O Mundo do Software Livre muito além do Linux! (Notícias e Dicas)

Aúncio


quarta-feira, maio 31, 2006

Encontro virtual do projeto BrOffice.org já tem mais de 1000 inscritos




Fonte : noticiaslinux.com.br



O Primeiro Encontro Nacional do Projeto BrOffice.org acaba de ultrapassar a marca de 1000 inscritos em mais de 20 estados brasileiras. O número alcançado surpreendeu a organização pois, diferentemente de outros eventos, o encontro será realizado virtualmente, através da estrutura de videoconferência das Federações Industriais em cada Estado. Além das federações, outros pontos do evento estão sendo organizados por universidades e empresas públicas e privadas.

O evento acontecerá dia 2 de junho, sexta-feira, das 13 às 19 horas e, segundo Claudio Ferreira, coordenador nacional do projeto, "tem como objetivo a integração da equipe de desenvolvimento e dos usuários através de palestras técnicas, apresentando as aplicações, o método de desenvolvimento, as vantagens e desvantagens e casos de sucesso na migração". Além dos desenvolvedores brasileiros, o evento contará com a participação internacional do gerente mundial da comunidade OpenOffice.org, Louis Suarez-Potts, que falará diretamente do Canadá.

Marcus Diogo da Silva, do SENAI/CE, é um dos idealizadores do evento e será responsável pela organização do ponto central da videoconferência em Fortaleza, de onde serão coordenadas as palestras. Animado com a grande receptividade do evento, Marcus espera que o número de inscritos seja ainda maior até o dia do encontro. "Em algumas cidades, como Porto Alegre e Campina Grande, já temos lotação esgotada nas salas disponíveis, mas em outros lugares, como Cuiabá, Florianópolis, Manaus, Rio de Janeiro e São Paulo, contamos com grandes espaços para acomodar a participação de um público ainda maior", afirma Marcus.

Para participar do evento[0], basta fazer a pré-inscrição[1] no site do projeto BrOffice.org e, no dia 2 de junho, ir até um dos pontos[2] de videoconferência disponíveis na página do projeto com 2 quilos de alimentos não perecíveis para doação. Os alimentos arrecadados no evento serão doados para entidades de assistência social.

[0]http://www.openoffice.org.br/?q=encontro
[1]http://www.csl-ce.org/iencontr[...]tion=com_wrapper&Itemid=31
[2]http://www.openoffice.org.br/?q=node/54

Contato
Claudio Ferreira Filho
filhocf@openoffice.org
fone: (65) 3617 2338

Marcus de Vasconcelos Diogo da Silva
mvdiogo@sfiec.org.br
fone: (85) 32153026

Postada por: Claudio F Filho <filhocf*at*openoffice.org>







Código do Java disponível para download, mas ainda não livre




Fonte : noticiaslinux.com.br




O site br-linux.org destacou a notícia sobre a disponibilidade do código do java, o código não foi lançado sob licença compatível com GPL mas está disponível para download.

Saiba mais na fonte: http://br-linux.org/linux/java-codigo-aberto-para-download








Stefanini e Intel criam canal de suporte a usuários de Linux




Fonte:




A consultoria Stefanini IT Solutions e a Intel anunciaram a criação do primeiro canal de suporte aos usuários de software livre. Através da central de atendimento exclusiva, os clientes do sistema poderão tirar dúvidas sobre funcionalidade, configurações, terminologias técnicas, entre outras. “A demanda pelo uso desse tipo de plataforma tem sido crescente. Entretanto, não existia nenhum atendimento profissional para tirar as principais dúvidas dos usuários.


Stefanini e Intel criam canal de suporte a usuários de Linux

Por isso, a criação do 0800”, explica Zenos Strazzeri Araujo, diretor de serviços para infra-estrutura da Stefanini.

A expectativa é que o serviço se torne uma grande central de atendimento para o sistema Linux que está em crescimento contínuo. Para ter uma idéia do tamanho do mercado, de acordo com o levantamento "Impacto do Software Livre e de Código Aberto na Indústria de Software do Brasil", divulgado pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, o Linux pode assumir uma fatia de 18% do mercado mundial de sistemas operacionais até 2007.

A central de atendimento é resultado da experiência bem-sucedida do projeto Open Source Software Laboratory (OSSL), também criado pela Intel em parceria com a Stefanini. O OSSL foi o primeiro laboratório de instalação e manutenção da plataforma Linux do Brasil, iniciado em novembro de 2004 para atender, a princípio, a demanda do programa “PC para Todos”, projeto de inclusão digital do governo federal para comunidades carentes do país.

A partir do grande sucesso do PC para Todos, o laboratório ganhou projeção internacional e passou a testar máquinas de outros projetos de software livre de países como Peru, Venezuela e Argentina. “Nossa missão é validar os computadores que já operam nesse sistema. Essas máquinas são encaminhadas aos seus compradores já testadas por nossos técnicos”, diz Araujo ressaltando também que o principal consumidor dos equipamentos é o governo brasileiro.

“O comprometimento e a experiência da Stefanini foram fundamentais para a criação desse novo serviço”, diz Nuno Simões, diretor de canais para soluções de plataforma para América Latina da Intel. “A criação de um serviço específico de suporte aos usuários do software livre é certamente proporcionará uma experiência positiva para os usuários da nossa plataforma”, complementa.


Fonte: TI Inside








Gil advoga em Barcelona pela reformulação dos direitos autorais




Fonte:




Barcelona, 29 maio (EFE).- O ministro da Cultura do Brasil, o cantor Gilberto Gil, advogou hoje em Barcelona por uma reformulação dos direitos autorais, que volte o poder de decisão aos artistas num processo que qualificou de "jeffersonização" dos direitos de autor.

Para Gil, as respostas a suas propostas de mudanças no mundo dos direitos autorais são as lógicas: "a rejeição total dos reacionários de sempre e o apoio dos criadores; uns chamam à polícia e outros às idéias".


Gil, que assinou um acordo de colaboração com o departamento de Cultura da Generalitat de Catalunha, explicou que esta mudança nos direitos de autor tem que ver com os princípios que estabeleceu o presidente norte-americano Thomas Jefferson, redator da Constituição dos EE.UU.. Jefferson, recordou o ministro de Cultura brasileiro, escreveu que "o direito autoral tem de estar equilibrado entre a proteção do direito do autor como possibilidade de exploração de uma obra que é sua criação e o direito público ao conhecimento desta obra".

Para Gil, as respostas a suas propostas de mudanças no mundo dos direitos autorais são as lógicas: "a rejeição total dos reacionários de sempre e o apoio dos criadores; uns chamam à polícia e outros às idéias".

Recorda que "na história sempre os que revolucionaram o statu quo estabelecido foram os que permitiram à sociedade avançar".

Diante dos que argumentam na contramão deste processo os riscos da pirataria, Gil comenta que "quando Edison, inventor do cinema, registrou a patente de sua invenção na costa este dos EE.UU., alguns criadores escaparam do monopólio que pretendia emigrando a California. Aqueles primeiros 'piratas' foram os fundadores de Hollywood".

O próprio Gil esteve seis anos lutando nos tribunais brasileiros para recuperar a gestão dos direitos de suas canções e o resultado é que hoje suas 500 canções podem ser escutadas pela Internet, e aquelas que estão livres de direitos restritivos inclusive pode ser descarregadas, declara.

Tem claro que adiante dos direitos cabe adotar uma "posição variável" em função do próprio interessado e do momento e assegura que, como já dizia Confucio, "não é bom adotar posições fundamentalistas extremas".

O ministro assinou um convênio de colaboração com a Generalitat num ato no qual o conselheiro de Cultura, Ferran Mascarell, admitiu a necessidade de "revisões" no terreno do conhecimento e a criatividade livres. Mascarell expressou ao ministro seu apoio a este debate e assegurou: "ampliar as margens de liberdade dos criadores deve ser sempre prioritário para qualquer administração pública".

Gilberto Gil terá nesta noite uma reunião com o presidente da Generalitat, Pasqual Maragall, com uma nutrida representação de artistas catalãs.

O ministro de Cultura do Brasil se reuniu com o cantor catalão Lluis Llach, com quem manteve em seu barco ancorado ao porto barcelonês uma "interessante palestra filosófica e existencial" sobre as relações da cultura e a política. Muito além da filosofia de Gil seu propósito é que "o acesso à riqueza digital seja o máximo igualitária possível e que não se repitam os esquemas do passado, quando a maior parte da população não podia aceder às inovações". Por esta razão, o ministro-cantor fala de "um salto direto do século XIX ao XXI".

