Mundo do Software Livre muito além do Linux! (Notícias e Dicas)

Aúncio


sábado, fevereiro 25, 2006

Como a mídia ataca a liberdade.




Fonte:


Software x direitos autorais






Pedro Antônio Dourado de Rezende
professor de Ciência da Computação da Universidade de Brasília (UnB), coordenador do programa de Extensão Universitária em Criptografia e Segurança na Inoformática da UnB, ATC PhD em Matemática Aplicada pela Universidade de Berkeley (EUA), representante da sociedade civil no Comitê Gestor da Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil)





A Gazeta Mercantil de 21.12.2005 nos brinda, em matéria assinada por Carlos Eduardo Valim, com ilações que nos levam a indagar sobre o papel atual do jornalismo corporativo. A matéria assim começa:

"A Microsoft, a maior vendedora global de licenças de software, reforça sua defesa da criação de software como direito autoral. Isso implica que as licenças de uso sejam tratadas como uma cessão de propriedade intelectual. Segundo o gerente de programas acadêmicos da Microsoft Brasil, Rogério Panigassi, esse nem sempre é o entendimento do tema no Brasil e a empresa deve incentivar o registro de patentes de software"

Não é preciso ir muito longe para entender por que, no Brasil, nem todos entendam que "licenças de uso [de software] sejam tratadas como cessão de propriedade intelectual". Primeiro, porque o termo "propriedade intelectual" é demasiadamente ambíguo. Serve apenas para ensacar com um mesmo rótulo uma gama de jurisdições distintas, que têm em comum apenas o fato de seus objetos serem bens intangíveis, de natureza simbólica.

O termo serve, portanto, apenas para dificultar a compreensão do que, exatamente, se pretende dizer. Seria o direito autoral, que protege uma obra intelectual -- como o software -- através de licença de uso? Seria o direito industrial, que protege uma invenção através de patente? Seria o direito marcário, que protege marcas de produtos? Na citação acima, as duas primeiras são referenciadas na mesma sentença.

Mas qual seria a diferença entre as duas coisas referidas (obra intelecutal e invenção), em se tratando de software? A pergunta é importante porque não se espera, de um leitor de jornal dedicado à economia, um compreensão profunda do Direito. Seria o software uma obra intelectual, protegível pelo direito autoral, ou seria o software uma invenção, protegível por patente?



Lei Claríssima

Quando uma empresa multinacional que vende licenças de uso de software reforça, num jornal sobre economia, a defesa de suas criações com amparo no direito autoral, ela se conforma ao correspondente ordenamento jurídico Brasileiro, insculpido na Lei 9609 de 1998, cujo artigo 2° reza:

"O regime de proteção à propriedade intelectual de programa de computador é o conferido às obras literárias pela legislação de direitos autorais e conexos vigentes no País, observado o disposto nesta Lei."

E cuja leitura conduz, naturalmente, o leitor interessado em superar o "desentendimento" brasileiro sobre o tema a indagar: Seria o registro de patentes de software um direito conexo ao direito autoral para softwares?

A lei que rege o registro de patentes no Brasil é a Lei 9279 de 1996 (Lei de Propriedade Industrial). Essa lei é claríssima com relação à supracitada indagação: Seu artigo 10° excetua, expressamente, da patenteabilidade os "programas de computador em si" (inciso V), "concepções puramente abstratas" (inciso II) e "métodos matemáticos" (inciso I), como os algoritmos (concepção lógica abstrata subjacente a um programa de computador, tal qual entendido pela Ciência da Computação).




Sujeitos invertidos

Portanto, quando, na mesma sentença em que se defende (não fica claro contra o quê) pela lei de direito autoral, a microsoft incentiva aquilo que o contexto denota como violação da lei brasileira de propriedade industrial (afinal, ela vende licenças de programas de computador "em si", como se pode ler nas suas próprias licenças), cabe levantar o próximo ponto: Seria o tal "desentendimento" brasileiro algo induzido pelo uso reiterado e incauto de termos excessivamente ambíguos, como por exemplo, "propriedade intelectual"? Pergunta que nos leva à frase seguinte da citada matéria:

"A defesa indica mais um capítulo no combate da empresa de Seattle à postura dos defensores do software livre, que advogam a abertura do código para serem adaptados por qualquer pessoa."

É difícil imaginar uma afirmação que possa, nesse contexto, ser mais enganosa a respeito da postura dos defensores do software livre.

Defensores do software livre não advogam a abertura de código de quem não deseja abrir o seu. O que eles advogam é o respeito à licença com que autores de software livre distribuem suas criações. Se as licenças da microsoft têm caráter amplamente restritivo, tratam seu objeto como bem rival, e estruturam a base rentista dos seus modelos negociais com efeitos aprisionantes, e se as licenças livres cedem desonerosamente amplos direitos de usufruto e difusão, tratam seu objeto como bem não-rival, e restringem só o necessário para proteger o caráter livre dessa difusão, a pergunta que cabe é: qual desses tipos de licença é legal? A resposta é: ambos.

Ambos tipos de licença se amparam no mesmo núcleo do direito autoral, em regimes jurídicos aderentes à convenção de Berna, firmada por centenas de países incluindo o Brasil e os EUA. Além disso, com quinze anos de uso não se conhece uma só sentença judicial que declare ilegal uma licença livre. Assim, dado o contexto, não se pode entender esse "capítulo no combate da empresa de Seattle à postura dos defensores do software livre" senão como insinuação de que esses defensores ou querem se meter nos negócios dessa empresa, ou violar a Lei. Ambas falsas, a menos que se invertam os sujeitos na frase, como veremos.




Confusão acidental?

A adesão de um autor de software ao regime de licenciamento livre subentende, como já dito, a decisão de tratar um bem não-rival (seu software) como bem não-rival. Isto significa que se o autor lhe der uma cópia do software, ele continua com o mesmo software. E se você me der uma cópia da sua cópia, continua podendo usufruir da sua. E eu da minha, e esse fato tem importância na formação de uma base rentista para o regime de código aberto, em moldes diferentes daquela.

Se tal decisão causa estranheza a quem sempre lucrou com a decisão oposta, subentendida no regime proprietário, particularmente a quem não entende como e por que ela leva à produção de softwares de qualidade, capazes de competir com equivalentes proprietários no grande filão do mercado (o segmento corportativo), inclusive com a adesão de empresas tão poderosas como a microsoft, seria mais sadio e produtivo ao comunicador tentar entender o fenômeno do que denegrir com falácias o regime concorrente, confundindo ainda mais o público leigo.

O que nos leva ao próximo ponto: Seria acidental a confusão espalhada pelas poucas linhas aqui citadas, fruto de deslizes de um jornalismo superficial e apressado? Ou seria proposital, peça que se encaixa numa estratégia midiática maior, de espalhar medo, incerteza e dúvida nos mercados e na opinião pública na tentativa de manter, a qualquer preço, modelos negociais que obsolescem com a hiperconectividade crescente dessa nossa sociedade em rede?




Ameaças claras

Em relação ao incentivo à violação da Lei de propriedade industrial brasileira, o padrão é claro. Induzir interpretações falaciosas e fantasiosas da Lei, não só na opinião púbica, mas principalmente, no organismo do Estado responsável pelo registro de patentes, para depois municiar lobbies junto ao poder legislativo, pela "adequação" da Lei à "realidade". Como feito e fartamente documentado na União Européia, e em estudo apresentado na II Conferência Latino-americana e do Caribe sobre Desenvolvimento e Uso de Software Livre da UNESCO, em dezembro passado.

Em relação a práticas negociais e dispositivos abusivos em licenças, à luz do direito autoral e ordenamento jurídico vigentes, os fatos falam por si. Como ilustra mais essa passagem na citada matéria:

"De acordo com as leis truibutárias, o Brasil entende o software ora como produto, ora como serviço, mas nunca como conteúdo protegido por direito autoral -- como um livro, que o comprador não pode reproduzir e alterar o conteúdo -- explica um dos estudiosos" [no livro que a Microsoft financiou e que a matéria divulga].

Uma coisa é a Lei que protege o autor de software contra uso indenvido de sua obra, outra coisa são as leis que protegem a sociedade e o Estado contra sonegadores de tributos na exploração comercial dessa obra. Tais leis não se conflitam nem se excluem, sendo que a primeira (Lei 9609 de 1998) se baseia explicitamente, como já citado, no direito autoral "conferido às obras literárias".

Essa passagem é infeliz não apenas por tão disparatada falaciosidade, mas também pela enganosa caracterização do exemplo que oferece. Se conteúdos de livros não podem mais ser reproduzidos parcialmente e alterados recombinadamente pelo intelecto dos leitores, é melhor abandonarmos a cultura da escrita e voltarmos à oralidade de 6 mil anos atrás. No mais, o direito autoral permite, sim, que o editor de um livro autorize, a seu critério no próprio livro, a reprodução completa do seu conteúdo. Deve haver motivos para tanta confusão.

