O Mundo do Software Livre muito além do Linux! (Notícias e Dicas)

Aúncio


segunda-feira, março 24, 2008

IDG Now! - Excesso de downloads é punido por provedores de banda larga

 

http://www.idgnow.com.br

Telecom e Redes > Banda Larga

Excesso de downloads é punido por provedores de banda larga

(http://idgnow.uol.com.br/telecom/2008/03/20/excesso-de-downloads-e-punido-por-provedores-de-banda-larga)


Por Lygia de Luca, repórter do IDG Now!

Publicada em 24 de março de 2008 às 07h00

Atualizada em 24 de março de 2008 às 15h29


São Paulo - Operadoras aplicam punições, como cobrança de taxa ou redução de velocidade, a usuários adeptos de downloads excessivos.

 

usuario_punicao_88Responda rápido: você usa descontroladamente a sua banda larga e já perdeu a conta de quantos filmes ou músicas já baixou? Então é melhor saber: você pode ser punido por exagerar no uso da conexão.


Diante de um total de 8,1 milhões de conexões de banda larga registradas no Brasil em 2007, segundo a IDC e a Csco, algumas prestadoras de serviços de acesso em alta velocidade estão adotando medidas para punir quem utiliza suas redes em excesso.


A prática está fundamentada nas chamadas “franquias de consumo”, que limitam os downloads mensais e designam um "castigo" aos usuários que abusam de sua conectividade.


Leia também:
> Prepare-se para ser punido pela banda larga
> 6 dicas para tornar a conexão mais rápida


Os planos dos serviços de banda larga por ADSL - Oi Velox, da Oi; Speedy, da Telefônica; e Turbo, da Brasil Telecom - não têm franquia de consumo, portanto o download é ilimitado.


Porém as operadoras a cabo TVA, que oferece o Ajato, e NET, fornecedora do Virtua, impõem limites aos seus usuários.


Rafael* é um dos "heavy downloaders" e consequentemente, vítima das punições. Quando viu a velocidade de sua conexão cair sem motivo, contestou junto ao provedor do serviço que assina, o Virtua.


“Usei quatro medidores e vi que a conexão estava entre 100 e 150 Kbps, mas meu plano é de 8Mbps”, disse Rafael.


Ao ligar para a operadora, o usuário descobriu que ela aplica a política de redução de velocidade para a menor comercializada - no caso, 200 Kbps -, até o fim do mês, caso a franquia de consumo seja extrapolada.


A NET deixa clara esta posição em seu site. Lá, estão descritos os limites referentes a cada plano e a política de download. O gerente de produtos de banda larga e telefonia da NET, Eduardo Guedes, diz que a política foi adotada para manter a alta velocidade nos planos da operadora.


“Uma vez que a banda larga é um recurso compartilhado, queremos garantir que não haja restrições na experiência do usuário”, diz Guedes.


Segundo o gerente, menos de 3% dos cerca de 1,5 milhão de assinantes excedem a franquia - e consomem 60% do tráfego total. Nos planos da NET, o consumo máximo começa em 20GB e vai até 60GB.


A empresa não cobra por megabyte adicional, mas vende um pacote de 20GB, por 39 reais, para os que estouraram o consumo e não querem perder a velocidade.


Esta última foi a escolha de Luiz Carlos Dos Santos, também assinante do Virtua. Neste caso, foi ele quem recebeu a ligação. “A operadora me deu duas opções: eu poderia ter minha velocidade reduzida de 4Mbps para 200 Kbps ou pagar 40 reais para download ilimitado naquele mês”, conta.


Apesar de já ter chegado a consumir 120GB em 30 dias - quando os planos ainda eram ilimitados -, Santos diz que hoje controla os downloads. A NET permite que o usuário acompanhe seu consumo por um site específico (consumo.virtua.com.br), digitando o número do modem.


No caso do Ajato, da TVA, o usuário que contrata o plano de 200 Kbps não tem franquia. Só a partir da velocidade de 400 Kbps há limite definido - neste caso, 4GB. No plano mais rápido, de 2Mbps, o consumo pode chegar a 20GB.


Quando o usuário atinge o limite de consumo, a taxa de velocidade cai de acordo com o seu plano - a empresa oferece uma tabela explicativa em seu contrato de adesão.
Procurada pela reportagem, a TVA não esclareceu porque começou a limitar os downloads ou como os clientes podem controlar o consumo de sua franquia.


Fazer downloads ainda é possível


Se você ficou sabendo só agora que o serviço que assina tem limitações, mantenha a calma. Provavelmente  você nunca precisou exceder a franquia de consumo - está entre os 97% citados por Guedes como a maioria que não estoura a cota.


Tenha por base um cálculo simples. Se somarmos o tamanho médio de arquivos de música - considerando 5MB - e de filmes - de 700MB -, seria possível, com 20GB, baixar aproximadamente 2.040 músicas e 14 filmes sem estourar a cota.