EFE

Veja mais sobre Gilberto Gil na Catalunya:




Fonte: Agência EFE








Intel lançará notebook de US$ 400 no Brasil




Fonte:



Empresa também disponibilizará PCs de baixo custo para facilitar a inclusão digital no mercado local





Alexandre Barbosa

O Classmate da Intel


SÃO PAULO - A gigante de processadores Intel confirmou neste sábado que lançará no Brasil o seu laptop de baixo custo, o Classmate, até então chamado de Edu-Wise. Um modelo do micro foi apresentado ao mercado brasileiro por ocasião da visita do CEO da empresa, Paul Otelini.

A companhia também lançará no mercado local o desktop de baixo custo "Conheça el PC", projeto lançado no México com a distribuição de 300 mil máquinas no início do mês passado.

As duas máquinas fazem parte da iniciativa World Ahead, anunciada pela companhia neste ano, que prevê investimentos de US$ 1 bilhão de dólares em treinamento de professores e distribuição de equipamentos para inclusão digital em países em desenvolvimento.

A previsão inicial é de que os primeiros equipamentos cheguem ao mercado no início do próximo ano. A configuração dos micros, contudo, não foi divulgada.

Disputa

O Classmate prevê um micro leve e portátil, com recursos de reconhecimento de escrita e ferramentas de colaboração para facilitar o relacionamento entre alunos e professores. Deve contar também com mecanismos de filtragem de conteúdo para focar seu uso para fins educacionais. Professores poderão até usar o aparelho para realizar provas escolares.

Só que o Classmate já pode ter um concorrente no mercado local: o laptop de US$ 100 da ONG OLPC (One Laptop per Child), que é chefiada pelo pesquisador Nicholas Negroponte, um dos fundadores do MIT (Instituo de Tecnologia de Massachusetts) e que deve usar processador da AMD e sistema operacional Linux.










segunda-feira, maio 29, 2006

Gilberto Gil defende "inovadora" cultura hacker




Fonte:



SÃO PAULO – O ministro da Cultura, Gilberto Gil, defendeu a cultura hacker que classificou como “inovadora e solidária”. Gil fez a declaração no evento Internet Global Congress, que ocorre em Barcelona, Espanha.

"Eu, Gilberto Gil, como ministro de Cultura do Brasil e como músico trabalho a cada dia com o impulso da ética hacker. Os hackers inovam, resolvem problemas e exercitam a organização de cooperação mútua e voluntária”, disse o ministro, em declaração reproduzida por agências internacionais.

Gil explicou que é preciso, no entanto, diferenciar o hacker do cracker. Enquanto este último dedica-se a atividades criminosas, o hacker é, na opinião do ministro, um "militante da contracultura a ver no computador uma fantástica ferramenta de comunicação".

Gil disse ainda que é preciso enxergar o hacker de um novo ponto de vista e não sob a ótica da “ortodoxia analógica reacionária".

Em sua palestra, o ministro defendeu o uso do software livre e elencou algumas medidas do governo federal para popularizar o acesso à informática e à internet.


Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






Vulnerabilidade em antivírus da Symantec



Fonte:



A empresa de segurança eEye anunciou a descoberta de uma falha no programa Norton Antivírus, da Symantec, que permite executar códigos sem intervenção do usuário do programa.

A falha foi descoberta na décima versão do aplicativo, e permite, por exemplo, que um hacker tenha acesso à linha de comando, de onde ele poderia executar qualquer programa ou ação, até utilizar para infectar a máquina com um vírus.

A falha foi notificada como de alto risco, já que a base de usuários do programa atualmente ultrapassa a marca de 200 milhões.

A Symantec está constantemente na mira das empresas de segurança e dos usuários mais atentos, já que ultimamente o número de brechas encontradas está cada vez maior, o que apresenta risco para muita gente que tem a empresa como uma das mais confiáveis de todas as desenvolvedoras de antivírus.

Embora o código para a falha não tenha sido disponibilizado, em pouco tempo hackers poderiam descobrir como explorá-la. A Symantec, no entanto, afirmou que está pesquisando o problema e caso seja confirmado uma atualização rapidamente será disponibilizada.







Picasa para Linux




Fonte : noticiaslinux.com.br




O Google anunciou que está trabalhando numa versão para Linux do software de gerenciamento de imagens Picasa.

Download em: http://picasa.google.com/linux/

Fonte: http://info.abril.com.br/aberto/infonews/052006/26052006-6.shl








Uso de software livre é lei na Cidade do Rio de Janeiro




Fonte:




A implantação do software livre, no Rio de Janeiro, agora é obrigatória. Foi sancionado o Projeto de Lei nº 324/2005 da vereadora Aspásia Camargo que dispõe sobre a utilização de sistemas e programas de computadores abertos, na cidade. A decisão está publicada no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro do dia 25 de maio. Com isso, o PL se transformou na Lei nº 4355 de 24 de maio de 2006.


A lei estabelece que o poder público municipal utilizará, preferencialmente, nos órgãos da sua administração direta e indireta, programas de informática com códigos abertos, os chamados softwares livres.

O objetivo da vereadora, com a nova lei, é reduzir gastos da prefeitura com licenças para cada computador que use um programa com código fonte fechado. Ela espera também estimular a criação de oportunidade para o desenvolvimento de novos modelos de negócios, o que resultaria na geração de empregos, renda e desenvolvimento de tecnologia nacional de ponta, que colocaria a cidade – e conseqüentemente o país – no cenário mundial.

“O software livre, hoje, é uma conquista praticamente de todas as empresas e governos que trabalham com bancos de dados em todos os países do mundo, inclusive União Européia e países Asiáticos”, afirmou Aspásia.


Fonte: Vereadora Aspasia








Software livre e razões ideológicas




Fonte:




O País não pode permitir que o preconceito prevaleça nessa área. A questão do software livre é muito discutida e pouco entendida no Brasil porque o debate parte de premissas erradas. à‰ preciso considerar que:

1) software livre não é sinônimo de software grátis;

2) o desenvolvimento de software livre é uma indústria mundial que envolve corporações multinacionais e movimenta bilhões de dólares;

3) a motivação ideológica - a quebra do monopólio das licenças de compra e utilização de software - há muito deixou de ser o principal incentivo de desenvolvedores e usuários de software livre. No Brasil esse ramo de negócios disputa espaço num mercado constituído por 7.700 empresas (das quais 94% são micro e pequenas) que movimentou quase US$ 7 bilhões em 2004. O setor recolhe R$ 1 bilhão em impostos por ano e foi incluído entre as quatro prioridades da política industrial do governo.


A indústria brasileira de software é a 15 no ranking mundial, com uma fatia de 1,1% do mercado internacional e quase metade do mercado latino-americano. Em 2004 exportou US$ 230 milhões. A Microsoft, que domina o mercado mundial, é apenas a quarta maior fornecedora do governo no Brasil, superada, pela ordem, por IBM, Oracle e Computer Associates (CA). De outro lado, os clientes da indústria brasileira no exterior, inclusive multinacionais, preferem ou exigem produtos que utilizem a plataforma Microsoft.

O desenvolvimento do software livre é um movimento irreversível, mas o País não pode aceitar o risco de perder a corrida tecnológica - por exemplo, a quarta onda da internet - por preconceitos ideológicos. Nessa corrida, a qualificação profissional desempenha um papel fundamental e determinante tanto no quesito "exportação de serviços" como no de inclusão digital e social. Um exemplo da qualificação profissional foi nossa participação na competição Imagine Cup 2005 (promovida há vários anos pela Microsoft), quando uma equipe de alunos brasileiros sagrou-se campeã na categoria office designer. Pela segunda vez o País disputa essa competição e já se destaca pela liderança no número de inscrições - mais de 90 países participam. Prova de que os desafios impostos por uma tecnologia que evolui diariamente em escala mundial devem ser encarados com responsabilidade.