As políticas de "defesa dos interesses americanos" incluem os das multinacionais que financiam campanhas políticas nos EUA, dentre as quais a microsoft. E eis que em outubro passado o governo sul-coreano, tendo aberto investigações sobre alegadas práticas monopolistas predatórias da empresa, foi por ela ameaçada, com a intermediação até de Henry Kissinger. Se o resultado da investigação não agradar à empresa, ela poderá "retirar" suas licenças "do mercado" sul-coreano.

Ná prática, a chantagem faz sentido. As 16 portas de fundo do Windows XP, ali entranhadas sob o pretexto de permitir à empresa "gerenciar sua propriedade intelectual", podem ser usadas para implodir a infraestrutura digital sul-coreana baseada nesse sistema operacional. Não no sentido físico em que o Veículo Lançador de Satélites brasileiro implodiu em 2003 em Alcântara, mas em sentido virtual, que pode, entretanto, ser tão ou mais catastrófico. Algumas licenças da empresa, como a do FrontPage 2002 por exemplo, trazem claro gancho para tais ameaças:

"You may not use the Software in connection with any site that disparages Microsoft, Microsoft Network, The news services Microsoft NBC, Expedia, or their products or services ... "





Intimidação e extorsão

Para entender a reação da empresa contra a Coréia do Sul, desproporcional em relação a condenações que transitam ou já transitaram em julgado noutras jurisdições por acusações semelhantes (a folha corrida da empresa tem várias páginas), talvez ajude conhecer o interesse, e as razões, do governo sul-coreano em promover o uso e o desenvolvimento de software livre.

Contra o Brasil, o governo dos EUA vetou recentemente a venda de aviões da Embraer à Venezuela, por conta de licenças parecidas com a do XP, de softwares proprietários embarcados na eletrônica do Tucano. A julgar pelas reações, Brasil e Coréia do Sul devem ter motivos para levar a sério suas atuais políticas de informática, em defesa da autonomia tecnológica e soberania semiológica no mundo de hoje. E não se iludam os vassalos neoliberais, pois a passividade diante dele não garante melhor tratamento.

Matéria do jornal El Diario (eletrônico) nos informa de uma ação judicial cujos autos revelam táticas ilegais com que a microsoft e outras empresas monopolistas de software proprietário, e/ou suas filiais, intimidavam para extorquir grandes clientes no México. Teriam até falsificado provas e testemunhos para acusar de pirataria uma das maiores empresa de contabilidade do país, a CCC. Pelo que o Tribunal Superior de Justiça do Distrito Federal (TSJDF) do México lavrou, em 12 de dezembro passado, sentença cível no valor de 90 milhões de dólares, em favor da CCC.





Para acudir leitores

Vassalando ou não o vizinho império, o México parece mesmo atrair abusos de multinacionais lá sediadas. Na edição de 15.2.2006, a revista Carta Capital relata, na matéria "O Imperialismo da grosseria", que o Hotel Maria Isabel Sheraton, um dos mais luxuosos da capital mexicana, acatou ordem de Washington à matriz e expulsou uma delegação de 16 cubanos que iriam ali participar de um encontro com empresários do setor energético, e ainda lhes confiscando o pagamento que haviam adiantado pela estadia. A matéria encerra com o seguinte comentário:

"Só falta bloquear os computadores de quem ousa usar softwares Microsoft ou Apple para criticar políticas de Washington."

Carta Capital deve ter de pronto recebido um e-mail, remetido à seção "cartas de leitores", comentando que, pelo andar das carruagens coreana e brasileira, não falta muito. Mas o comentário não foi publicado no número seguinte. Foi publicado, na contracapa, propaganda da microsoft. Apesar de me parecer a melhor revista impressa no Brasil, entendo que Carta Capital tenha lá suas prioridades.

Desta sorte, para acudir leitores interessados em superar o "desentendimento" brasileiro nessa estória de licença de uso, direito autoral, patentes, propriedade intelectual e software livre, e também do que está mesmo em jogo com tudo isso, recorremos ao Observatório da Imprensa e a outros veículos independentes. Ainda bem que ainda os temos!









quinta-feira, fevereiro 23, 2006

Sol7 lança solução de Business Intelligence com Software Livre




Fonte : noticiaslinux.com.br




A Sol7-Tecnologia de Decisão, empresa incubada na INOVATES - Incubadora Empresarial da UNIVATES, lança o Sol7-BI, uma solução de Business Intelligence totalmente baseada em Software Livre.

O Sol7-BI é o resultado da integração de algumas das melhores ferramentas de Business Intelligence disponíveis em Software Livre, com o intuito de suprir uma carência do mercado por uma solução completa de BI, com menor custo e sem a necessidade de aquisição de licenças de software.

Dentre as soluções contempladas pelo Sol7-BI, podemos destacar as seguintes:
  • Data Warehouse: Possuir um grande volume de dados sobre a empresa é muito importante. Mas transformar estes dados em informações úteis pode representar um diferencial no mercado.

  • OLAP: Uma ferramenta analítica que permite que a mesma informação seja visualizada de diferentes formas é muito importante na hora de tomar decisões.

  • Relatórios: São sempre importantes e cruciais para tomar decisões pois sintetizam grande quantidade de informação.

  • Painéis: Uma interface que permite o acompanhamento e fornece uma avaliação rápida e de fácil visualização do status de um determinado processo.

  • Data Mining: A mineração de dados e é o processo de busca de informações ainda não conhecidas, desta forma pode adiantar cenários futuros e agregar conhecimento a organização.


Mais informações podem ser obtidas em http://www.sol7.com.br ou através do e-mail contato@sol7.com.br.

Postada por: Mauricio de Castro <mcastro.NOSPAM@NOSPAM.sol7.com.br>










Disponível grade do Codebreakers Meeting




Fonte : noticiaslinux.com.br





Está disponível a grade do evento Codebreakers Meeting, evento que tratará questões de exploração de vulnerabilidades. O evento acontecerá no próximo dia 04 de Março em São Paulo, onde abordará técnicas "zero days".

Veja detalhes em: http://www.codebreakers.com.br/gradecb.html

Postada por: Marcio Garcia <p0sitron[em]codebreakers.com.br>









Lançado o FeniX Livecd 2.0




Fonte : noticiaslinux.com.br




A Versão FeniX LiveCD 2.0, foi lançada. Vale a pena queimar uma mídia para conhecê-la, pois este cd é inteligente. Detecta todo o hardware sozinho e ainda por cima percebe se a máquina tem baixa memória e capacidade de processamento, se isto ocorrer ele ajusta a interface que irá entrar.

Se desejar baixar a versão instalável no Hard Disk entre no site http://www.sistemafenix.com.br e clique em download.

Baixe aqui: ftp://ftp.las.ic.unicamp.br/pub/fenix/FeniX-Livecd-2.0b.iso

Postada por: Ivo Gilberto <tech1hard(NOSPAM)yahoo.com.br>










Sourceforge e Gnome anunciarão suporte ao Subversion




Fonte : noticiaslinux.com.br




A equipe do Sourceforge deverá anunciar até o fim desta semana o suporte a Subversion para TODOS os projetos. O período de testes acabou.

E parece que o projeto Gnome decidiu converter todos seus módulos de CVS em repositórios SVN. De acordo com os planos, o repositório CVS será definido como somente-leitura à meia-noite do dia 18/03/2006 e a migração para o SVN começa.
http://mail.gnome.org/archives[...]st/2006-February/msg00027.html

A equipe do Subversion está preocupada com o efeito Slashdot, ao provavelmente serem noticiados estes fatos.

Para aprender sobre o Subversion, use o SvnBook: http://svnbook.red-bean.com/

Fonte: http://subversion.tigris.org/s[...]dMsg?list=dev&msgNo=112667











Windows bate Unix pela 1ª vez




Fonte : noticiaslinux.com.br




Segundo o site IDG Now pela primeira vez servidores Windows superaram equipamentos com Unix, em vendas.
Realmente o mundo está se reduzindo a os dois principais sistemas operacionais Linux e Windows, a briga está ficando cada vez melhor.
Mas o Linux teve um crescimento de 1,6 bilhão de dólares crescendo 20,8% ao ano e o Windows cresce 4,7% ao ano.

Mais na fonte: http://idgnow.uol.com.br/AdPor[...]49F8C034&ChannelID=2000002









terça-feira, fevereiro 21, 2006

Paraíba será sede do Encontro Nordestino de Software Livre




Fonte : noticiaslinux.com.br




João Pessoa irá sediar entre 12 e 14 de maio o I Encontro Nordestino de Software Livre onde são esperadas mais de 1500 pessoas.

Em votação realizada há pouco entre os representantes de seis dos nove estados nordestinos, a capital paraibana, João Pessoa, foi escolhida por maioria absoluta como a primeira sede do Encontro Nordestino de Software Livre, evento itinerante que pretende a cada ano, discutir em um estado nordestino as melhores formas de fortalecer o software livre na região.

