O Mundo do Software Livre muito além do Linux! (Notícias e Dicas)

Aúncio


segunda-feira, agosto 07, 2006

ThinkFree é Office online e totalmente gratuito




Fonte:




ThinkFree tem editores de textos, apresentações e planilhas de cálculo




Uma ótima alternativa para quem precisa do uso constante de aplicativos como Word, Excel ou PowerPoint, mas não quer pagar seu alto preço nem ser culpado de possuir softwares piratas em seu disco rígido, é o ThinkFree (www.thinkfree.com/), um site que apresenta uma versão dos três principais aplicativos do pacote da Microsoft de maneira online e gratuita.

A principal vantagem é que, por ser online, não é necessária a instalação de pesados arquivos no computador, que ocupam um tremendo espaço no disco rígido. E, como alternativa de armazenamento de arquivos, o ThinkFree também oferece 1 GB de espaço em seus servidores onde é possível manter cópias de milhares de documentos.

Além da interface extremamente semelhante à do produto da Microsoft, os aplicativos ThinkFree também permitem salvar seus documentos nos formatos .doc, .xls e .ppt, todos reconhecidos pela famosa suite da empresa. Cada um dos aplicativos roda em Java e em sua primeira execução leva alguns minutos para ser carregado, dependendo da conexão do usuário.

Para se inscrever e começar a usar o ThinkFree, atualmente em fase de testes, basta acessar o site thinkfree.com. De acordo com o FAQ da empresa, a versão básica será sempre gratuita, mas uma versão com outros aplicativos está sendo preparada para lançamento ainda em 2006 e será cobrada.


Magnet






sexta-feira, agosto 04, 2006

Projeto UniFree Desktop




Fonte : noticiaslinux.com.br



A proposta do UniFree Desktop é de ser um Sistema Operacional completo, voltado totalmente para as necessidades do ambiente desktop, priorizando assim, algumas características de grande relevância para esse tipo de ambiente, tais como: as aplicações consideradas essenciais para produtividade, ambiente gráfico "amigável" e "familiar" ao usuário, facilidade de operacionalidade, aplicações de uso corrente, praticidade, enfim, tudo que facilite o uso de um Sistema Operacional ao usuário final de um desktop.



Mais em: http://www.unifree.com.br


Postada por: André Pestana andrepestana|arroba|yahoo.com







Falha perigosa é descoberta em produtos McAfee



Fonte:


A empresa de segurança eEye Digital Security avisou que a linha passada de produtos da McAfee possui uma brecha que, se explorada, pode expôr dados da máquina de seus usuários para hackers.


Os programas Internet Security Suite, SpamKiller, Privacy Service e Virus ScanPlus 2006 são afetados, mas a versão 2007, recém-lançada não apresenta os riscos descobertos pela eEye, e que já foram confirmados pela McAfee.

O código que permite se aproveitar da falha não foi divulgado, o que aumenta a segurança e diminui a chance de que algum hacker se aproveite da falha enquanto a desenvolvedora dos produtos trabalha em uma atualização que resolverá a vulnerabilidade, prevista ainda para os próximos dias. Através da mesma brecha um hacker poderia instalar trojans, apagar arquivos ou realizar qualquer outra atividade.

A falha não é inédita: em maio de 2006, foi descoberto que diversos produtos da Symantec poderiam ser explorados para que um hacker tivesse acesso à linha de comando, o que permitiria executar qualquer tipo de operação. Embora preocupante, uma atualização também foi lançada em poucos dias.






Convenção hacker comenta riscos do VoIP



Fonte:


Experts da SecureLogix e da Tipping Point, empresa da 3Com, aproveitaram a convenção de segurança Black Hat, que aconteceu em Las Vegas, para explicar os perigos da tecnologia VoIP.

Profissionais de segurança de ambas empresas afirmaram que a intensidade dos ataques a redes VoIP deve crescer assim que o sistema se tornar mais popular.

Um conjunto de treze diferentes ferramentas foi demonstrado na convenção para ilustrar riscos como sobrecarga com falsas chamadas, desligamento de linhas e desvio de ligações, todos possíveis através dos atuais protocolos em uso na internet.