Um estudo produzido pelo observatório econômico da Softex e pelo Departamento de Política Científica e Tecnológica da Universidade de Campinas (Unicamp) confirmou que o movimento de software livre no Brasil está se estruturando como mercado. Grandes empresas, algumas multinacionais, investem para oferecer suporte pré e pós-venda para o Linux, o principal concorrente dos sistemas operacionais proprietários, e seus produtos para rodar nessa plataforma. O Linux, um sistema de código aberto, admite a licença de propriedade. Difere dos softwares proprietários pela liberdade de utilização, cópia, modificação e distribuição. Quem adquire um pacote Linux precisa de suporte técnico para instalação e manutenção, e é nesse filão que a indústria vai buscar seu faturamento num mercado global que deve alcançar US$ 36 bilhões em 2008. à‰ difícil imaginar que empresas nacionais possam crescer num mercado sem regulação, enfrentando a concorrência predatória dentro do País e um ambiente dominado tecnologicamente por multinacionais. Se não houver uma política de apoio justa e criativa por parte do governo, quem continuará dominando esse setor, aqui como em qualquer outra parte do mundo, serão as mesmas empresas. Donas dos softwares proprietários e detentoras de contratos milionários com o próprio governo, tais empresas sufocam qualquer iniciativa de nascimento de tecnologia nacional genuína, pois esse modelo não lhes interessa. kicker: Se não houver uma política de apoio justa por parte do governo, as mesmas empresas de sempre continuarão dominando o setor

(Gazeta Mercantil/Caderno A - Pág. 3)(Cláudio Roche - Presidente da Allen Informática)

Gazeta Mercantil - Editoriais - //26/05/2006


Fonte: Gazeta Mercantil








Linux e Software Livre na libertação de presos




Fonte:




Nesse artigo de Natalia Wanick podemos ver como o Linux e o Software Livre podem estar presentes auxiliando na ressocialização dos presidiários, algo tão necessário nos atuais tempos de violência.


Nesse texto de Natalia Wanick podemos ver como o Linux e o Software Livre podem estar presentes auxiliando na ressocialização dos presidiários, algo tão necessário nos atuais tempos de violência.

Ressocializar é levar o presidiário a uma adaptação social, ou seja, tornar possível o seu retorno à sociedade sem que ele volte à criminalidade, é principalmente levar cidadania a essas pessoas. Neste artigo vamos falar como o Linux e o Software Livre podem ajudar na recuperação da cidadania desses seres humanos.


Fonte: Viva o Linux









terça-feira, maio 23, 2006

Informações em perigo através do Google



Fonte:


A universidade neozelandesa Massey University publicou um artigo em seu site alertando os administradores web para os riscos da crescente modalidade adotada pelos hackers para o roubo de informações através do popular sistema de busca Google.


Pesquisadores descobriram que o risco de manter em servidores web informações confidenciais está cada vez maior, já que o sistema de busca cadastra qualquer página e arquivo encontrado dentro de um servidor na sua base de pesquisa, deixando tais dados acessíveis através de determinadas palavras.

Um software escrito pelos pesquisadores, que realizava cerca de 170 buscas específicas no Google, foi rodado diariamente por três meses, a fim de encontrar informações confidenciais e alertar os administradores de sites da Nova Zelândia, Austrália, Estados Unidos e República Tcheca.

A descoberta é que qualquer pessoa com um pouco mais de conhecimento é capaz de realizar uma dessas buscas, e que a modalidade conhecida como "Google Hacking" possui tutoriais que podem ser encontrados através do próprio sistema.

Nenhuma empresa teve seus dados divulgados no artigo, mas a universidade anunciou que em seus servidores existem cerca de 50 falhas acessíveis através do "Google Hacking". Para ajudar na resolução do problema a universidade afirmou já estar trabalhando em medidas de segurança que possam ser utilizadas por administradores de sites.

O artigo completo, em inglês, pode ser acessado aqui.







UOL lança comunicador instantâneo open source




Fonte : noticiaslinux.com.br




UOL lança comunicador instantâneo open source que integra MSN, ICQ e Yahoo. Por enquanto o "UOL Messenger" está disponível só para Windows, porém sendo open source provavelmente em breve estará disponível uma versão para Linux. O software é distribuído sobre a licença GPL.

Mais em: http://idgnow.uol.com.br/inter[...]-22.1747782642/IDGNoticia_view








Microsoft abre o Codeplex




Fonte : noticiaslinux.com.br




CodePlex é um ambiente online de desenvolvimento de software para desenvolvedores de código aberto e compartilhado criarem, hospedarem e gerenciarem projetos durante o ciclo de vida do projeto. Foi escrito do zero em C# usando tecnologia .NET 2.0 com backend Team Foundation Server. CodePlex está aberto ao público sem custo.

Confira: http://www.codeplex.com

Fonte: http://www.osnews.com/story.php?news_id=14681








Encontro no Interlegis debate aquisição de software pelo setor público




Fonte:



Por: Agência Senado

Ao abrir na manhã do dia 21/09, no auditório do Interlegis, um workshop com o tema "Aquisição de Software e Serviços Correlatos", promovido pelo Prodasen, o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) disse que não pode haver preconceito em relação ao fornecimento de softwares por empresas privadas ao setor público. Para o senador, a aquisição precisa ser realizada com regras claras, parâmetros legais e transparência.



- Não posso concordar que se fique sempre com esse preconceito para com o setor privado. Não se pode deixar de lado o software desenvolvido pela indústria brasileira, com qualidade. O desafio para o setor público é o de se fazer uma boa compra, com qualidade, bom preço e transparência, pois essa é uma área muito policiada. Tem que justificar sempre porque gostou de determinado software e quais são suas vantagens - observou Azeredo.

O senador salientou que o setor público representa um mercado com maior potencial do que o privado, mas, disse ele, não avança na área de informática devido aos empecilhos impostos. Azeredo sugeriu a formação de consórcios para a aquisição de softwares como alternativa para superar as dificuldades enfrentadas pela administração pública.

- Vários órgãos podem fazer uma compra melhor, pois comprar maior número de peças fica mais barato. É uma oportunidade para maximizar o poder de compra do setor público e para o produtor colocar seu produto de maneira mais universal - disse o senador.

Para o coordenador de capacitação da SOFTEX, Eratóstenes Edson Ramalho de Araújo, o Brasil deve investir em qualidade e produtividade para se inserir no mercado nacional e internacional. Ele salientou que há fortes competidores na área, mas, na sua opinião, o Brasil tem um papel importante nessa indústria. A SOFTEX é a empresa que coordena a iniciativa brasileira de Melhoria de Processo do Software Brasileiro (MPS-BR).

O diretor da Consultoria Jurídica da Secretaria Especial de Informática (Prodasen), João Roberto Baere, informou que a comunidade de engenharia de software trabalha para apresentar as melhores práticas e os principais problemas relacionados a elas, além de buscar soluções para eliminá-los. Baere registrou que iniciativas como o MPS-BR são fundamentais para o enriquecimento, aperfeiçoamento e impressão de maior transparência e satisfação das empresas produtoras e consumidoras de software e serviços correlatos no Brasil.

O evento continou à tarde, no auditório do Interlegis, com pronunciamento de especialistas da área de informática. Entre eles o presidente do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar), Sílvio Meira, que falou sobre o processo de aquisição de softwares e correlatos. O encerramento do evento ocorreu após uma mesa redonda de avaliação dos debates do dia.



Publicada em: 26/09/2005 às 00:00 Seção: Notícias e Clipping






segunda-feira, maio 22, 2006

Homem descobre cratera na África através do Google Earth




Fonte:




Ciência e Meio Ambiente- Emilio González, um vendedor de lonas de plástico aficcionado por astronomia, descobriu ao navegar no programa Google Earth supostas crateras na África, que podem ter sido provocadas pelo impacto de um cometa há milhões de anos.

Segundo González, estes impactos, localizados na fronteira entre a Líbia e Chad, no meio do deserto do Sahara, eram desconhecidos até o momento pela comunidade científica e estão perfeitamente alinhados com uma descoberta da Nasa em 1996.

Esta ligação com a descoberta da Nasa pode comprovar a teoria de que um cometa atingiu a região e provocou uma catástrife natural na área.




Crateras podem ter sido provocadas pelo impacto de um cometa há milhões de anos


Agência EFE






Internet tem 1 bilhão de usuários




Fonte:



SÃO PAULO – O número de internautas em todo o mundo chegou a um bilhão, segundo estudo da empresa americana eMarketer.

A pesquisa também revela que 845 milhões acessam regularmente à internet e que um quarto dos internautas possui conexão de banda larga.

Entre os países com maior número de usuários, os Estados Unidos estão em primeiro lugar, com 175 milhões. A China vem em segundo lugar, com 111 milhões de internautas.

Na comparação entre as regiões do planeta, a Ásia é a que apresenta o maior número de usuários, com 315 milhões. Depois, vêm a Europa, com 233 milhões, e a América Latina, com 60 milhões.