O encontro será realizado simultaneamente com o I ENSOL - Encontro de Software Livre da Paraíba, entre os dias 12 e 14 de Maio de 2006. Com esta escolha a comunidade de software livre da Paraíba pretende realizar um dos maiores eventos de software livre que o nordeste brasileiro já viu. "Vamos mostrar que não somos somente praias, sotaque diferente e balanço de corpo, mas principalmente que estamos participando ativamente das mudanças sociais que o software livre proporciona para toda a sociedade" comenta Anahuac de Paula Gil, um dos coordenadores do I ENSOL e membro do GLUG/PB - Grupo de Usuários Gnu/Linux da Paraíba.

Com uma previsão de mais de 1.500 participantes e há 80 dias do evento com mais de 300 inscritos, grupos de usuários, estudantes, professores, empresários e toda a comunidade nordestina se mobiliza para a participação em mais de 50 palestras técnicas e sociais que irão acontecer dentro das dependências da UFPB - Universidade Federal da Paraíba no começo de maio. Entre os palestrantes já confirmados estão:
  • Júlio Cézar Neves, um dos maiores conhecedores de Shell Script do país,

  • Marcos Mazoni, presidente da Celepar,

  • Sérgio Amadeu da Silveira, ex-presidente do ITI

  • e Jansen Sena, presidente da Comunidade Sol de Manaus/AM.


Além destes representantes nacionais,
  • Rodolfo Pilas, presidente do grupo de usuários do Uruguai, Timoty Ney (Gnome Foundation)

  • e Henri Bergius (DBE-Finlândia)

Também estarão na "terra onde o sol nasce em primeiro".

Caravanas dos estados nordestinos já estão sendo organizadas e para participar tanto do I Encontro Nordestino de Software Livre quando do I ENSOL - Encontro de Software Livre da Paraíba é necessário fazer a inscrição no site dos eventos em http://www.ensol.org.br. Para aqueles que pretendem submeter palestras à serem apresentadas durante os dois eventos, as inscrições estão abertas até 16 de abril . O valor da participação são 3 quilos de alimentos não perecíveis (5 para não estudantes) que serão doados para instituições carentes.

Postada por: Anahuac de Paula Gil <anahuac*_EM_*anahuac.biz>







ABES e Assespro, incompetentes quando o assunto é Software Livre




Fonte : noticiaslinux.com.br




A ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) e a a Assespro (Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Software e Internet) pediram ao Supremo Tribunal Federal para serem conselheiros sobre a constitucionalidade de se preferir Software Livre no governo.

Ricardo Bánffy, articulista do site Webinsider, comenta a petição e mostra a total incompetência dessas associações quando o tema é software livre.

Você pode ler o artigo em: http://webinsider.uol.com.br/vernoticia.php/id/2735








Livro: LDAP - Um Guia Prático




Fonte : noticiaslinux.com.br




Neste livro o autor, Clóvis Sena, aborda o que vem a ser o LDAP e como ele pode beneficiar sua empresa, como integrar redes Windows/Linux usando OpenLDAP (já existente), autenticação de estações Linux usando um já existente MS Active Directory (instalando Services For Unix e AD4UNIX), montagem de catálogo de endereços de e-mail (no Thunderbird, Outlook, etc) usando LDAP, além de integração do Samba com LDAP.

Essa abordagem de integração Windows<->OpenLDAP e Linux <->MS Active Directory é muito interessante para possibilitar uma migração para software livre sem transtornos. O autor deixa tudo bem claro com inúmeros screenshots e arquivos de configuração completos ao decorrer do livro.

Disponível em:


Postada por: Eduardo Bacchi Kienetz <eduardo@NOSPAM.noticiaslinux.com.br>








Distribuição para criar distribuições




Fonte : noticiaslinux.com.br




A distribuição Dreamlinux traz a possibilidade de o usuário criar a sua própria distribuição Linux.

Para saber mais acesse:
http://info.abril.com.br/aberto/infonews/022006/14022006-7.shl
http://www.dreamlinux.com.br/saiba-tutor.html








A nova versão do Firefox sairá em 04 de abril




Fonte:




A nova versão do Firefox sairá em 04/abr. A programação de desenvolvimento do Firefox e Thunderbird 1.5.0.2 e do Firefox 1.0.8, no link abaixo mostra as principais etapas para o desenvolvimento: Desenvolvimento, Garantia de Qualidade, Configuração e a RC Comunidade. Há muito trabalho a ser realizado na programação de nível tão elevado, as últimas alterações são correções de bugs, no período de teste da RC comunidade, etc. http://wiki.mozilla.org/Firefox:1.5.0.2:Schedule Enviado por Furusho



Fonte: Mozilla









Microsoft reconhece falha em driver do Windows XP




Fonte:



SÃO PAULO – A Microsoft confirmou que um bug não corrigido no driver USB do sistema operacional Windows XP com Service Pack 2 eleva o consumo de energia do computador quando algum dispositivo está conectado a esse drive.

A falha é percebida em notebooks, já que o bug faz a bateria terminar mais rápido. De acordo com a empresa, a falha, que se localiza no driver ACPI (Advanced Configuration and Power Interface) do Windows XP SP2, ainda não tem correção. O ACPI faz parte do sistema de gerenciamento de energia para portas USB 2.0.

A Microsoft não quis divulgar data para colocar à disposição dos usuários um arquivo de correção, mas adiantou que é possível que o arquivo esteja presente no próximo pacote mensal de correções da Microsoft.



Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






Google Desktop volta a ser alvo de críticas




Fonte:



SÃO PAULO – A empresa de consultoria em tecnologia, a americana Gartner, alertou seus clientes corporativos para o risco que representa utilizar o software Google Desktop 3.0.

Na opinião da Gartner, o mecanismo fere regras de confidencialidade das informações e coloca dados estratégicos das empresas em risco.

O produto da Google na versão 3.0 oferece o recurso de fazer buscas em computadores remotamente. A conveniência é que o usuário pode acessar seus arquivos mesmo que não esteja em sua máquina. O risco, de acordo com a Gartner, é que a proteção oferecida é frágil e dados confidenciais ficariam vulneráveis a crackers nos servidores do Google.

A Gartner avalia que as empresas devem usar, no máximo, o Google Desktop for Enterprise, ferramenta específica para clientes corporativos que possibilita bloquear as buscas em computadores remotos.

Há uma semana, o produto para uso individual foi criticado pela EFF (Electronic Frontier Foundation). De acordo com a Fundação, os dados do desktop do usuário ficam acessíveis para funcionários do Google, o que representa um risco de privacidade.

A EFF teme que o Google, pressionado por órgãos governamentais, possam repassar informações de uso privativo dos usuários para departamentos de investigação. Recentemente, o Google sofreu pressões do governo dos EUA para repassar informações coletadas em seu sistema de buscas.

Leia também:





Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






PalmOS não terá nova versão




Fonte:



SÃO PAULO – A empresa japonesa Access, que comprou a PalmSource, anunciou em evento de tecnologia na Europa que não atualizará mais o sistema operacional PalmOS.

De acordo com um porta-voz da empresa, a companhia prepara-se para lançar uma nova geração de sistemas baseados em Linux e não pretende desenvolver novas versões além do atual PalmOS 5.

A companhia explicou que os próximos Palms lançados com o novo sistema serão compatíveis com os atuais aplicativos disponíveis para PalmOS.


Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






Vodafone quer levar Google para celulares




Fonte:



SÃO PAULO – A companhia Vodafone anunciou, nesta quinta-feira (16), que trabalha para oferecer aos seus clientes europeus uma adaptação do mecanismo de busca Google nos aparelhos móveis da companhia.

Um porta-voz da operadora anunciou a intenção da companhia de colocar à disposição de seus usuários a ferramenta de buscas durante evento de telecomunicações, que ocorre esta semana na Espanha. O serviço, batizado de Vodafone Live permitiria aos usuários fazer buscas pelo celular em toda a internet.

De acordo com agências internacionais de notícias, executivos da Vodafone estudam lançar o serviço, inicialmente, de modo gratuito. O objetivo da operação seria fidelizar os usuários da Vodafone ao oferecer-lhes uma “experiência móvel” mais elaborada.

Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






Google compra empresa de análise de blogs




Fonte:



SÃO PAULO – O Google confirmou, nesta quarta-feira 15, que adquiriu a empresa Measure Map, companhia que analisa o uso e o tráfego dos diários virtuais na rede. O Google não informou os valores da negociação.

Segundo a Measure Map, existem cerca de 28 milhões de blogs ativos na web, um mercado potencial a ser explorado pelo Google. As ferramentas da Measure permitem medir a audiência dos diários, número de atualizações o comportamento de quem visita os blogs.

Atualmente, criadores de blogs podem acessar uma ferramenta gratuita da Measure Map que possibilita rastrear visitas a suas páginas.


Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






Varejo recebe R$ 34,5 milhões para PC popular




Fonte:



SÃO PAULO – 0 BNDES anunciou, na terça-feira (14), a liberação de R$ 34, 5 milhões para financiar a venda de computadores populares a consumidores de baixa renda e pequenas empresas.

Cada PC popular, como é chamado o projeto, vai custar R$ 1400 e poderá ser financiado com juro máximo de 3% ao mês. A maior beneficiária dos recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) será a rede Magazine Luiza, que receberá R$ 30 milhões para financiar a venda dos PCs.