O protocolo mais famoso para VoIP, o Sessions Initiation Protocol, ou SIP, é o mais visado por estar atualmente em uso, porém diversas empresas de comunicações já começam a utilizar protocolos proprietários que podem diminuir os riscos. Ainda assim, as demonstrações são importantes referenciais para mostrar porque é necessário que empresas passem a olhar para possíveis problemas e adotem medidas de segurança antecipadamente.






MEC e Microsoft: retrocesso ou último suspiro dos lobyes?




Fonte:




Por: Marcelo Branco

Recebi uma carta com logotipo oficial da República - Ministério da Educação- para uma solenidade de assinatura de um acordo de cooperação entre este Ministério com a Microsoft. A carta, supostamente assinada pelo Ministro de Estado da Educação, Exmo. Sr. Fernando Haddad fala que o objetivo do acordo com a mega-empresa monopolista é "divulgação de ferramentas pedagógicas, como incentivo a utilização das Tecnologias da Informação e Comunicação". Custo acreditar...


Custo a acreditar que isso seja verdade. Em primeiro lugar, por que isso contraria a política tecnológica do governo do Presidente Lula, favorável a liberdade tecnológica, software livre, padroes abertos e que busca sair do aprisionamento tecnológico imposto por uma única empresa.

Contraria a política externa brasileira defendida pelo Presidente nas suas viagens internacionais e a política defendida pelo Ministério das Relaçoes Exteriores na Cúpula Mundial da Sociedade da Informação e a linha política da "agenda de desenvolvimento" capitaneada pelo Brasil junto a OMPI (organização mundial da propriedade intelectual).

Esse suposto acordo ou publicidade gratuita para os produtos da empresa monopolista, contraria também as recentes declaraçoes do MEC: http://www.softwarelivre.org/news/6817 e http://www.softwarelivre.org/news/5867 .

Contraria uma tendência internacional de dar prioridade, justamente na educação, para tecnologias colaborativas com código fonte aberto. Seria também uma contradição, justamente o Ministério da Educação, trabalhar e ajudar a propagar tecnologias que negam o direito aos alunos, professores e funcionários de conhecer a "linguagem" (código-fonte) que foram desenvolvidas, o direito a estudar, modificar e acrescentar funcionalidades aos programas usados.

Contraria uma luta histórica dos educadores contra o livro didático obrigatório, e se for confirmada a iniciativa, retrocedemos para o uso de "ferramentas pedagógicas", privativas desenvolvidas por uma empresa monopolista, o que é imensamente pior do que um livro didático obrigatório.

Contraria também as corajosas iniciativas desenvolvidas por este Ministério, desde o inicio do governo do Presidente Lula, em desmontar os poderosos lobyes deste empresa monopolista que existiam no interior dos programas educativos do MEC a muitos anos. Estes lobyes se manifestaram na gestão do ex-Ministro Cristovam Buarque e foram desautorizados pelo governo:

http://portal.softwarelivre.org/news/1067 http://portal.softwarelivre.org/news/1228 http://portal.softwarelivre.org/news/1064 http://portal.softwarelivre.org/news/1065

Custo a crer que o Ministro Fernando Haddad tenha conciência das implicaçoes deste simples ato. Custo a crer que o governo do Presidente Lula permita tamanha promiscuidade entre os interesses públicos e os interesses privados desta empresa monopolista.

Quero crer que a carta e o convite que recebi, ou é falso ou faz parte de um último resquíssio-lobysta deste mega-monopólio dentro do MEC e que o Sr. Ministro Fernando Haddad, ciente de suas obrigaçoes com a educação brasileira e como administrador público, não permitirá que a marca de sua gestão seja firmada por este triste retrocesso.

Barcelona, 04 de Agôsto de 2006

Marcelo D'Elia Branco

Coordenador Executivo Rede Internacional de Administraçoes Públicas pelo Software Livre www.lafarga.org/xarxa/en/presentation

Projeto Software Livre Brasil www.softwarelivre.org

A suposta atividade será realizada no dia 09 de agôsto às 14:00 na sala Cristal, oitavo andar do Edifício-sede do MEC em Brasília. Pede confirmação pelos fones: 0800 616161, (061) 2104-8478 ou pelo correio eletrônico: gmcomunicacao@mec.gov.br


Fonte: Projeto Software Livre Brasil








Mandriva Conectiva lança site nacional




Fonte:




Operação brasileira da Mandriva ganha site próprio com informações atualizadas do País

Para atender às necessidades dos usuários, parceiros e clientes brasileiros, a Mandriva Conectiva, uma das principais desenvolvedoras Linux do mundo, acaba de anunciar que o site www.mandriva.com.br já está no ar, em substituição ao site www.conectiva.com.br, com informações completas sobre a empresa, seus produtos e serviços disponíveis no Brasil.