Paulo de Alencar, da INFO






Governo tenta evitar sistema operacional Windows no PC popular




Fonte : noticiaslinux.com.br




Alguns fabricantes de computadores do programa "Computador para Todos" estão discutindo a possibilidade de colocar outros sistemas operacionais nos computadores vendidos. A idéia é colocar junto com o Windows os 26 softwares open source exigidos pelo programa.


"A possibilidade de incorporação do dual boot é vista com grande preocupação pelos órgãos governamentais que defenderam a existência exclusiva do software livre desde o início do programa."

Detalhes na fonte: http://idgnow.uol.com.br/merca[...]-19.6436947718/IDGNoticia_view








Cordel do Software Livre




Fonte : noticiaslinux.com.br







Acabo de publicar um cordel (um tipo de poesia popular) que fiz por esses dias para ajudar a divulgar o Software Livre. Está disponível tanto online como em PDF e é distribuído sob a licença Creative Commons - Atribuição - Compartilhamento pela mesma licença. Espero que gostem!


http://bardo.cyaneus.net/cordeldosoftwarelivre



Postada por: Cárlisson Galdino (Bardo) <bardo(NOSPAM)swissinfo.org>




Anexo                                        Tamanho
cordeldosoftwarelivre.pdf                190.5 KB








quarta-feira, maio 17, 2006

Deu no Br-Linux: Revista Veja - Opção de Lula pelo software livre atrasa o país




Fonte:




“Saiu na revista Veja desta semana - edição 1956, 17 de maio de 2006: 'Opção de Lula pelo software livre atrasa o país: Ao insistir no software livre, o governo deixa de melhorar os serviços eletrônicos aos cidadãos e desperdiça dinheiro.


Revista Veja - Opção de Lula pelo software livre atrasa o país

Um critério para avaliar a eficiência da administração pública é o uso da informática para reduzir a burocracia estatal e facilitar a vida do cidadão. Quatro anos atrás, o Brasil pertencia à elite mundial nesse quesito, à frente do Japão. Brasileiros eram convidados para descrever em congressos internacionais a experiência nacional com as compras públicas pela internet, com a declaração on-line do imposto de renda e com o voto eletrônico. O governo Lula mudou radicalmente as prioridades nessa área. Em lugar de ampliar as experiências bem-sucedidas, passou a priorizar a implantação do software livre na administração federal. O resultado: o Brasil caiu dezenove posições no ranking das Nações Unidas que avalia o uso da informática pelos governos, ficando atrás do Chile e do México.” A nota foi enviada por Carlos Alberto Lopes (carberto lopes@bol com br), que acrescentou este link (http://veja.abril.com.br/170506/p_068.html) da fonte para maiores detalhes. Este link é apenas para assinantes da revista veja ou para quem tenha comprado a última edição de veja.

Na minha opinião, não foi tanto um ataque ao software livre em si, mas sim à forma como o governo federal (a única autoridade governamental mencionada nominalmente no texto é Rogério Santanna, da SLTI - Secretário de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento) selecionou suas prioridades de uma forma que não dedicou recursos suficientes às áreas que já iam bem, nem alcançou resultado positivo suficiente nas áreas que escolheu tratar com maior atenção.

Naturalmente estou muito interessado na resposta que será dada (não deixem de me mandar o link, se virem antes de mim), e torço para que as discussões na comunidade não fiquem naquela de dizer "ah mas o político Y fez pior", ou "ah mas essa revista é um filhote da ditadura e tem acordos com a empresa X". Uma resposta clara a todos os pontos levantados, provando o quanto o governo de fato fez pelo Brasil com sua política de software livre e demonstrando todos os avanços reais nessa área seria a melhor reação, na minha opinião.

O link que o Carlos Alberto enviou é apenas para assinantes da revista, e vários leitores enviaram a transcrição completa da matéria. Agradeço a todos, e publico abaixo alguns trechos.

Segue transcrição parcial:

A oposição aos programas comerciais – leia-se aí a Microsoft, fabricante do sistema operacional Windows e a maior empresa mundial de software – é uma bandeira do PT. A posição está baseada, em parte, na desconfiança ideológica que o partido nutre em relação às grandes corporações capitalistas. 'Não podemos depender dos programas vendidos por uma ou outra empresa privada', explica Rogério Santanna, secretário do Comitê Executivo de Governo Eletrônico, subordinado ao Ministério do Planejamento.(...) Em teoria, é uma boa idéia usar e não pagar. Na prática, talvez seja um problemão, sobretudo se o uso se transformar em obrigação. 'Ao optar por um programa, é preciso pesar cuidadosamente os prós e os contras', diz Fernando Parra, presidente da DTS, empresa de São Paulo que desenvolve softwares e pre sta serviços de tecnologia. 'Não se podem tomar, com base em motivos ideológicos, decisões que deveriam ser técnicas.'

A migração para o software livre custou caro para os cofres públicos. O governo federal precisou contratar 2.000 técnicos em informática. Só os salários e os encargos trabalhistas desses programadores ultrapassam 56 milhões de reais por ano – o dobro do que o Instituto Nacional de Tecnologia da Informação, vinculado à Casa Civil, estima que o governo federal economizou com os programas que deixou de comprar em 2004. Nem sempre o software livre é pior que o comercial, mas sua adoção pelo governo brasileiro revelou-se ineficiente. (...)

O governo do Paraná envia mensagens para o celular de desempregados informando sobre vagas disponíveis. Em São Paulo, já é possível preencher o boletim de ocorrência policial pela internet e pedir segunda via do documento de identidade. O governo federal nem sequer conseguiu fazer o mesmo com a emissão de passaportes. Um dos principais atrasos refere-se à licitação on-line. O governo federal faz apenas 46% de suas compras públicas – de material de escritório a papel higiênico – pela internet, contra 80% do governo de São Paulo. Em uma licitação on-line, a União informa que bens deseja comprar, e fornecedores de todo o país e do exterior se engalfinham para ganhar a concorrência com o menor preço. O comprador sempre sai ganhando, porque o número de ofertas é muito maior, e a transparência no processo diminui os riscos de corrupção. Se o governo federal tivesse o mesmo padrão de compras on-line que o estado de São Paulo, teria economizado 3 bilhões de reais nos últimos três anos, segundo estudo da FF Pesquisa & Consultoria.

Em lugar de investir para oferecer serviços aos cidadãos e melhorar a eficiência da máquina burocrática, o governo Lula usou as conquistas eletrônicas da administração anterior em sua desastrada campanha para se tornar líder sul-americano. A conseqüência dessa política foi um banho de água fria nas aspirações comerciais de muitas empresas sediadas no Brasil que desenvolvem software e urnas eletrônicas. A Unisys e a Diebold Procomp, fabricantes de urnas eletrônicas de São Paulo, tinham planos de exportar a tecnologia para os países vizinhos. Em vez de emprestar algumas poucas urnas para fazer propaganda, o governo Lula decidiu bancar as eleições alhei as. Só para o Paraguai foram emprestadas 15.000 urnas para as eleições de 2005 e 2006. A empresa Vesta, de São Paulo, deixou de vender softwares de compras públicas on-line para a Bolívia porque Lula, em seu primeiro ano no poder, resolveu oferecer ao país, de graça, um programa com a mesma função. 'O governo federal não só reinventou a roda com o software livre à custa do contribuinte, como prejudicou a competição no mercado de tecnologia', diz Paula Santos, sócia da Vesta. É a política do software livre contra o livre mercado.


Fonte: Br-Linux








Primeiros protótipos foram produzidos em Taiwan




Fonte:




O primeiro protótipo do laptop de US$ 100 deve chegar ao Brasil nesta semana. Trata-se da primeira versão funcional da máquina, produzida no fim de abril pela Quanta Computer, de Taiwan - parceira da organização não-governamental One Laptop per Child (OLPC), responsável pelo projeto. Até então, os modelos apresentados em feiras e eventos ao redor do mundo mostravam apenas o conceito do equipamento.


Primeiros protótipos foram produzidos em Taiwan

Os desenvolvedores, porém, não conseguiram atingir a meta de US$ 100 e já trabalham com um preço de US$ 135 para os primeiros lotes, previstos para sair entre o fim deste ano e o início do próximo. "Parte do custo não pôde ser controlada, principalmente o preço das memórias flash e DRAM", explicou o vice-presidente de software da OLPC, Jim Gettys.

No futuro, o valor deve baixar mais. Para Gettys, a principal tarefa hoje está em outra área. "Um projeto como esse é bem-sucedido quando inspira as pessoas para que o transformem em realidade. Construir uma comunidade mundial de professores, educadores, programadores e governos é o nosso maior desafio."