As outras empresas credenciadas pelo banco para receber a verba são o Pão de Açúcar (R$ 2,4 milhões), o canal de compras Shoptime (R$ 434 mil) e o site de vendas Americanas.com (R$ 1,7 milhão). Os recursos são suficientes para financiar a venda de 22 mil computadores. A meta do projeto, no entanto, é possibilitar a venda de sete milhões de PCs nos próximos três anos.

Os computadores serão fabricados pela Positivo Informática, uma das três empresas credenciadas pelo BNDES para o programa. Cada equipamento deve ter processador de arquitetura X86 com velocidade de 1,4Ghz e vir acompanhado de periféricos como mouse e teclado, além de placa de modem e monitor de 15 polegadas.

Internet - Ao contrário do que desejava o Ministério da Ciência e Tecnologia, o comprador do PC Popular não contará com nenhum plano especial para acessar à internet. A idéia original do projeto era de era garantir ao comprador dos PC 15 horas mensais de acesso discado com uma tarifa especial de R$ 7,50. No entanto, não ainda não houve acordo entre Governo e operadoras telefônicas.


Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






PF prende dezenas de crackers




Fonte:



SÃO PAULO – A Polícia Federal prendeu, nesta terça-feira (14), dezenas de crackers em sete estados suspeitos de usar a internet para desviar dinheiro de correntistas do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

O número exato de pessoas presas é motivo de controvérsia entre os principais jornais diários do país. Na edição desta quarta-feira (15), o jornal O Globo noticia que 46 pessoas foram presas na "Operação Spam". Já o diário Folha de S. Paulo informa que 51 acusados foram detidos. Outro periódico, O Estado de S. Paulo, conta que 44 crackers foram presos.

Segundo a Polícia Federal, 55 mandados de prisão foram expedidos, mas nem todos os acusados foram capturados pela PF até a manhã desta quarta-feira. A maior parte dos suspeitos foi presa na cidade de Campina Grande (PB), sede da quadrilha de crackers. Entre os detidos está um estudante de 19 anos, que a polícia credita ser o líder do bando.

A investigação que levou à prisão dos acusados começou no final de 2005, quando a pedido dos bancos lesados, a PF passou a rastrear os crackers suspeitos e as transações realizadas pela web. De acordo com informações publicadas no site da Polícia Federal, os acusados enviavam spams para os correntistas do BB e da Caixa. Os e-mails continham versões do vírus cavalo-de-Tróia, que capturavam as senhas bancárias dos receptores das mensagens.

O dinheiro das vítimas era transferido para contas de “laranjas”, pessoas de fora da quadrilha que aceitavam receber a transferência, efetuar saque em dinheiro e repassá-lo aos líderes dos crackers. Por cada operação, o “laranja” receberia R$ 150 da quadrilha.

Além das prisões, a PF aprendeu 5 veículos, celulares, cartões de crédito e dezenas de computadores encontrados nas residências dos acusados e em uma lan house de Campina Grande, que foi interditada.

A polícia informou que vai periciar as máquinas. A PF ainda não sabe quantas pessoas foram lesadas pela quadrilha, mas estima que o bando desviou cerca de R$ 10 milhões.




Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






Governo quer atrair US$ 1 bi para investir em TI




Fonte:



SÃO PAULO – Um grupo de trabalho do Ministério da Casa Civil avalia estratégias para captar até US$ 1,1 bilhão de investidores brasileiros e estrangeiros para financiar projetos de TI no Brasil.

Segundo o Ministério, a boa perspectiva de lucro com esses investimentos atrai a atenção de bancos, fundos de pensão e corporações globais. O papel do Governo Federal, nesse caso, é facilitar o contato entre investidores e incentivar idéias que se adequem aos interesses estratégicos do Brasil no setor. Os entraves burocráticos para investimentos em TI também estão na pauta do grupo.

Os principais projetos que devem contar com a chancela do Ministério estão relacionados com a exportação de software e a produção local de semicondutores. De acordo com a assessoria da Casa Civil já existem 121 projetos em TI sendo analisados pelo Ministério.




Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






Office 2007 é o novo nome do pacote da Microsoft




Fonte:



SÃO PAULO – A Microsoft decidiu rebatizar a nova versão da suíte de aplicativos Office 12, que deve chegar ao mercado até o final deste ano com o nome de Office 2007.

De acordo com a empresa americana, a nova versão do Office vai refletir a tendência de tornar os softwares mais colaborativos, conectando os funcionários de uma organização por meio das aplicações que utilizam.

A Microsoft deve lançar sete versões do Office 2007, o Office Professional Plus 2007, Office Home and Student 2007, Office Professional 2007, Office Small Business 2007, Office Standard 2007 e Office Basic 2007.

A expectativa é que o pacote Professional Plus, destinado a clientes corporativos, reúna os mais importantes avanços da versão 2007. Segundo a empresa fabricante, a nova edição vai incluir o Office Communicator, aplicação de mensagem instantânea específica para fins corporativos.


Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






Empresa aponta falha de segurança no WMP




Fonte:



SÃO PAULO – A companhia de segurança digital eEye afirma ter encontrado uma nova falha no Windows Media Player que permite que se criem arquivos para controlar o PC. De acordo com comunicado da empresa, a falha está presente nas versões de 7.1 a 10 do WMP.

A falha de segurança permite que arquivos bitmap sejam instalados no computador de usuários do WMP que rodem no Windows XP, Windows 2003, Windows NT e Windows 2000 SP4. A Microsoft respondeu que já colocou à disposição dos usuários arquivo de atualização que corrige o problema.



Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






Microsoft diz que "está de olho" em software livre




Fonte:



SÃO PAULO – O diretor de tecnologias estratégicas da Microsoft, Bill Hilf, declarou em evento sobre software livre em San Francisco que a corporação criadora do Windows está “de olhos abertos” para o avanço do uso dos produtos de código aberto.

Falando para uma platéia de desenvolvedores e militantes do uso do software livre, Hilf disse que a Microsoft analisa cuidadosamente os desafios e oportunidades oferecidas por este tipo de solução.

Hilf declarou ainda que a Microsoft procura uma forma de “colaborar e ao mesmo tempo competir” com as aplicações em código aberto e lembrou que “não se deve esquecer nunca da metáfora de David e Golias”.



Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






quinta-feira, fevereiro 16, 2006

PalmSource revela planos de telefone móvel com Linux




Fonte : noticiaslinux.com.br




Access, subsidiária da PalmSource, revelou detalhes do seu sistema operacional para telefones móveis baseado em Linux, no congresso 3GSM em Barcelona. De codinome ALP (Access Linux Platform), o sistema operacional pretende proporcionar um ambiente de software integrado e flexível que pode rodar binários legados de Palm OS, aplicações Java e aplicações Linux nativas.

A companhia espera começar a licensear o ALP SDK para desenvolvedores de hardware e software até o fim de 2006, e espera que dispositivos baseados neste alcancem os consumidores em 2007. Provedores de conteúdo, operadoras e desenvolvedores em geral poderão escrever aplicações multimídia nativas Linux, usando as bibliotecas GStreamer e GTK+ otimizada.

Fonte: http://www.linuxdevices.com/news/NS4663700447.html










Aplicações do Google chegando no Linux




Fonte : noticiaslinux.com.br




O Google e a CodeWeavers estão trabalhando juntas para trazer o popular programa Picasa (para edição de fotos e compartilhamento destas) do Windows para o Linux. O programa está agora em beta test limitado. Se este programa tiver sucesso, outras aplicações seguirão para o desktop Linux, dizem certas fontes.

Fonte: http://www.osnews.com/story.php?news_id=13662










Acervo de pacotes linux para downloads - 2000 pacotes...




Fonte : noticiaslinux.com.br





Olá pessoal venha conferir o maior acervo de pacotes linux para downloads, cerca de 2000 pacotes e 128 categorias.

Temos variados pacotes desde Games até ISO de OS e mais de 1000 artigos.

Acesse o link e confira http://www.openscript.com.br

Postada por: Jugleni Jr <juglenijr{at}openscript.com.br>









"Que importância o sistema operacional vai ter no futuro?"




Fonte : noticiaslinux.com.br




Vladimir Campos, articulista do site Web Insider, publicou um artigo falando basicamente sobre os recursos que a WEB 2.0 está trazendo a nós internautas e como o Google vem se destacando. Também lança uma pergunta, que pensando bem, pode ter uma resposta otimista para aos entusiastas de Linux: "que importância o sistema operacional vai ter no futuro?"

Leia o artigo em: http://webinsider.uol.com.br/vernoticia.php/id/2732










Fundador do Gentoo abandona Microsoft




Fonte : noticiaslinux.com.br





Daniel Robbins, fundador e antigo arquiteto chefe do projeto Gentoo Linux, abandonou seu trabalho na Microsoft depois de 8 meses de ter sido contratado para "ajudar a Microsoft a entender o Open Source e os projetos baseados em comunidades".
Robbins fez uma mudança profissional não usual em maio do ano passado, ao passar de ser um conhecido membro da comunidade de desenvolvedores de software livre a empregado da Microsoft, onde trabalhou até agora no Laboratório de Software Linux e de Código Aberto desempenhando um rol "educativo".