O site www.mandriva.com permanece ativo com informações em português sobre a atuação da empresa internacionalmente.

O site brasileiro visa melhorar ainda mais o relacionamento da Mandriva Conectiva com todos os seus colaboradores no País, sejam eles usuários, parceiros ou clientes. Assim, através do e-mail sac@mandriva.com, a empresa está aberta a receber sugestões e comentários sobre a nova página.


Fonte: Pimenta Comunicação








Boeing adota sistema com Linux para aeronaves militares




Fonte:



“A Boeing vai anunciar na próxima segunda a contratação da empresa Wind River Systems para a utlilização de seu sistema baseado em Linux.

O Sistema Operacional equipará a aeronave P-8A para multimissões marítimas e será responsável por tarefas de monitoramento entre outras A aeronave P-8A é uma versão modificada do Boeing 737.” A nota foi enviada por Elton Ramos Carvalho (elton carvalhoΘgmail com), que acrescentou este link da fonte para maiores detalhes.


Fonte: Br-Linux








quarta-feira, agosto 02, 2006

Google Talk agora com novos recursos



Fonte:


O Google disponibilizou para download a nova versão de seu messenger Google Talk, que entre seus principais recursos possui uma ótima qualidade de conversa via voz.

Agora, uma das principais queixas de usuários de outros messengers que não viam um motivo real para usar o aplicativo foi ouvida e resolvida: o programa possui transferência de arquivos.

Outra melhoria que deve agradar aos fãs é a possibilidade de enviar mensagens de voz para amigos que não estão por perto do computador. Com esta opção, uma mensagem de áudio é gravada e enviada via Gmail, assim você poderá dar seu recado por voz de até dez minutos mesmo que o destinatário esteja ocupado.

A nova versão também ganhou o Music Status, que mostra logo abaixo de seu nome, a música que você está ouvindo no momento, e altera automaticamente assim que a próxima canção começar a ser tocada, opção semelhante à existente no concorrente MSN Messenger. A empresa também anunciou que esteve trabalhando em uma versão do programa para BlackBerry, dispositivos semelhantes a celulares que estão se popularizando no mercado internacional.

A nova versão e outras novidades do programa pode ser conferidas no site do produto.







terça-feira, agosto 01, 2006

Departamento de Defesa dos EUA lança Guia para compras de software livre




Fonte:




O poderoso Departamento de Defesa dos Estados Unidos publicou guia para orientar a compra de software livre e tecnologias abertas e interoperáveis. O estudo iniciou em abril e culminou com a publicação do Guia. A metodologia proposta é muito interessante e inovadora. Ela propõe considerar quatro itens na aquisição:

1. Padrões e Interfaces Abertas; 2. Software e Projetos Livre/Aberto; 3.Cultura Colaborativa/Distributiva e Ferramentas de Suporte Online; 4. Agilidade Tecnológica

Confira abaixo na integra o relatório em :


http://oss-institute.org/NCOSPR/OTDRoadmap_v3_final.pdf




A dica da notícia foi de Pedro Rezende, professor da UNB


Fonte: Departamento de Defesa dos Estados Unidos








Novidades da Free Software Foundation Latin América, Boletim 13, de Agosto




Fonte:




Neste número você poderá encontrar:

1. Editorial: A ameaça dos DRM, 2. FSFLA nos meios de comunicação, 3. GPLv3, 4. Projeto SELF, 5. Eventos, 6. Participe da FSFLA



1. Editorial: A ameaça dos DRM

Os DRM, sistemas de Gestão Digital de Restrições, já estão entre nós e constituem a ameaça mais tangível aos direitos humanos, à liberdade e à privacidade em ambientes digitais. Em que consistem? Os DRM são mecanismos técnicos de restrição de acesso e cópia de obras publicadas em formatos digitais. Existem diferentes aplicações técnicas de DRM, mas, em geral, têm características comuns:


* detectam quem acessa cada obra, quando e sob quais condições, e reportam estas informações ao fornecedor da obra; * autorizam ou negam de maneira inapelável o acesso à obra, de acordo com condições fixadas e modificadas unilateralmente pelo fornecedor, independentemente dos direitos que a lei outorgue ao autor ou ao público.