Entre os que vão receber o protótipo está o programador Marcelo Tosatti, um dos principais defensores do software livre do País. Ele recebeu a tarefa de ajudar a "azeitar" o software do notebook. "Estou muito empolgado", disse. "Acho que nem o pessoal do projeto tem a exata noção das oportunidades de acesso à informação que serão abertas para as crianças."

Tosatti acaba de ser contratado pela empresa Red Hat, que participa da iniciativa. Como ele tem experiência em trabalhar com Linux - sistema operacional que será usado no laptop - em equipamentos com poucos recursos, sua participação caiu como uma luva.

Resta saber se a idéia de distribuir laptops para os estudantes vai ser adotada no Brasil. O governo federal até agora só deu sinais ambíguos. Na semana retrasada, o chefe do Núcleo de Assuntos Estratégicos, Luiz Gushiken, afirmou que o País não participaria da iniciativa. Dias depois, o assessor especial da Presidência Cezar Alvarez colocou panos quentes e disse que o governo está muito interessado. Só o tempo dirá quem tem razão.


Fonte: O Estado de São Paulo








Steve Ballmer da Microsoft: 'Vamos enfrentar o Linux, Google e Yahoo com 'pura tenacidade'!'




Fonte:




Continua a Cruzada da Microsoft contra a comunidade software livre. Além de seus adversários corporativos. Confira :

“Uma entrevista recente do famoso Steve 'Developers' Ballmer diz que a Microsoft está se preparando para usar 'pura tenacidade' para enfrentar o Linux, Google e Yahoo!

Da notícia: 'É difícil vencer o código aberto no custo inicial, mas não o é no custo total de propriedade.'”




A nota foi enviada por Fábio Emilio Costa (fabiocosta0305Θgmail com), que acrescentou este link (http://www.linuxinsider.com/rsstory/50490.html) da fonte para maiores detalhes.

Ballmer reconheceu que o Linux oferece uma melhor solução de clusters (mas disse que isso pode mudar com o tempo), mas aparentemente seu grande inimigo neste momento é mesmo o Google. E o campo de batalha são os links patrocinados.

Fonte da notícia e da Foto: BR-Linux








Tribunais integram sistemas de digitalização de processos com software livre




Fonte:




Numa rápida cerimônia antes do início da sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), os presidentes do STF, Ellen Gracie, TST, Ronaldo Leal, e do STJ, Barros Monteiro, assinaram os termos de cooperação técnica que permitirão, na prática, que o Poder Judiciário se torne mais ágil e desburocratizado. Um dos termos de cooperação dá início ao trabalho de padronização e desenvolvimento das experiências de processo virtual.



Tribunais integram sistemas de digitalização de processos com software livre

A idéia é montar um modelo único de processos virtuais, desenvolvido em software livre e disponível a todos os tribunais interessados, sem custo. Pelo mesmo acordo, será desenvolvido o projeto do Diário Oficial eletrônico.


Fonte: DCI








Veja Mente: A veja não viu? É melhor não ver a Veja. A Veja é um panfleto. Por Sérgio Amadeu




Fonte:




A revista Veja novamente divulga uma matéria mentirosa. Chamada O Grátis que sai caro, a matéria procura atacar o avanço do software livre usando releases publicitários da Microsoft, empresa monopolista que vai perdendo seus lucros monopolistas diante do avanço do modelo de software aberto. Como o jornalista Eduardo, o Duda, tem muita experiência sabemos que seu texto não trouxe enganos, mas mentiras:


1- Somente um único Ministério, do Desenvolvimento Agrário, economizou R$ 2 milhões usando aplicações de segurança livres em sua rede. Isto sem contar a economia com suporte e com a estabilidade da rede. Apesar da campanha da Microsoft, o software livre é muito mais econômico e estável.

2- A Veja contraria as matérias da Info Exame (do mesmo grupo Abril), uma revista técnica e séria, sobre os enormes benefícios do software livre. Quem está mentindo: a Veja ou a Info Exame? A resposta é óbvia. A Veja mente.

3- Nunca se vendeu tanto computador no Brasil por causa do programa PC Conectado, devido ao financiamento e aos 26 softwares livres embarcados nos computadores. Só o Duda não viu. A venda de mais de 450 mil computadores com software livre fez até que as licenças proprietárias caissem de preço. A Veja esqueceu que a concorrência gera melhores produtos e a redução de custos da tecnologia da informação.

4- Veja não viu que enquanto 69,7% do mercado mundial (mais de 2/3) usa Apache, software livre para webservers, menos de 4% dos servidores do governo federal seguiam o padrão do mercado. Duda acha normal quando o uso é de programas da microsoft, mesmo que estes produtos sejam mais caros e mais instáveis. O que o governo federal fez foi quebrar a reserva de mercado para produtos de uma única empresa. Hoje, um pouco mais de 30% do governo federal utiliza Apache. A economia mal começou. Será que algum lobista pediu para a Veja dar uma força e paralisar a redução de custos do Estado?

5- Duda esqueceu de contar o grande lobby da microsoft sobre o governo. Ele sabia, mas omitiu que o chefe de gabinete da presidência do Serpro, maior empresa de TI do governo, saiu direto de uma empresa pública para o escritório de vendas da microsoft em Brasília. Isto ocorreu no segundo semestre de 2004. Se fosse no mercado financeiro, a lei de querentena proibiria tal absurdo, mas na área de TI isto não ocorre.

6- Os equívocos da matéria são tantos que não podem ser simplesmente erros. Veja chegou a dizer que quem decide pelo empréstimo de urnas eletrônicas (que usam somente software proprietaŕio) para o Paraguai foi o governo federal. Qualquer jornalista sabe que esta decisão é do TSE, Poder Judiciário. Ela não tem nada a ver com software livre e muito menos com o governo Lula. Duda não sabe disto? Claro que sabe, mas fez de propósito. Por que? A serviço de quem?

7- Cada parágrafo da matéria é meticulosamente escrito para distorcer a realidade. Vou parar por aqui, mas seria necessário reestabelecer a verdade em cada linha. Apenas mais uma: Duda escreveu que o Serpro contratou 2000 funcionários para desenvolver software livre. Mentira descabida. Isto sim é que deveria ter sido feito, mas o concurso foi para técnicos em geral e até para escriturários. Mas para Veja toda informação pode ser manipulada e distorcida. Não é mesmo, Duda?

São Paulo, 16 de maio de 2006. Sérgio Amadeu


Fonte: Projeto Software Livre Brasil








Veja Mente: Envie ainda hoje uma resposta para a revista Veja - faça sua parte!




Fonte:




Você sabia que a Veja mantém (e publica) um ranking das matérias que mais geraram respostas de seus leitores? Enviar uma resposta antes do fechamento da edição desta semana (que deve ser hoje ou amanhã) pode ser particularmente interessante. Mas não envie mail bombs ou mensagens automáticas - siga a política de publicação da própria revista, e garanta maior chance de que nossa mensagem possa ser lida.


Temos pressa! Se você puder, envie o link desta campanha ou cópia deste post *imediatamente* (mas apenas uma vez, e de forma educada) para as listas de software livre de que você faz parte, publique em seu site ou blog, ou envie como sugestão de notícia para outros sites: uma resposta clara e apoiada por muitos pode ser uma das melhores opções ao nosso alcance neste momento. Se o administrador da lista reclamar com você sobre o envio, pode direcioná-lo para conversar comigo, e terei prazer em atendê-lo e discutir o assunto com ele.

Autoridades do governo brasileiro estão empenhadas em nos fornecer dados que permitam refutar de forma objetiva a matéria 'Opção de Lula pelo software livre atrasa o país'. Entretanto, para garantir que haja uma resposta objetiva (e com chances reais de vir a ser publicada, ao menos na seção de cartas), acredito que temos plenas condições de defender desde já, no mínimo, a distinção entre software livre e política governamental de informática. Quando chegar a prometida resposta da SLTI, enviaremos nova mensagem.