Segundo Robbins, este foi o motivo de seu abandono: que em seu novo trabalho não tinha oportunidade de utilizar suas habilidades técnicas.
Robbins agora é chefe técnico da ABC Coding Solutions.

Fonte: http://www.vivalinux.com.a[...]rosoft.html









Lançado o site Antispam.br




Fonte:




O site Antispam.br constitui uma fonte de referência sobre o combate ao spam, suas implicações e formas de prevenção. Está dividido em duas áreas distintas, uma para usuários e outra específica para administradores de redes.


Este site é uma iniciativa da Comissão de Trabalho Anti-Spam (CT-Spam), do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), que tem como missão propor e coordenar uma iniciativa nacional contra o abuso no envio de e-mails não solicitados, articulando um conjunto de ações que possa mobilizar os diversos atores relevantes envolvidos no tratamento desse problema.

Divulgue a Iniciativa:

Estimule o uso cada vez mais saudável, correto e seguro das redes ligadas à internet! Para participar basta ter um portal, site, blog ou intranet e colocar os banners da campanha com um link para www.antispam.br. As informações para adesão estão disponíveis em http://www.antispam.br/campanha.


Fonte: Dicas-L








Software Livre vai permitir economia de 10 milhões ao Ministério Público Federal




Fonte:




De acordo com notícia publicada no site da Procuradoria Geral da República, PGR Informa, a utilização de softwares livres no Sistema Único do Ministério Público Federal irá possibilitar uma economia de aproximadamente 10 milhões de reais.


De acordo com notícia publicada no site da Procuradoria Geral da República, PGR Informa, a utilização de softwares livres no Sistema Único do Ministério Público Federal irá possibilitar uma economia de aproximadamente 10 milhões de reais.

Trecho:

"O Sistema Único, que deve ser implantado de forma gradativa a partir de 2007, vai possibilitar uma economia de mais de 17 milhões de reais aos cofres do Ministério Público Federal. Só com impressão de papel, estima-se que sejam poupados cerca de 1,2 milhão de reais. A economia será possível porque a utilização de softwares livres pelo Único dispensará o uso de programas operacionais e editores de textos proprietários (pagos) que custam hoje ao MPF algo em torno de 10 milhões de reais."

Veja a notícia completa em: http://www.pgr.mpf.gov.br/[...]php?publ=6383


Fonte: PGR Informa - Notícias da Procuradoria Geral da República








terça-feira, fevereiro 14, 2006

Kurumin Linux 6.0 alpha 5 está no ar para testes




Fonte : noticiaslinux.com.br




Kurumin Linux 6.0 alpha 5 está no ar para testes, ajude no desenvolvimento baixando esse release e faça os testes.
Para download clique aqui => http://fisica.ufpr.br/kurumin/kurumin-6.0-alpha5.iso

Postada por: Furusho <vyfurusho AT gmail.com>










Software Livre - Por que um pouco de marketing talvez não seja assim tão mau




Fonte : noticiaslinux.com.br





A "onda" do software livre nos atingiu há algum tempo. Mas há de se questionar: vamos ficar por aqui, com o que já foi mostrado, ou evoluiremos realmente para uma nova forma de computação? As prometidas vantagens do software livre se realizarão algum dia?

A tecnologia da informação vem cumprindo importantes papéis nas empresas e, consequentemente, no sistema econômico há, pelo menos, cinco décadas. A pronta oferta de soluções estratégicas tem sido uma característica marcante do segmento, provocando ate mesmo confusões e erros decisórios por parte de grandes empresas em momentos importantes. São atestados desta afirmação os "célebres casos" do ERP, CRM, Data Warehouses, sistemas de apoio a decisão, entre outros.

Crendo no software livre como potencial, temo que, tomando-o apenas por uma mera "solução", novo evento daquele tipo ocorra e relevantes oportunidades sejam irremediavelmente perdidas, quando estes não entregarem rapidamente seus resultados. Por isso considero importante verificarmos melhor os tais resultados a que podemos chegar, observando tanto do ponto de vista técnico quanto do usuário, utilizando as recomendações da gestão de marketing para tal.

Uma questão que se coloca é identificar o software livre apenas como uma solução eventual, em resposta momentânea numa empresa, pensando-o exclusivamente em termos técnicos como um software que encerrasse suas possibilidades em seu próprio uso, esquecendo-se dos benefícios traduzidos aos usuários, em termos de vantagens na condução dos empreendimentos. Tal abordagem limitada é própria dos segmentos inovadores, principalmente aqueles que guardam associação com uma nova tecnologia, como sempre ocorre com a computação.

Dialogando com freqüência com alunos e pesquisadores de área gerencial, verificamos a noção que a tecnologia da informação aparenta voltar-se para dentro de si mesma, com processos pouco transparentes e isolados da agregação de valor ao cliente, objetivo de toda a ação empresarial nos modernos mercados.

O software livre, com o constante fascínio causado pelo seu desenvolvimento e uso ainda enfrenta este fato. O freqüente desconhecimento de suas características e recursos, numa abordagem voltada para negócios e não para a técnica em si, é geralmente demonstrado pelos decisores, gente de meio empresarial interessada na informação e conhecimento em todos os seus aspectos visando à imediata aplicação.

Primeiramente deve-se considerar que, salvo os casos de produtores de software para usos muito específicos, todo programa de computador existe para coletar, refinar, tratar / processar dados e informações, principalmente no intuito de gerar conhecimento. Mercadologicamente (ou seja, bem no espírito do marketing) deve ser perguntado: o que espera o usuário do sistema em termos de seu uso final e qual fato gerou esta expectativa? Estas questões corresponderiam aos pontos de um projeto de marketing destinado a avaliar a oportunidade da solução e quem seria o seu público alvo, essenciais para pensar a confecção do produto, permitindo que o maior benefício seja percebido pelo cliente (valor agregado).

A concepção subseqüente do produto (o sistema propriamente dito) é elaborada com maior precisão, notando-se aqui que os princípios de desenvolvimento de sistemas atualmente em voga - orientação por objetos, manutenibilidade do código, segurança, transparência, processo construtivo, entre outros - tem plenas condições de exercício nas varias plataformas disponíveis como software livre. Desta forma, sugere-se que tais ambientes de desenvolvimento poderão plenamente corresponder às idéias de projetistas orientados ao mercado, que buscarem entregar aos seus clientes ferramentas informacionais adaptadas as suas necessidades em termos de fluxos e formas aprimoradas de tomada de decisão.

Nestas condições, se analisadas sob a ótica do marketing, podemos argumentar, ao largo das capacidades e recursos técnicos das plataformas de licenciamento livre, que - mercadologicamente falando - produtos e soluções mais adequadas as necessidades dos clientes serão construídas, agregando valor aos seus produtos e serviços finais.

Ainda devem ser avaliados de forma fria, distante da euforia e imediatismo provocados pelos anúncios imaturos do software livre, dois aspectos decisivos num projeto para mercado - preço e distribuição. Sob o ponto de vista tecnológico, ambas as avaliações recairão nas discussões sobre o valor dispensado pelos mecanismos de licenciamento (como exemplo a GPL - General Public License), bem como os valores envolvidos na implementação final das soluções projetadas, tema que provoca debate feroz, com inegável objetivo de disputa de mercado, entre empresas como a Microsoft e os projetistas que trabalham com software livre. Recomendo ao leitor a consulta dos "cases" listados na imprensa e nos próprios sítios Internet dos principais competidores para que forme sua opinião sobre este embate.

Finalmente reforça-se a atenção para a agregação de valor ao produto ou serviço, tratando-se de atender aos reais interesses dos clientes, abstraindo de recursos e aparentes vantagens tecnológicas que nada lhe traduzem, naquele comportamento já comentado como cíclico em segmentos de inovação. Cabe direcionar os recursos existentes para o desenvolvimento de soluções versáteis, flexíveis e facilmente adaptáveis, que se traduzirão em vantagem observada de forma perene pelos clientes finais.

São, portanto, várias oportunidades e até mesmo obrigações para os profissionais de tecnologia da informação em aplicar o marketing – considerando-o em sua essência, e não apenas a comunicação ou publicidade, na verdade um dos importantes componentes no projeto de mercadologia de um novo produto ou serviço – para um produto ou serviço de base tecnológico.

Concluindo esta visão preliminar do marketing para produtos e serviços baseados em software livre, proponho ao profissional de área tecnológica que não deixe de perceber as reais situações de mercado e necessidades dos usuários finais na construção de produtos e serviços que aparecem no esteio do conhecimento desenvolvido. No caso do software livre há muito ainda para ser dialogado entre projetistas e público usuário final, para que se tire proveito deste valioso momento tecnológico.