Estas medidas técnicas têm seu complemento repressivo em leis e acordos que criminalizam certas ações relacionadas a elas, tais como escrever programas que permitam escapar das restrições impostas mediante DRM, investigar seu funcionamento, fazer engenharia reversa, ou simplesmente acessar o conteúdo a partir de algum outro reprodutor não previsto pelos provedores de conteúdos. Leis como a recentemente aprovada DADVSI (Direitos de Autor e Direitos Vizinhos na Sociedade da Informação - em francês: Droits de l'Auteur et Droits Voisins dans la Societé de l'Information) da França e a mais antiga DMCA (Digital Millenium Copyright Act) dos EUA são parte da ofensiva jurídica dos promotores de DRM. Estes marcos legislativos permitem criminalizar a construção de Software Livre que facilite o acesso a conteúdos sob estes sistemas.

Na América Latina, este tipo de normativas chegam através dos Tratados de Livre Comércio com os EUA que, no mínimo, obrigam às partes rubricar - e portanto obrigar-se a cumprir - o Tratado de Direito de Autor da OMPI[1] e o Tratado sobre Interpretação ou Execução e Fonogramas[2], ambos do ano 1996, que já incluem estas obrigações a suas contrapartes. Só para dar um exemplo, vale mencionar o Capítulo 15 do Tratado de Livre Comércio da América Central e República Dominicana com os EUA (CAFTA)[3] que exige explicitamente a criminalização do delito de evasão destas medidas técnicas incluindo a que fabriquem, importem, distribuam, produtos ou componentes ou ofereçam ao público ou proporcionem serviços que facilitem ao público escapar das medidas de proteção técnica.

Nada dizem estes tratados sobre o impacto que têm estas medidas tanto técnicas como jurídicas sobre os direitos humanos. Não dizem que os DRM violam princípios reconhecidos na Declaração Universal dos Direitos Humanos, tais como o Direito ao Livre Acesso à Cultura (Art. 27), o Direito à Privacidade (Art.12) e a Presunção de Inocência (Art.11).

Com a Declaração Universal de Direitos Humanos[4] como horizonte, a FSFLA elaborou um documento em que se posiciona[5] na divulgação do que são os DRM, onde se encontram, quem os controla, como prejudicam o desenvolvimento e difusão de Software Livre, que direitos humanos violam e quais são as ações em andamento para resistir à pior ameaça à privacidade e à liberdade em ambientes digitais.

Na FSFLA já estamos trabalhando em diferentes estratégias de difusão, conscientização pública e resistência aos DRM em nossa lista de correios em http://www.fsfla.org/cgi-bin/mailman/listinfo/anti-drm e contamos com um wiki de recursos em espanhol e português em http://wiki.fsfla.org/wiki/index.php/Anti-DRM .

Além disso, convidamos a assinar a carta que a Free Software Foundation e sua campanha Defective By Design enviarão a Bono, vocalista do U2, para que se una à nossa luta pela liberdade e à privacidade em ambientes digitais. http://defectivebydesign.org/petition/bonopetition

Necessitamos chegar à cidadania. Só com informação e consciência pública sobre este problema poderemos resistir a sua imposição técnica e jurídica. Para isso, estamos trabalhando em textos de divulgação, campanhas gráficas, anúncios em rádios e entrevistas em meios de comunicação que nos permitam denunciar publicamente a ameaça dos DRM.

Os DRM nos vigiam, nos controlam, nos censuram, restringem nossa liberdade, violam nossa privacidade e são fundamentalmente incompatíveis com o espírito do Software Livre.