Eu já enviei meu e-mail para a redação da Veja. Ele é curto, não ataca a revista, não confronta seus argumentos (pretendo fazer isto com vigor, mas apenas depois de receber os dados com que o Governo gentilmente se dispôs a nos municiar), mas tem foco em um ponto específico: afirmar que a reportagem não tratou com justiça o movimento do software livre, que vai além de governos e partidos. O texto que enviei está reproduzido abaixo, e coloco-o em domínio público: você pode reaproveité-lo, na íntegra ou não, alterado ou não, sem citar a fonte, na hora de enviar sua mensagem para o endereço veja@abril.com.br. Segue o texto:

---- Assunto: software livre vai muito além de aspectos políticos e partidários

À redação da revista Veja:

Sobre sua matéria "Opção de Lula pelo software livre atrasa o país", gostaria de registrar que o software livre é um modelo de desenvolvimento colaborativo em franco crescimento em todo o mundo, sendo inclusive o responsável pela maior parte da infra-estrutura da WWW (o popular servidor livre Apache e o interpretador livre PHP são encontrados até mesmo no website de Veja) e vem sendo encontrado em escala cada vez maior nos computadores dos usuários domésticos, com aplicativos de popularidade ascendente como o OpenOffice e o navegador Firefox.

Não posso responder pela política de software do governo federal, embora acredite que ele nos dará condições e dados que permitam rebater também as críticas que foram feitas à sua política de adoção do software livre. Mas gostaria de registrar meu descontentamento pela maneira como os dois assuntos foram misturados, o que acabou refletindo de forma extremamente negativa sobre um movimento mundial que é, por natureza, independente de ideologias externas ou de correntes partidárias.

As centenas de comentários de leitores de sites e fóruns especializados no tema, criticando a forma como o assunto foi coberto em Veja na semana passada me dão a certeza de que a inclusão de uma análise sobre a presença do software livre no dia-a-dia dos chamados "usuários comuns" seria uma adição válida à pauta de futuras edições da revista.

Atenciosamente, [nome completo] [número da carteira de identidade] [telefone] ----

O número do RG e do telefone são exigências da revista para que a mensagem seja considerada para publicação na Seção de Cartas.

Faça sua parte! Expresse sua opinião, deixe claro que o software livre vai muito além do que foi mostrado. E continue apoiando a política de adoção do software livre por todas as instâncias governamentais, partidos e ideologias.


Fonte: Campanha do BR-Linux.org








segunda-feira, maio 15, 2006

Gráfico sobre distribuições Linux




Fonte : noticiaslinux.com.br




Veja um mapa com o relacionamento de várias distribuições Linux existentes hoje. O mapa não traz uma perspectiva história do Linux, por exemplo a distribuição Red Hat não surgiu do Fedora Linux mas estão intimamente relacionadas, mas é interessante entender essas ligações:

http://ia301119.us.archive.org[...]ersion_2/GNULinuxupdatedw4.png










Dez a zero para o Linux




Fonte : noticiaslinux.com.br




O articulador do Projeto Software Livre Brasil, Marcelo Branco, esteve presente no fisl7.0, que aconteceu em Porto Alegre em meados de abril, reunindo estudantes, usuários do software livre, empresas e profissionais de TI para debater, trocar experiências e compartilhar conhecimento sobre código aberto.

Antes de deixar a cidade, Marcelo protagonizou uma cena interessante e reveladora. Foi até um supermercado sacar dinheiro no caixa eletrônico do Banco do Brasil e quando estava chegando ao local houve um apagão em toda cidade baixa. Quando a energia elétrica retornou, as máquinas foram todas reinicializadas e uma fila enorme se formou aguardando a volta do serviço nos terminais do Banco do Brasil - em que ele era o primeiro da fila -, Itaú e Banrisul.

Enquanto esperava para ser atendido na máquina do Banco do Brasil, que utiliza o sistema operacional OS2 (IBM) e Java no aplicativo; a máquina do Banrisul, que roda com Linux e aplicativo escrito em C já estava atendendo seus clientes. Ao lado, a máquina do Itaú, que usa Windows, também não havia começado a atender. Quando o consultor finalmente pôde utilizar a máquina, notou que o décimo cliente do Banrisul estava sendo atendido e que o terminal do Itaú ainda estava inicializando.

Dez a zero para a tecnologia escolhida pelo Banrisul. Além da economia com as licenças, a qualidade superior e a rapidez no atendimento foi comprovada naquele momento atípico.


*O acontecimento foi relatado pelo próprio Marcelo Branco em seu blog: http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/Blogs/MarceloBranco

Postada por: Marcia <ma_tabata{sem_spam}ig.com.br>










Seminário apresenta os novos usos da certificação digital




Fonte:




Certificação em telefones celulares, sites de internet banking, e documentos pessoais elevam ao máximo o nível de segurança para transações eletrônicas.


Seminário apresenta os novos usos da certificação digital

O Seminário Febraban de Certificação Digital vai expor importantes iniciativas para o uso pela população de certificados digitais. Pela primeira vez, será exposto o protótipo para a inclusão de certificação digital em celulares, projeto desenvolvido por Bradesco e Serasa, com a colaboração da Claro e da Axalto – fornecedora do setor. Já o Banco do Brasil mostrará o uso de certificação para internet banking. Outro projeto a ser apresentado é o do Estado do Rio Grande do Sul, que tem como objetivo desenvolver a Identificação Digital do Cidadão, substituindo o atual RG por um documento certificado eletronicamente; e o da Petrobrás que demonstrará o amplo leque de possibilidades de uso da certificação no workflow.

O uso da certificação digital em larga escala traz benefícios muito grandes para toda a população, bancos e empresas, pois eleva em muito o grau de segurança para qualquer transação comercial e bancária que se faça à distância, através da Internet”, destaca Francimara Garcia Viotti, coordenadora do evento e do Grupo de Trabalho de Certificação Digital da Febraban.

A Certificação Digital segue o padrão tecnológico A3, instituído pelo organismo federal ITI (Instituto de Tecnologia da Informação), a partir de um protocolo assinado entre a Febraban e a Secretaria da Receita Federal. Os usuários que possuem certificados A3 reconhecidos pela SRF (os e-CPFs e e-CNPJ) têm suas identidades reconhecidas pela Receita Federal para realização, com total segurança, de operações, como regularização, via Internet, de débitos com o fisco.

Petrobrás

Além da maior segurança em todas as operações bancárias, o Seminário apresentará alguns outros usos possíveis da Certificação Digital, como a sua inclusão em documentos pessoais, em processos de documentação de grandes companhias e comércio eletrônico de forma geral.

Vem do Rio Grande do Sul a comunicação de um projeto que poderá permitir que, daqui a algum tempo, o brasileiro dê adeus à carteira de identidade – RG. O projeto de certificação do Estado está regulamentado pela lei 12.469 de 03/05/06. Participam da iniciativa os três poderes, além do Ministério Público e Tribunal de Contas, com apoio do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI).

Já a Petrobrás mostrará a inclusão de certificação eletrônica para acesso a qualquer documento da companhia. A companhia mantém um dos maiores sistemas do mundo de Gerenciamento Eletrônico de Documentação (tecnicamente chamado de GED em WorkFlow) e exigirá que seus milhares de funcionários tenham acesso a tais documentos com a sua assinatura digital, trazendo ganhos de segurança e eficiência. O seminário também abordará uma série de inovações implementadas por sites de comércio eletrônico, todas fazendo avançar a segurança em compras pela Internet, além de um painel (promovido pelos principais fornecedores de tecnologia para Certificação) que trará o cenário mundial de aplicações de certificação digital.


Fonte: Revista Seguro Total








Free Software Magazine pergunta: a Microsoft está cercada pelo software livre?




Fonte:




A Free Software Magazine, descrita como 'a única revista em todo o mundo dedicada à promoção do software livre como um todo', publicou ontem um artigo em que apresenta 3 possíveis tendências que podem vir a ocupar fatias do mercado de computação doméstica...


Free Software Magazine pergunta: a Microsoft está cercada pelo software livre?

... o Laptop de 100 dólares, os computadores populares da China e o Playstation 3, todos rodando o kernel Linux - para levantar a pergunta do título, baseado na premissa de que boa parte da dominância da Microsoft bo mercado doméstico hoje vem da inércia dos usuários, que mantêm o sistema originalmente instalado.

Talvez possamos fazer um teste desta teoria pesquisando quantos dos computadores populares vendidos com Linux aqui no Brasil desde o final do ano passado permanecem com o sistema originalmente instalado. Mas ainda que a conclusão seja negativa, isto não significa que a mesma conclusão se repetirá com os 3 modelos de equipamento mencionados no artigo, já que possivelmente a instalação do Windows nos mesmos não será tão fácil ou conveninente quanto em um PC popular 'padrão'. A conferir no Link:



Fonte: Br-Linux









Carne ou Pescado? A metáfora do Software Livre




Fonte:




Imagina que entras en un restaurante para comer. El capitán, antes de mostrarte la carta, te sirve un plato de estofado. El plato tiene buena pinta; cuando miras a tu alrededor ves que todo el mundo está comiendo estofado.