Postada por: George Leal Jamil <gljamil2005(at)gmail.com>










Screenshots do JDK 1.6 (Mustang) com GTK Look and Feel




Fonte : noticiaslinux.com.br




Alguns meses atrás o OSNews informou que a próxima versão do Java (codinome 'Mustang') terá componentes GTK nativos para API Swing. No endereço a seguir estão os screenshots que mostram como ficou.

http://ensode.net/java_swing_mustang_screenshots_gtk.html

Fonte: http://www.osnews.com/story.php?news_id=13642










IPS HLBR: liberada a versão 0.2




Fonte:




Foi liberada a versão 0.2 do IPS HLBR. O objetivo do HLBR é prover mais segurança às redes de computadores.


O HLBR é um IPS (Intrusion Prevention System) que atua instalado na camada 2 do modelo OSI (camada de enlace). O HLBR identifica e bloqueia ataques às redes por intermédio de regras simples. A sua instalação é descomplicada e a eficiência excelente.

A nova versão (0.2) traz as seguintes mudanças:

- bug corrigido: HLBR nao iniciava corretamente fora do diretório de configurações e regras; - bug corrigido: arquivos .dump ficavam corrompidos; - criado manual on-line; - criadas novas regras; - criado novo sistema de roteamento de logs; - alterado o sistema de instalação.

A versão 0.2 pode ser encontrada no site http://hlbr.sourceforge.net.


Fonte: HLBR








IPS HLBR: liberada a versão 0.2




Fonte:




Foi liberada a versão 0.2 do IPS HLBR. O objetivo do HLBR é prover mais segurança às redes de computadores.


O HLBR é um IPS (Intrusion Prevention System) que atua instalado na camada 2 do modelo OSI (camada de enlace). O HLBR identifica e bloqueia ataques às redes por intermédio de regras simples. A sua instalação é descomplicada e a eficiência excelente.

A nova versão (0.2) traz as seguintes mudanças:

- bug corrigido: HLBR nao iniciava corretamente fora do diretório de configurações e regras; - bug corrigido: arquivos .dump ficavam corrompidos; - criado manual on-line; - criadas novas regras; - criado novo sistema de roteamento de logs; - alterado o sistema de instalação.

A versão 0.2 pode ser encontrada no site http://hlbr.sourceforge.net.


Fonte: HLBR








Belo Horizonte sedia evento sobre conhecimento livre




Fonte:




Durante os dias 26, 27 e 28 de Fevereiro, Belo Horizonte sediará um encontro recheado de debates, palestras, oficinas, vídeos e outras atividades. É o Carnaval Revolução. Dentre os diversos temas abordados está o conhecimento livre que tem destaque visível. Quem comparecer ao evento poderá levar softwares livres para casa, bastando levar CD-Rs e DVD-Rs. Uma lista de programas estará disponível para cópia, além de vídeos e músicas que adotam o copyleft para sua distribuição.


Esta é a idéia do Ponto de Compartilhamento livre, que funcionará na E.E. Sagrada Família, um dos locais onde acontecerá o encontro.

Entre outras atividades confirmadas está a oficina de GIMP, a de introdução a softwares livres e a oficina de streaming de áudio e vídeo que promete dar os primeiros passos para quem quer transmitir uma rádio ou tv livre pela internet. Uma discussão sobre Copyleft e desapropriação autoral, colocará a polêmica no ar sobre os limites do uso e replicação de conhecimento. Grupos e projetos como o PSL-Mulheres, (que vai abordar a participação das mulheres no meio tecnológico), Minas Livre, radiolivre.org e o estudiolivre.org também participam na programação.

Além dos softwares livres, outro destaque na onda de liberdade de uso intelectual é o Encontro Nacional de Rádios Livres, que ocorrrerá durante o Carnaval Revolução. As rádios livres são rádios independentes que funcionam em baixa frequência, possuem organização não-hierarquica e contam com a participação direta. Está sendo organizado uma programação que inclui vídeos e discussões ligadas ao tema. Para fechar o ciclo será instalada uma rádio temporária, que transmitirá uma programação independente, organizada pelos participantes do encontro durante o carnaval, mostrando na prática como funciona uma rádio livre. Uma outra abordagem interessante feita na prática.

A banda que se auto-intitula rock eletrônico, o Esquadrão Atari irá apresentar suas músicas que utilizam loops e colagens compartilhadas pelo grupo Re:Combo na internet. A banda também defende o uso de formatos livres como o OGG VORBIS em seu site, além de incentivar o uso de partes de suas criações como samples para outras bandas. Quem quiser conferir mais informações sobre o evento pode consultar a página http://www.carnavalrevolucao.org


Fonte: Vírgula-imagem








Mensagem do Presidente Lula em apoio a Fórum Internacional de Software Livre




Fonte:




Companheiros do Sétimo Fórum Internacional de Software Livre:

Já se vão sete anos desde que o governo do companheiro Olívio Dutra deu os primeiros passos na batalha pelo software livre no Brasil – um movimento que representa não somente a democratização de um importante meio de comunicação, mas também uma economia significativa para o Estado brasileiro e um estímulo decisivo ao desenvolvimento de tecnologias nacionais.


Por essa razão, há três anos, o Governo Federal deu início a uma política de implementação dos programas GNU/Linux em todos os ministérios e empresas públicas. Criamos o Comitê de Implementação de Software Livre, que, sob a responsabilidade do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), negociou com setores do poder público e privado o processo de migração que está ocorrendo paulatinamente.

Por meio do Centro de Difusão de Tecnologia do Conhecimento, promovemos a qualificação de milhares de servidores públicos e cidadãos para o uso dos novos sistemas. São avanços que colocaram o Brasil na posição de referência mundial na utilização do software livre.

Quero, hoje, parabenizar os organizadores do Fórum Internacional de Software Livre de Porto Alegre e as empresas públicas e privadas que se empenharam conosco nesse projeto fundamental para o livre acesso ao conhecimento e à tecnologia em nossa sociedade.

Um forte abraço e bom trabalho a todos,

Luiz Inácio Lula da Silva, Presidente da República


Fonte: Presidência da República do Brasil Secretaria de Imprensa e Porta-Voz








sexta-feira, fevereiro 10, 2006

GED Livre desenvolvido pela IM@ gera economia




Fonte:




Solução em Gerenciamento Eletrônico de Documentos desenvolvida pela IMA permitiu a digitalização e indexação de cerca de 400 mil documentos do cadastro mobiliário da Secretaria Municipal de Finanças, Administração e Recursos Humanos da Prefeitura de Campinas.


A Solução GED IM@ permitiu a diminuição no tempo de acesso aos documentos de aproximadamente de 90 minutos para menos de cinco minutos, contribuindo para tornar o atendimento ao cidadão mais ágil e eficiente. Ela atendeu plenamente às expectativas, proporcionando um significativo ganho de produtividade, com economia de espaço físico e otimização na utilização de recursos humanos.

A solução desenvolvida pela IMA teve um custo cerca de três vezes menor do que as disponíveis no mercado. Além disso, por utilizar ferramentas em software livre, a economia é maior ainda, pois não é necessário despender recursos para o pagamento de licenças para o banco de dados e para a visualização dos documentos.

A partir da digitalização, o trâmite do documento em papel deixa de existir. Os atendentes da Prefeitura e outros funcionários que necessitem acesso ao documento, podem obtê-lo no microcomputador. Isto traz vantagens adicionais, como maior segurança, uma vez que os documentos ficam protegidos de qualquer possibilidade de alteração, maior estimulo aos funcionários, que não precisam mais se prender a atividades desgastantes de localização destes documentos, além da liberação de espaço físico, que, com o arquivamento dos documentos em papel, pode ser utilizado para outras atividades.


Fonte: IM@ / material repercutido por silvio.spinella@gmail.com








Metodologia para Avaliação de Distribuição Livre é disponibilizada pelo Ministério do Planejamento




Fonte:




A disponibilização da proposta de metodologia de avaliação de distribuição GNU/LINUX surge como desdobramento concreto do Plano de Migração do Ministério do Planejamento (http://www.governoeletronico.gov.br), em conjunto com o atendimento de uma das demandas apresentadas na 1a Oficina Técnica de Migração par Software Livre, organizada em setembro do ano passado.


Especialmente no caso da Oficina aparece como decorrência de alguns temas discutidos durante o evento, que apontaram a necessidade de se criar um mecanismo de avaliação de distribuição, com o propósito de auxiliar na escolha de "distros" mais aderentes ao ambiente computacional e mais transparente para o usuário.

Um dos técnicos participantes da elaboração da metodologia, o analista de sistemas Lucius Curado, do Ministério do Planejamento, diz que para avaliar uma distribuição adequadamente deve-se levar em consideração as variáveis do ambiente, em especial os diferentes perfis de usuários existentes, ou seja, considerar o que os usuários necessitam para garantir o funcionamento dos softwares que executam as suas atividades diárias no trabalho. Na opinião de Lucius o principal aspecto técnico a ser considerado está na velocidade de atualização da distribuição, para atender a liberação de patches de segurança, da correção de falhas e da flexibilidade para funcionar tanto nas máquinas novas quanto nas máquinas de baixa configuração de hardware, consideradas mais lentas.