[1] http://wipo.int/treaties/es/ip/wct/index.html
[2] http://wipo.int/treaties/es/ip/wppt/index.html
[3] Capítulo 15 - CAFTA - http://www.minec.gob.sv/default.asp?id=84&mnu=70
[4] http://www.un.org/spanish/aboutun/hrights.htm
[5] http://www.fsfla.org/?q=es/node/99



... 2. FSFLA nos meios de comunicação

Durante a Terceira Conferência Internacional sobre a GPLv3, realizada em Barcelona, o portal Groklaw entrevistou Fernanda Weiden, Alexandre Oliva e Federico Heinz. A entrevista realizada por Sean Daly com três dos membros da FSFLA está publicada em http://www.groklaw.net/article.php?story=20060708010316170 e aborda questões jurídicas e em particular dos temas relacionados às legislações de adoção de Software Livre na administração pública em diferentes países latino-americanos. Além disso, a entrevista abre um interessante debate sobre violações à licença GPL e sobre as problemáticas de gênero ao interior de nossa comunidade.

Por sua vez, o Professor Pedro Rezende publicou um completo artigo titulado "Windows WGA, Microsoft online com você", onde analisa em profundidade o funcionamento destes sistemas e suas implicâncias para a privacidade das pessoas que utilizam sistemas operacionais da empresa Microsoft. O artigo é um recurso que serve como exemplo válido dos novos mecanismos de Gestão Digital de Restrições DRM implementados nestes sistemas operacionais privativos. A versão em português do texto está disponível em http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br/artigos.asp?cod=389ENO003 enquanto que a equipe de tradutores da FSFLA está elaborando uma versão em espanhol disponível em http://wiki.fsfla.org/wiki/index.php/Wga_es

Beatriz Busaniche apareceu há algumas semanas no portal de tecnologia Canal-ar, onde analisou os problemas relacionados com as empresas discográficas e as redes P2P, e aproveitou a ocasião para alertar aos leitores sobre as ameaças dos DRM em http://www.canal-ar.com.ar/Noticias/NoticiaMuestra.asp?Id=3309

Enrique Chaparro visitou a FM La Tribu mais uma vez. No sábado, 1º de julho, o programa Rebeldes Estereótipos dedicou quase toda sua transmissão a analisar a implementação de sistemas DRM com uma completa entrevista na qual Enrique analisou o atual regime de direitos autorais, as implicaões dos tratados de livre comércio e a difusão de legislações tipo DMCA além das conseqüências diretas que terão os DRM sobre a liberdade e a privacidade das pessoas em ambientes digitais. O áudio completo da entrevista realizada por Enrique Chaparro na FM La Tribu está publicado sob uma licença Creative Commons Atribuição, Compartilhar Igual da Argentina em http://www.puertorock.com.ar/FM_La_Tribu_RS_20060701.ogg - Vale lembrar que o programa semanal Rebeldes Estereótipos tem uma seção estável dedicada ao software e à cultura livres.

Agradecemos especialmente ao Projeto Ututo por replicar e distribuir este material em vários servidores https://www.ututo.org/www/modules/news/news.php?ID_news=117

Alexandre Oliva foi entrevistado sobre patentes de Software e DRM como complemento de uma entrevista realizada com Richard M. Stallman sobre Software Livre e Liberdade Digital. As opiniões de RMS e de Alexandre Oliva estão publicadas em




... 3. GPLv3

A quarta e última conferência internacional sobre a GPLv3 se realizará entre os dias 23 e 24 de agosto de 2006 em Bangalore, Índia. A coordenação do evento, que contará com a presença de Richard M. Stallman, está a cargo da FSF e da FSF Índia, organizações irmãs da FSFLA.

Quem desejar participar do processo de atualização da licença, pode fazê-lo através do portal http://gplv3.fsf.org especialmente dedicado a informar sobre o processo, divulgar recursos de discussão e facilitar a recepção de comentários de quem queira colaborar com a atualização da licença mais popular do Software Livre.