Cuando lo pruebas, notas que su sabor es horrible. No parece ternera ni cerdo y mucho menos carne de ave. Pero todos siguen con su estofado, así que supones que tendrás que comértelo de todos modos.


Ya llevas la mitad del plato cuando entra otra persona, que se sienta en la mesa de al lado. Le sirven estofado, pero devuelve el plato. Pide lenguado en salsa

Extrañado, te preguntas si el pescado también será tan malo como el estofado. Ves que esa persona tarda alrededor de un cuarto de hora en quitar todas las espinas y limpiar la pieza, pero la comida parece gustarle. Un señor que hay sentado a tu lado se da cuenta de que estás observando al chico del pescado, y te comenta "No entiendo como puede comer pescado. ¡Pierde todo el tiempo tan sólo para limpiarlo!". El chico se da cuenta y le contesta "Pero merece la pena la espera." Además, oyes conversaciones en las que se dice que alguno de los que comió estofado el día anterior está con gastroenteritis, posiblemente por comer carne en mal estado. Mientras la persona del pescado está acabando, llama al cocinero para explicarle que el plato estaba exquisito, pero con un poco de zumo de limón hubiera quedado más jugoso. Decides llamar tú también al cocinero para comentarle que el estofado es asqueroso, pero te responde que el hecho de comer estofado te prohíbe preguntar de dónde salió la carne, y no puedes cambiar las papas por champiñones en caso de que no te gusten. "¿Cómo es posible que no pueda saber qué animal estoy comiendo?", le dices. Por lo visto, la empresa que distribuye la carne guarda celosa ese secreto, aunque garantiza que es de calidad y apta para el consumo humano.

La persona del pescado se dispone a marchar, y se va sin pagar la cuenta. Preguntas al capitán y te dice que el pescado es gratuito, pero el estofado hay que pagarlo. El señor de antes te comenta "Si es gratis, seguro que no es de fiar", aunque piensas si realmente algo puede estar más malo que la carne que te acabas de comer. Pagas una cantidad exorbitante por un estofado malísimo, y marchas del restaurante. En tu camino a casa, ves que en otro restaurante el pescado cuesta dinero, aunque ni la mitad que la carne. El capitán te dice que el pescado es el mismo, pero esta vez lo sirven con extra de guarnición si quieres. Si no, también es gratis

A la semana siguiente, vuelves al mismo restaurante. Piensas si probar el pescado o seguir con la carne. Nuevamente, todos los comensales han pedido estofado. En una mesa encuentras al chico de la semana pasada, en lugar de lenguado ha pedido merluza al ajillo. Te invita a sentarte a su lado

Tomas asiento, y el mesero aparece con un plato de estofado. Qué asco. Otra persona te dice en voz baja "Recuerda que si comes pescado no te sirven vino rosado". El chico que está sentado a tu derecha está bebiendo vino blanco, así que tampoco notarás mucho la diferencia. Se dirige a tí "¿Quieres pescado? Si no te ves capaz de limpiarlo, te puedo echar una mano. Está buenísimo. Si lo pruebas y no te gusta, no pasa nada, siempre podrás volver al estofado". Se ríe y añade "¿De verdad te gusta? Es malísimo"

Empiezas a dudar, y recuerdas lo que te dijeron la semana pasada. Le preguntas acerca de la procedencia del pescado, podría ser que estuviera en mal estado. Te contesta que ese pescado es del día, que puedes ir tú mismo a la lonja a comprobar como el dueño del restaurante lo adquiere todos los días. Nadie te garantiza que sea bueno, pero resulta que sí lo es. Tú mismo puedes comprobarlo. Te comenta que los grandes gourmets siempre piden pescado para comer. Como necesitan cierta garantía de calidad por su estatus social, pagan a un notario para que vaya todos los días al puerto a comprobar que, efectivamente, el pescado es fresco. El resto de comensales se aprovechan de esto, pues el notario no sólo garantiza el pescado de los más exigentes, sino todos los clientes que pasan por la lonja.

Además añade "¿O es que acaso puedes comprobar la procedencia de la carne? Sabes, cualquiera puede pescar su propio pescado y comerlo como más le guste. En cambio, la empresa que controla la carne no permite cocinarlo de maneras que no sean las que ellos quieren. Ni siquiera dicen qué animal estás comiendo, ¿Te parece normal? ¿Si su carne es tan buena, qué tienen que esconder?"

"Una vez que te has acostumbrado a limpiar el pescado de espinas, aunque tardes un poquito más en comer, te quedas más a gusto. Insisto, te echo una mano hasta que te acostumbres. No entiendo cómo puede haber gente que pague por esa ¿carne?". Le recuerdas que mucha gente marcha sin pagar. "Sí, claro que puedes irte sin pagar. Pero pudiendo comer un buen pescado, no comería ese estofado ni aunque me lo regalasen. Y si lo pruebas lo entenderás"

¿Qué elegirías para comer?

fonte: www.softwarelibre.cu








II Encontro Nordestino de Software Livre será em Aracaju - Sergipe




Fonte:




Decidido esta tarde na reunião da comunidade nordestina de software livre, Aracaju irá sediar a segunda edição do evento em 2007.

A capital sergipana, Aracaju, foi escolhida por unanimidade esta tarde para sediar o II ENSL - Encontro Nordestino de Software Livre, respeitando a decisão das comunidades nordestinas em criar um evento intinerante e que, a cada ano, será levando para um dos nove estados nordestinos, disseminando o software livre e a cultura livre nesta região do país.


Pela primeira vez na história do software livre brasileiro, toda uma região do país se une em torno de um único evento com o intuito de fortalecer o software livre regionalmente. Estavam representados na reunião os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe, que prefazem a maior parte do nordeste brasileiro.


Fonte: ENSOL








quinta-feira, maio 11, 2006

Google apresenta novos produtos de busca




Fonte:



SÃO PAULO – A Google Inc. apresentou, nos Estados Unidos, três novos produtos de busca que pretendem ajudar o usuário a encontrar resultados mais relevantes para suas buscas e compartilhar sua experiência na web com outros internautas.

O primeiro deles, o Co-op, incentiva os usuários a registrar anotações em páginas da web que eles considerem muito boas de acordo com seus conhecimentos específicos.

A idéia é que usuários que gostam de TI, por exemplo, recomendem sites desse meio. Ou fanáticos por games e carros façam comentários sobre sites destes temas. Para participar do Co-op, o usuário deve cadastrar-se no Google.

Outra novidade da empresa é a versão beta do Google Trends. A ferramenta permite ao usuário ver gráficos que indicam quais palavras são mais buscadas no Google.

A pesquisa permite comparar até cinco termos e definir data e região do mundo. Numa comparação dos nomes dos jogadores da seleção brasileira “Ronaldo”, “Ronaldinho”, “Adriano” e “Kaká”, o sistema revela que "Ronaldo" era o termo mais popular até meados de 2005, quando foi ultrapassado por “Ronaldinho”.

A terceira ferramenta anunciada foi o Notebook, serviço que, ao contrário dos demais, ainda não está disponível na internet. O Google Notebook deve estrear dentro de uma semana.

O serviço, explicou a empresa, permitirá que usuários copiem pedados de páginas da internet, adicionem comentários a elas e as salvem em um diretório individual. Assim, o usuário pode consultar em qualquer data e a partir qualquer computador conteúdos de seu interesse que tenha arquivado no serviço.

O Google afirmou que os três produtos fazem parte de uma estratégia única da empresa de inovar e tornar mais assertivos seus resultados de busca.

Novas Ferramentas



Felipe Zmoginski, do Plantão INFO






quarta-feira, maio 10, 2006

Tudo pronto para o ENSOL




Fonte : noticiaslinux.com.br




Mil e quinhentos inscritos, trinta palestrantes, treze estados brasileiros e setenta e cinco cidades. Com estes números começa nesta sexta-feira o maior evento de software livre que o nordeste brasileiro já presenciou.

Impensável. Esta é a palavra que resume a sensação de todos aqueles que estão trabalhando incansavelmente para a realização do ENSOL e ENSL esta semana. Um evento grande, bonito, diversificado e principalmente, integrador das comunidades de software livre nordestina. Este é um dos principais focos do ENSOL: realizar um evento onde exista uma forte integração entre a comunidade nordestina e também com os participantes que lá estarão presentes que em sua grande maioria são estudantes.