Na avaliação do analista "é importante lembrar que para uma análise como esta não basta ser possível instalar uma aplicação (baixando do site oficial) na distribuição, mas sim que a equipe da distro mantenha pacotes atualizados para a mesma, os quais devem ser continuamente testados, avaliados e melhorados, além de dispor de condições para atender pessoas com necessidades especiais, que necessitam de garantia de acessibilidade às aplicações."

De acordo com o Coordenador de Informática do Ministério do Planejamento, Diego Viégas, ao falarmos de software livre, é natural termos as preferências pessoais dos técnicos, algumas vezes defesas até apaixonadas, por esta ou aquela distribuição. A principal motivação para termos uma boa metodologia de escolha do empacotamento a ser utilizado num ambiente corporativo está diretamente relacionada ao sucesso que a adoção do software livre terá na instituição.

Segundo Diego Viégas "uma escolha que não seja movida por parâmetros técnicos, definidos adequadamente, pode dificultar ou mesmo inviabilizar o trabalho, enquanto o uso de uma metodologia pode proporcionar uma escolha adequada da distribuição, o que certamente virá a facilitar o processo de migração para software livre."

A metodologia está sendo disponibilizada depois de discussão técnica com o Grupo de Trabalho Migração para Software Livre que preparou a primeira proposta do documento. Neste primeiro momento se pretender debater o conteúdo do documento com a comunidade e com o conjunto de técnicos que já estão utilizando a metodologia. Como se trata de um documento de referência deverá ser adequado para cada ambiente computacional. A metodologia pode ser baixada no endereço eletrônico

http://guialivre.governoeletronico.gov.br/

Fonte: Governo Eletrônico Brasileiro


Fonte: Governo Eletrônico Brasileiro








Disponível apostila de Introdução ao OpenOffice 2.0




Fonte : noticiaslinux.com.br




O Centro de Treinamento de Tecnologia da Informação (CTTI) da UNIVATES, universidade da cidade de Lajeado/RS, está disponibilizando algumas apostilas usadas nos treinamentos de extensão em informática da Instituição.

Encontram-se disponíveis uma de "Introdução ao OpenOffice 2.0", "Introdução ao Gnu/Linux" e outra de "Webdesign Básico". Aos poucos novas apostilas e outros materiais serão disponizados. Para ter acesso ao conteúdo acesse a seção "Downloads" do endereço http://www.univates.br/ctti/

Postada por: Edson Ahlert <edsonahlert em certelnet.com.br>








BrOffice.org - Corretor ortográfico, a meta é 900.000 palavras




Fonte : noticiaslinux.com.br




"Nossa meta agora é atingir 900.000 palavras já na próxima versão do BrOffice, a 2.0.2. Para tal intento necessitamos urgentemente da sua colaboração. Acha difícil? Pois saiba que já estamos com uma atualização no forno contemplando 875.000, faltando apenas 25.000. Por isso é imprescindível a sua colaboração. O importante é que você participe.

Vamos ajudar a alavancar ainda mais o Projeto BrOffice.Org."
A matéria completa aqui: http://www.openoffice.org.br

Postada por: Furusho <vyfurusho(SEM_SPAM)gmail.com>









Nova Lista Linux




Fonte : noticiaslinux.com.br




O developers team ( www.developersteam.com.br ) acaba de lançar mais uma lista linux e passa a contribuir mais ativamente com todos os linuxers do brasil.

Esperamos por todos vocês lá!
http://developersteam.com.br/m[...]m-linux_developersteam.com.br/

Postada por: [dt.Sl4cK*] <slack{sem_spam}developersteam.com.br>










WW2D: o Google Earth do Linux




Fonte : noticiaslinux.com.br




WW2D é um software livre multi-plataforma similar ao NASA World Wind (worldwind.arc.nasa.gov) e ao Google Earth. Com ele é possível visualizar imagens da terra tiradas por satélites, mapas topográficos e imagens de outras fontes.

O programa disponibiliza também dados sobre a Lua e Marte.

Mais informações e download: http://ww2d.csoft.net/index.php?title=Introduction

Postada por: Rodrigo Nakabashi <nakabashi*anti-spam*linuxmail.org>









Inscrições abertas para o terceiro Codebreakers Meeting




Fonte : noticiaslinux.com.br




Terceiro CodeBreakers Meeting, dia 4 de Março de 2006 - Horário das 8:30 as 17:30hs.
Em sua terceira edicão o CodeBreakers Meeting visa demonstrar técnicas:

- Anti-Forensics
- Half Passive scanning
- Desenvolvimentos de exploits
- PHP injection/Ataques via web

No último Meeting tivemos a participacão de aproximadamente 110 pessoas, onde foram demonstradas técnicas de exploracão de format strings, tempest attacks, Undead Attack, Engenharia Social, Modificacão de fluxo de execucão via ptrace, e vários assuntos interessantes , nesta terceira edicão estamos esperando 300 pessoas venha fazer parte deste estranho mundo!!!

Não perca tempo e faça já sua inscrição através do site http://www.codebreakers.com.br

Postada por: p_trace <p_trace AT codebreakers.com.br>










Total de blogs dobra a cada cinco meses




Fonte:



SÃO PAULO – Levantamento do site especializado Technorati aponta que o total de blogs no mundo dobra a cada cinco meses e meio.

O site afirma ter catalogado mais de 27 milhões de blogs, um número 60 vezes superior ao registrado há apenas três anos. No relatório, o fundador do Technorati, David Sifry, explica que, desse total, 2,7 milhões foram atualizados na semana passada, com uma média de 1,2 milhão de posts todos os dias. Após três meses de operação, 13,7 milhões de blogs se mantêm ativos.

A grande maioria desse conteúdo é composto por artigos pessoais e diários, que atraem poucas pessoas. Mas os blogueiros estão, cada vez mais, representando um papel crítico na aceleração dos ciclos noticiosos, segundo o documento, que também afirma que os blogs já se consolidaram como uma poderosa ferramenta de marketing para empresas e políticos.


Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Google Earth invade carros da Volkswagen nos EUA




Fonte:



SÃO PAULO – O Google e a Volkswagen dos EUA trabalham em um sistema de roteirização em veículos, que substituirá os tradicionais mapas desenhados por fotos de satélite vindas do Google Earth.

A principal vantagem com a troca das linhas pelas fotos é a imediata identificação de pontos de referência pelo motorista, à medida que ele passa pelas ruas. Ele combina um sistema de localização por GPS do veículo com o sistema de mapas do Google, além de bases de dados comerciais.

O produto funciona em uma tela sensível ao toque dos dedos. O motorista pode pedir que o sistema lhe informe o melhor caminho entre dois endereços, eventualmente considerando condições de trânsito do momento. Além disso, os demais bancos de dados podem, por exemplo, informar quais os postos de gasolina mais próximos, e até mesmo informar o preço do combustível em cada um. Com a combinação das imagens fotográficas, chegar à melhor oferta ficaria ainda mais fácil.

Ainda não há data definida para a novidade literalmente ganhar as ruas. Por enquanto, as empresas apenas exibem protótipos, como o apresentado no mês passado na Consumer Electronics Show, em Las Vegas (EUA).

Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Google coloca Talk dentro do Gmail




Fonte:



SÃO PAULO – O Google anunciou um novo recurso que integra seu comunicador instantâneo Google Talk ao Gmail.

Batizado de Gmail Chat, a novidade reproduz a janela principal do Google Talk logo abaixo da lista de pastas do serviço de e-mail. Não é necessária a instalação de nenhum programa adicional.

A partir dessa janela, é possível executar quase todas as funções do comunicador instantâneo, como ver quais dos amigos estão online, conversar com eles por texto, adicionar novos contatos, e alterar o próprio status online. As conversas por voz do Google Talk não funcionarão com essa versão web.

Será possível também arquivar o conteúdo de todas as conversas, que são feitas em uma janela própria, dentro da interface do próprio GMail.

O Gmail Chat pode ser liberado ainda nesta semana. Por enquanto, apenas a versão em inglês do GMail apresentará o novo recurso. Ele funciona com Mozilla Firefox (1.0 e posteriores) e com o Internet Explorer (6.0 e posteriores). O suporte a outros navegadores deve ser oferecido no futuro.

Leia também:



Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Novo beta do Opera traz widgets e BitTorrent




Fonte:



SÃO PAULO – A norueguesa Opera liberou nesta terça a segunda versão preview do navegador Opera 9, cujas principais novidades são a inclusão de "widgets" e a integração com a rede BitTorrent.

Os widgets funcionam como pequenas janelas do navegador que exibem informações de interesse do usuário retiradas da internet e posicionadas na área de trabalho do computador. Essas janelas não exibem apenas páginas de web, podendo conter pequenos programas que extraem dados da Grande Rede.

Para tentar popularizar os widgets, a Opera promete entregar o produto com dez deles prontos e instruções que permitirão, segundo a empresa, a qualquer pessoa com conhecimentos básicos de criação de conteúdos na web, como HTML, JavaScript e CSS, criar seus widgets sem dificuldade.

Com relação ao BitTorrent, a nova versão embutirá um programa para acesso à rede de troca de arquivos, que, a rigor dispensará o usuário de usar outros programas, facilitando o processo. Nessa rede, os downloads são divididos em pequenos pedaços, podendo vir de diferentes usuários que contenham o arquivo procurado, agilizando o processo.