Enquanto isso, a FSF já publicou o segundo rascunho da licença GPLv3 e o primeiro rascunho da atualização da LGPL à sua terceira versão. Um guia completo para analisar os rascunhos está em http://gplv3.fsf.org/gpl3-dd2-guide.html

A FSFLA mantém atualizada uma página de informação sobre o processo da GPLv3 em http://www.fsfla.org/?q=node/60



... 4. Projeto SELF

Fernanda Weiden e Federico Heinz participaram do lançamento oficial do Projeto SELF na Holanda. SELF - Science Education and Learning in Freedom - é um projeto da União Européia que tem como objetivo desenvolver uma plataforma de materiais educativos sobre software livre e padrões abertos e facilitar seu acesso a instituições educacionais, universidades, centros de capacitação, empresas e comunidades de software livre.

O lançamento do projeto, desenvolvido sob a coordenação da Internet Society Holanda e outras organizações comprometidas com o Software Livre, é uma excelente oportunidade para reunir as contribuições do Professor G. Nagarjuna, presidente da FSF Índia, Georg Greve y Jonas Oberg da FSF Europa junto de Fernanda Weiden e Federico Heinz da FSF América Latina. Desta forma, organizações da Europa, da Ásia e da América Latina se unem para disseminar a filosofia e fomentar o acesso ao software livre em um marco de Cooperação e esforço conjunto. Mais informação sobre este projeto no site oficial em http://www.selfproject.eu/



... 5. Eventos

Durante a Reunião Mensal do CaFeLug (Grupo de Usuários de Software Livre da Capital Federal, Buenos Aires, Argentina), Beatriz Busaniche ofereceu um bate-papo sobre DRM e as ações em marcha para resistir a esta ameaça. O evento se realizou no sábado 22 de julho na sede da FM A Tribo, rádio comunitária que oferece permanente apoio às atividades relacionadas com o Software Livre e cuja infra-estrutura de informática já foi liberada por voluntários do CaFeLug.

De 24 a 26 de agosto, Alexandre Oliva estará presente no III Fórum de Software Livre da Bahia, no Brasil. Alexandre apresentará duas palestras: "As Ações Mais Legais da FSFLA: Fundação Software Livre da América Latina" e "O Poder Libertador do Segundo Dedo". Mais informação sobre este evento em http://festival.softwarelivre.org

No dia 29 de agosto, Federico Heinz e Beatriz Busaniche participarão do evento de "Animação 3D com Software Livre" que realizarão em forma conjunta com a Fundação Blender, com o projeto Plumíferos e com a Fundação Vía Libre. O evento será realizado na Sala Solidariedade do Centro Cultural da Cooperação, a partir das 19 horas na cidade de Buenos Aires, Argentina. O evento contará com a presença dos produtores de Plumíferos, o longa-metragem argentino animado com aplicações de Software Livre e com membros da Blender Foundation, produtores de Elephants Dream, curta distribuído sob uma licença Creative Commons. Mais informações sobre este curta que será apresentado no evento em http://orange.blender.org/ e sobre o projeto Plumíferos em http://www.plumiferos.com/



... 6. Participe da FSFLA

Se o Software Livre interessa a você e se você tem vontade de ajudar, não hesite em visitar http://www.fsfla.org/?q=es/node/78 juntar-se à equipe de sua preferência. A FSFLA se constrói com trabalho voluntário em diferentes áreas, imprensa, educação, traduções, campanhas específicas, assuntos legais e outras. Junte-se à FSFLA!

-- Beatriz Busaniche Consejera FSFLA http://www.fsfla.org


Fonte: FSF Latin América








Conheça as idéias dos presidenciáveis para a inclusão digital




Fonte:




Os brasileiros só têm igual acesso à tecnologia em um momento das suas vidas: na hora de teclar o número do candidato e apertar a tecla "Confirma". Fora da disputa eleitoral, o fosso que divide os incluídos dos excluídos digitais continua imenso no País.Segundo um estudo da consultoria BDO Trevisan, apenas 11% da população tem PC com acesso à web em casa.


Por isso, nada melhor do que aproveitar a urna eletrônica nas próximas eleições para tentar diminuir o abismo entre os "sem micro" e os "com micro".

Além de analisar as melhores propostas para áreas como educação, saúde, emprego, segurança e transporte, você também pode colocar na balança os projetos que considera mais adequados para ampliar a inclusão digital no País. Para dar uma ajuda na difícil hora de pesar prós e contras de cada aspirante a quatro anos no Palácio do Planalto, o Link decidiu perguntar aos sete candidatos à Presidência o que pretendem fazer nessa área.