Para chegar nestes números foram mais onze meses de trabalho árduo, organização, noites mal-dormidas, contatos, convites, detalhes, contratempos e todo o tipo de emoção que poderia existir. Contudo, a equipe da coordenação do evento sente-se realizada e acredita que este será um dos melhores eventos sobre software livre já realizados.

"Quando começamos, pensávamos em um evento pequeno, poucos dias, poucas palestras. Mas ele começou a se agigantar e não conseguíamos mais imaginar algo menor do que está sendo feito" comenta um dos idealizadores e também coordenador do evento, Daniel Cordeiro. "Para nós é uma vitória, mas principalmente uma vitória do software livre dentro do nordeste" completa Anahauc de Paula Gil.

Participação efetiva da comunidade Um dos pontos fortes do evento é a grande participação de alestrantes locais que, dentro da programação, "tomaram de assalto" a grande de palestras com apresentações de altíssima qualidade técnica com temas variando desde frameworks de desenvolvimento web até casos de sucesso em prefeituras e autarquias governamentais, passando por trabalhos acadêmicos, segurança, redes e assuntos relacionados à comunidade. "Fiquei impressionado com o nível de palestras submetidas e dos palestrantes. Todas de alta qualidade e muito bem conceituadas dentro dos temas propostos. Certamente será muito bom ver "novas caras" dentro de um evento de software livre" diz Paulino Michelazzo, responsável pelos palestrantes e grades de palestras do evento.

Também estarão sendo realizadas várias atividades paralelas como o Encontro das Prefeituras, realizado pelo COMSOLI (Consórcio de Minicípios para Soluções Livres) e também a reunião das comunidades de sofware livre do nordeste, a qual trás como pauta a discussão e avaliação dos trabalhos realizados pelas comunidades estaduais e também a agenda de eventos para 2006/07.

Preparativos finais Nestes últimos dias estão sendo finalizados todos os detalhes para o sucesso do evento. Estandes da mostra de soluções, grade final de palestras, local para armazenamento das mais de quatro toneladas de alimentos a serem arrecadados para instituições de caridade da cidade, preparativos para recebimento dos participantes e também a preparação do "Blog do ENSOL" (http://www.ensol.org.br/blog), um espaço onde qualquer pessoa poderá colocar seus comentários, narrações, experiências e impressões sobre o evento diretamente (ou não) de qualquer um dos vinte terminais com acesso à Internet localizados dentro do telecentro do ENSOL.

Se você ainda quer participar, entre no site oficial do evento e faça sua inscrição. Ela ficará aberta até o último dia do evento para que todos aqueles que queiram participar, possam estar presentes nesta grande festa do software livre nordestino.

Postada por: Paulino Michelazzo <paulino.NOSPAM@michelazzo.com.br>








Governo de Portugal decide apoiar software livre




Fonte : noticiaslinux.com.br




"Governo de Portuagal decidiu em seu Conselho de Ministros, apoiar o uso de software livre no país".

"No Programa do XVI Governo Constitucional, aprovado pelo Conselho de Ministros de 23 de Julho de 2004, as comunicações merecem destaque no capítulo II - Apostar no crescimento e garantir o rigor - e no capítulo IV - Investir na qualificação dos portugueses."

Leia mais na fonte: http://www.softwarelivre.org/news/6484








Resultados da caça aos bugs em produtos open-source




Fonte : noticiaslinux.com.br




A empresa Coverity liberou os resultados de uma caça a bugs em 40 produtos open-source.

Confira os índices de bugs para cada mil linhas de código nos diversos produtos, incluindo Firefox, Firebird, mplayer, gnome, KDE, PHP, Perl, em: http://scan.coverity.com/

O Linux kernel 2.6 ficou com o ótimo índice de 0,206.

Fonte: http://www.osnews.com/story.php?news_id=14564








Silicon Graphics pede concordata e Linux é um dos responsáveis




Fonte : noticiaslinux.com.br




A Silicon Graphics, renomada empresa de hardware para produção de gráficos e efeitos especiais, pediu concordata. E segundo ao site Info Online, computadores com processador Intel e Linux são os principais competidores da empresa, uma ironia já que a SGI contribuiu com o desenvolvimento do Samba, abriu o código do XFS, além de diversas outras contribuições como o OpenGL.

Fontes:
http://info.abril.com.br/aberto/infonews/052006/08052006-8.shl
http://listas.softwarelivre.or[...]sl-brasil/2006-May/011759.html








Podcast do Planeta Ubuntu




Fonte : noticiaslinux.com.br




Pessoal, é com muita alegria que venho aqui anunciar o primeiro de vários podcasts do Planeta Ubuntu brasil. Vale muito apena..
http://kurtkraut.wordpress.com[...]dcast-1-planeta-ubuntu-brasil/

Parabéns mais uma vez ao Planeta Ubuntu, com certeza ganhará muitos adeptos e visitantes...

Postada por: Monthiel <cmonthiel(at)gmail.com>








Ministério da Integração inaugura quioques de inclusão digital




Fonte : noticiaslinux.com.br




"O "Quiosque Cidadão", programa de inclusão digital desenvolvido pelo Ministério da Integração Nacional, estará a disposição das populações de Brasilândia, Santa Rita do Pardo, Bataguassu, Ivinhema, Deodápolis, Bandeirantes, Rio Verde, Coxim, Pedro Gomes, Alcinópoli, Aquidauana, Bodoquena, Bonito, Ponta Porá e Coronel Sapucaia."

Saiba mais na fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br[...]-2365500/2365312/2365312_1.xml








Lançado Losango 0.6 - Ferramenta de site automático




Fonte : noticiaslinux.com.br




Foi liberada a versão 0.6 do Losango, a ferramenta que gera um site de projeto automaticamente. Funciona para projetos hospedados no Código Livre ou no Sourceforge.
A novidade da nova versão (além da desvinculação da Academia) é que agora a ferramenta pode ler notícias de um "blog do projeto", a partir de feed RSS, e integrá-las ao site gerado. A idéia é que mantenedores de projetos livres possam utilizar serviços gratuitos de blog para criar um canal de notícias sobre avanços e novas versões de projeto.

http://losango.codigolivre.org.br/

Postada por: Cárlisson Galdino <bardo*at*swissinfo.org>








Vim 7 é lançado




Fonte : noticiaslinux.com.br




"Depois de anos de desenvolvimento, este editor cheio de características interessantes está esperando por você. Para os impacientes, vão direto para a página de download. Para os curiosos, leiam o anúncio. Happy Vimming! (por Bram Moolenaar)"

Download: http://www.vim.org/download.php
Anúncio: http://groups.yahoo.com/group/vimannounce/message/161








Mandrivabrasil.org está no ar




Fonte : noticiaslinux.com.br



A Mandriva Conectiva, uma das principais desenvolvedoras Linux do mundo, acaba de anunciar que os usuários do seu sistema operacional podem contar agora com mais uma ferramenta de ajuda, o http://www.mandrivabrasil.org, desenvolvido para reunir o máximo de informações sobre a distribuição Mandriva Linux e ser um ponto de encontro e troca de experiências entre seus usuários.

A idéia de montar o site surgiu a partir de conversas em listas de discussão já existentes na Internet e também para permitir a troca de informações em português, o que, até então, dificilmente ocorria. Com o novo portal, os usuários menos experientes podem se sentir à vontade nos fóruns, além de encontrar notícias, dicas, artigos, informações gerais e perguntas freqüentes.

"A intenção foi criar um espaço democrático especializado no Mandriva Linux para a comunidade de usuários brasileiros e, talvez, para outros países de língua portuguesa também", explica Manoel Pinho, engenheiro eletrônico e criador e administrador do site. A iniciativa foi bem aceita também pelos executivos da Mandriva Conectiva. "Apoiamos totalmente a criação desse site, pois sabemos a importância desses canais para que os usuários estejam sempre informados e atualizados sobre o mundo Linux", afirma Jaques Rosenzvaig, presidente da Mandriva Conectiva.

Postada por: Erica <erica*anti-spam*pimenta.com>








terça-feira, maio 09, 2006

Skype ultrapassa cem milhões de usuários




Fonte:



O programa de voz sobre IP (VoIP) Skype atingiu a marca de 100 milhões de usuários registrados no mundo inteiro, de acordo com um anúncio oficial lançado no site da empresa.

A impressionante marca foi atingida em seus poucos dois anos e meio de existência e, caso uma lista telefônica fosse criada com todos os nomes já registrados, teria aproximadamente 57 mil páginas.

Os cem milhões de usuários registrados não correspondem ao número usual de pessoas conectadas no serviço, que equivale a aproximadamente 5 milhões de usuários ao mesmo tempo.