Além desses recursos, o novo Opera permitirá que o usuário defina preferências específicas para cada site visitado, inclusive parâmetros de segurança e privacidade. O bloqueador de pop-ups e as ferramentas integradas de busca também foram melhoradas. O novo navegador também exibe imagens reduzidas das páginas visitadas, para facilitar sua localização entre as abas abertas ou no histórico.

A versão preview é uma das últimas fases da etapa de desenvolvimento. A idéia é que ela sirva de base para uma última depuração pelos usuários. Segundo a empresa, a versão final do Opera 9 será liberada ainda nesse semestre.

Onde conseguir:



Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Google nega pedido dos EUA por dados de usuários




Fonte:



SÃO PAULO - O Google se recusou a colaborar com o Departamento de Justiça dos EUA, que quer saber o que os internautas estão procurando na internet.

A intimação foi enviada ao Yahoo!, à MSN e à America Online, além do Google. A administração Bush exige que as empresas informem todos os termos procurados pelos seus usuários de 1º de junho a 31 de julho de 2005, além de uma relação de um milhão de contas, selecionadas a esmo.

O governo justifica o pedido com uma suposta necessidade para defender constitucionalmente a Lei de Proteção dos Menores Online em uma corte no Estado da Pensilvânia. A lei foi suspensa pela Suprema Corte dos EUA, depois de vários processos contrários. As informações seriam usadas para sustentar o argumento de que a lei é mais eficiente que softwares de filtragem para manter menores longe de sites impróprios.

Yahoo! e AOL concordaram em ajudar o governo, mas não enviaram o que foi pedido. As duas empresas afirmam categoricamente que não entregaram nenhuma informação que pudesse identificar seus usuários. A America Online disse que enviou apenas uma lista de "termos de busca anônimos e agrupados, e não resultados, por um período de cerca de um dia". A MSN se recusa a informar sua postura diante do pedido.

O Google, por sua vez, nega terminantemente colaboração e vai até o fim para defender e sua política de privacidade. "O Google não toma parte desse pedido e sua demanda por informação é abusiva", disse, em comunicado, Nicole Wong, representante legal do Google. "Nós tivemos longas discussões com eles para tentar resolver isso, mas não conseguimos. Nós pretendemos resistir a essa moção vigorosamente."

Entidades de defesa de privacidade vêem no pedido do Departamento de Justiça um perigoso precedente para todo tipo de invasão, principalmente depois que o governo americano foi acusado de obter ilegalmente informações pessoais em nome do combate ao terrorismo.


Paulo Silvestre, do Plantão INFO






Google libera novos Sidebar e Desktop Search




Fonte:



SÃO PAULO - O Google anunciou novas versões de seus Google Desktop e Sidebar, que permitem ao usuário fazer buscas em arquivos em seus computadores mesmo estando em outra máquina.

Essa busca é válida para arquivos que estejam armazenados em qualquer dos computadores usados pelo usuário. Os índices usados pelo Google Desktop para encontrar os arquivos são automaticamente armazenados nos servidores da empresa.

Apesar de inovadora, o recurso exige que o usuário deposite uma alta confiança no Google. A recente exigência do governo americano para que sistemas de busca, incluindo o próprio Google, entregassem informações pessoais de seus usuários (incluindo resultados do que procuravam pela internet) ganha ares ainda mais invasivos diante das informações que passarão a ficar armazenadas nos servidores da empresa. O Google se recusou a cooperar com a administração Bush.

Além dessa busca remota, o novo produto traz inovações também no Sidebar, o painel retrátil que incorpora diferentes painéis com programas e conteúdos do Google, como a própria busca do Desktop, o comunicador instantâneo Talk, o Gmail, além de resumos de notícias, blocos de notas, álbuns de fotos, entre outros.

Na nova versão, o usuário pode facilmente compartilhar qualquer conteúdo que esteja nos seus painéis com um clique do mouse sobre o item. Basta informar com qual de seus amigos (os que usam o Google Talk, obviamente) quer compartilhar a informação. Ela pode ser enviada tanto para o mesmo painel no Sidebar do amigo, por e-mail ou por mensagem instantânea.

A empresa ainda anunciou a liberação para que os usuários desenvolvam novos painéis, que podem ser facilmente compartilhados entre si. Além deles, o próprio Google já desenvolveu 100 painéis, incluindo um jogo de xadrez.


Onde encontrar:


Leia também:



Paulo Silvestre, do Plantão INFO






segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Deu na Folha: Lojas acirram disputa por comprador de PC popular




Fonte:




Por João Sandrini

Três motivos principais podem explicar a queda de preços. Um é macroeconômico: a desvalorização da cotação do dólar barateou a importação de componentes utilizados pelos fabricantes. Outro é fiscal: o governo zerou as alíquotas de PIS e Cofins sobre computadores de até R$ 2.500. O último é tecnológico: os fabricantes trocaram o sistema operacional Windows pelo software livre GNU/Linux.

Apoie aqui o suporte voluntário PC-Livre


As principais redes de varejo brasileiras acirraram a disputa pelo mercado de computadores populares e oferecem, entre outras vantagens, preços inferiores a R$ 1.000, parcelamento em até 12 vezes sem juros, prazos de pagamento de até 25 meses e crediário com taxas bastante inferiores à média do mercado.

O setor de computadores viveu um verdadeiro "boom" no ano passado, com um crescimento de 40% nas vendas, de acordo com o ministro Luiz Fernando Furlan (Desenvolvimento). Segundo a Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da USP), na cidade de São Paulo o preço das máquinas encolheu 14,96% nos últimos 12 meses.

Três motivos principais podem explicar a queda de preços. Um é macroeconômico: a desvalorização da cotação do dólar barateou a importação de componentes utilizados pelos fabricantes. Outro é fiscal: o governo zerou as alíquotas de PIS e Cofins sobre computadores de até R$ 2.500. O último é tecnológico: os fabricantes trocaram o sistema operacional Windows pelo software livre Linux.

Com preços menores, as lojas passaram a enxergar um novo filão de consumidores potenciais e a oferecer promoções bastante agressivas de preço, juros e prazos de financiamento.

Entre máquinas que possuem a configuração básica estabelecida pelo programa "Computador para Todos" (CPU, monitor de vídeo, teclado, mouse, processador de 1,4GHz, HD de 40 GB, CD-Rom, memória de 128 MB e fax-modem), a Folha Online constatou que o menor preço é oferecido pelo Carrefour. A rede cobra, em promoção válida apenas até o dia 9 de fevereiro, R$ 999 por um PC popular que custava no varejo cerca de R$ 1.400 há pouco mais de três meses. O micro também pode ser comprado por 12 parcelas de R$ 99,90 (ou R$ 1.198,80).

Já as Lojas Americanas oferecem o maior prazo de pagamento sem juros: 12 meses. A empresa vende computador semelhante ao oferecido pelo Carrefour, mas acrescido de gravador de CD, por R$ 1.299.

No grupo Pão de Açúcar, que incluiu as lojas do hipermercado Extra, o micro mais barato sai por R$ 1.099 à vista ou por 15 parcelas de R$ 100,30. Já o Wal-Mart oferece o menor valor mensal de prestação: o PC pode ser parcelado em 25 vezes de R$ 59, com um juro mensal de 1,67%. O mesmo computador sai por R$ 1.198 à vista ou dividido em até dez vezes sem juros.

Procuradas na manhã de ontem, Ponto Frio e Casas Bahia não informaram seus preços até o momento.

"Computador para Todos"

Nas próximas semanas, os consumidores devem ganhar novas opções de crédito para a compra de PCs, já que mais lojas deverão passar a vender máquinas com o selo "Computador para Todos", que possibilita financiamentos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Até o momento, a única grande rede de varejo a repassar ao consumidor crédito tomado no BNDES foi o Magazine Luiza. A loja oferece computadores por um mínimo de R$ 1.255 à vista ou 25 vezes de R$ 69,90 (juro de 2,99% ao mês). A empresa informou que de 20 de dezembro até 30 de janeiro vendeu o impressionante volume de 21 mil PCs nessas condições.

Além do crédito do BNDES, o selo permite também que o consumidor tome empréstimo no Banco do Brasil (em caso de clientes com cartão Visa) e na Caixa Econômica Federal (no caso de titulares de contas) com juros de 2% ao mês para a compra.

Outras empresas, além do Magazine Luiza, já estão de olho no crédito dos bancos estatais. A Lojas Americanas informou que deve começar a vender máquinas com o selo "Computador para Todos" no próximo dia 20. Já o Pão de Açúcar espera que isso aconteça na próxima semana.

Decreto assinado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e publicado no "Diário Oficial" da União de ontem permite que empresas de varejo cujos controladores tenham residência no exterior também possam acessar linhas de empréstimo do BNDES com as mesmas condições oferecidas aos empresários nacionais. Entre os possíveis beneficiários do decreto estão Carrefour, Ponto Frio e Wal-Mart.

Leia mais:




Fonte: Folha de São Paulo