O procedimento adotado foi o mesmo para todos, para garantir que ninguém saísse privilegiado. Foram encaminhadas três questões sobre o tema, por e-mail, para as Assessorias de Imprensa de cada um dos presidenciáveis. As perguntas enviadas foram as seguintes: "Qual é o seu plano para ampliar a inclusão digital no Brasil nos próximos quatro anos?", "Como avalia o que vem sendo feito por União, Estados e municípios?" e "Quanto pretende investir, por ano, nessa área?".

O primeiro a responder foi o candidato Cristovam Buarque (PDT). Depois, o Link recebeu o retorno da Comissão de Programa de Governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT/PC do B/PRB), que concorre à reeleição. Vieram em seguida as respostas de Heloísa Helena (PSOL/PCB/PSTU), José Maria Eymael (PSDC), Rui Costa Pimenta (PCO), Luciano Bivar (PSL) e, por último, Geraldo Alckmin (PSDB).

IGUALDADE

Todas as propostas receberam o mesmo espaço e ocupam esta página e a seguinte. A maioria dos presidenciáveis pretende aumentar a inclusão digital por meio de investimentos na informatização das escolas públicas. Também há quase um consenso de que precisa haver mais investimentos nessa área. Existe ainda a idéia de manter e ampliar algumas das iniciativas existentes.

Não faltam, porém, outras sugestões ou críticas. Afinal, hoje existem apenas 13,4 milhões de internautas residenciais no País e só 2% das famílias com renda de até R$ 300 têm um micro em casa. Leia tudo com atenção e compare as propostas. Daí, é só esperar o dia 1º de outubro e usar a tecnologia da sua zona eleitoral.


Fonte: O Estado de São Paulo








Comitê avalia implementação do software livre




Fonte:




O Comitê Técnico de Implementação de Software Livre (CISL) reuniu na terça-feira, dia 25, para definir os principais desafios do software livre do governo para os próximos anos e avaliar as iniciativas bem -sucedidas e as que precisam ser melhoradas. No evento, o secretário de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento e secretário executivo do Programa de Governo Eletrônico, Rogério Santanna,


ez uma avaliação das iniciativas desenvolvidas pelo governo e destacou, como uma das ações bem-sucedida, a adoção do Configurador Automático de Coletor de Informações Computacionais (Cacic), um software livre desenvolvido pela Dataprev e disponibilizado à sociedade pela SLTI que possibilita o levantamento de diversas informações sobre o hardware e o software das estações de trabalho.

"A solução se sustenta, sobretudo, não apenas por ser uma licença de software livre adequada, mas também pela criação de uma comunidade que zela para o seu desenvolvimento, compartilhando saberes e soluções", afirmou Santanna . O Cacic tem atualmente uma comunidade com cerca de seis mil cadastrados, está em produção em 110 instituições, a maioria públicas, e é utilizada também por outros países como Equador, Argentina e Paraguai.

Santanna também ressaltou o desenvolvimento de arquiteturas que utilizam hardware comoditizado baseadas em computação em grades (grids) e clusters que utilizam software livre e plataformas abertas e que permitem o processamento de milhares de informações. O grid é uma arquitetura de computação distribuída para o compartilhamento de recursos que possibilita aproveitar capacidades ociosas e cluster é um sistema que compreende dois ou mais computadores ou sistemas que trabalham em conjunto para executar aplicações ou realizar outras tarefas.

Durante o encontro, foi lançada a pesquisa sobre as realizações oficiais em software livre. Cada órgão credenciado ao CISL responderá um questionário sobre sua atuação e atividades para a implementação do software livre. O resultado da pesquisa deverá ser apresentado em setembro.

Também participaram da abertura o presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), Renato Martini, o assessor especial da Presidência da República, Cezar Alvarez, o diretor do Serpro, Sergio Rosa, e o presidente da Companhia de Informática do Paraná (Celepar), Marcos Vinícius Mazoni.

O CISL conta com 90 entidades cadastradas e é um dois oito Comitês Técnicos do Comitê Executivo do Programa de Governo Eletrônico. A próxima reunião do Comitê será em setembro.


Fonte: Governo Eletrônico Brasileiro