Duas mil músicas equivalem a aproximadamente 150 álbuns ou 160 horas de som. Se ainda tiver um tempinho, conseguirá assistir a cerca de 28 horas de filme com duração média de 2 horas.


Mesmo se o seu plano permitir apenas 4GB em downloads, você poderá baixar 820 músicas ou 4 filmes.


Conclusão: com 20GB você terá mais de uma semana ininterrupta de entretenimento e, com 4GB, quase 4 dias.


Lembre-se, contudo, que as operadoras calculam o consumo de dados do usuário considerando também os uploads, não somente os downloads.


O que diz a Lei


Segundo o advogado do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), Luiz Fernando Moncau, a prática de controle de consumo é legal. “Não existe problema desde que ela seja informada no contrato”, explica.


O consumidor não pode ter queda na velocidade ou cobrança por excedente sem saber que isto vai ocorrer, aponta Moncau. Este não é o caso do Virtua e do Ajato. Ambos dispõem em seus contratos as limitações de acordo com o plano escolhido pelo usuário.


E não adianta o internauta usar esta questão como desculpa para o cancelamento de um contrato, caso ele tenha sido informado sobre a prática - mesmo que não tenha lido com atenção o contrato.


“Se ela estiver escondida no contrato sob nomes técnicos, aí é possível contestar”, explica Moncau. Nestes casos, a recomendação do advogado é falar com a operadora explicando que ele tem o direito à informação, segundo o Código de Defesa do Consumidor.


Se ainda assim não der certo, Moncau recomenda que o usuário acione a justiça, além de encaminhar uma denúncia das práticas à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).


*O nome é fictício, para proteger a identidade do entrevistado.

Copyright 2008 IDG Brasil Ltda. Todos os direitos reservados.

IDG Now! - Excesso de downloads é punido por provedores de banda larga

 







quarta-feira, março 19, 2008

Morre o físico e escritor Arthur Clarke (criador de 2001 - uma odisséia no espaço). - Observatório da Criminologia (Prof. Lélio Braga Calhau)

 

Terça-feira, 18 de Março de 2008

Morre o físico e escritor Arthur Clarke (criador de 2001 - uma odisséia no espaço).

 

Segundo a UOL, o físico e escritor de ficção científica britânico Arthur C. Clarke morreu nesta terça-feira (18), aos 90 anos em sua casa em Colombo, capital do Sri Lanka.Segundo informações do seu secretário pessoal, Clarke teve uma parada cárdio-respiratório às 18h30 (1h30 da manhã de quarta-feira no horário do Sri Lanka).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Observatório da Criminologia (Prof. Lélio Braga Calhau): Morre o físico e escritor Arthur Clarke (criador de 2001 - uma odisséia no espaço).

 

 







Fabricante japonesa cria papel higiênico Vista SP1 - Geek

 

19/03/2008 14:03

Fabricante japonesa cria papel higiênico Vista SP1

 

Usuários japoneses já podem encontrar em lojas do distrito de Akihabara, em Tóquio, um produto nada usual: o Windows Vista Ultimate SP1 Toilet Edition, um papel higiênico que carrega o nome e identidade visual semelhante a do sistema operacional da Microsoft.

 

Segundo o site TG Daily, o produto inspirado no pacote de segurança para o Vista traz três camadas de papel macio e, em sua embalagem, uma lista de seus recursos, escrita em kanji.


O Vista SP1 acaba de chegar no exterior, bem como o papel higiênico, que pode ser adquirido na loja T-Zone, que possui um site, em japonês, em tzone.com/diy.

 

 

Geek

 







IDG Now! - Windows Vista SP1: 6 dúvidas sobre a 1ª grande atualização do sistema

 

http://www.idgnow.com.br

Computação Pessoal > Sistemas Operacionais

Windows Vista SP1: 6 dúvidas sobre a 1ª grande atualização do sistema

(http://idgnow.uol.com.br/computacao_pessoal/2008/03/18/windows-vista-sp1-6-duvidas-sobre-a-1a-grande-atualizacao-do-sistema)


Por Redação do IDG Now!

Publicada em 18 de março de 2008 às 18h36

Atualizada em 18 de março de 2008 às 20h05


São Paulo - Microsoft libera Service Pack 1 do Windows Vista. Confira dúvidas básicas sobre a primeira grande correção do sistema operacional.

 

Finalmente, ele chegou.

 

Após atrasos decorrentes de problemas com drivers, o Service Pack 1 do Windows Vista chegou oficialmente à comunidade prometendo melhorias de desempenho e estabilidade e sem nenhuma novidade pontual, como o SP2 do Windows XP.


Serão os ajustes da Microsoft no Windows Vista SP1 capazes de rebater as críticas feitas ao exagerado peso do sistema operacional, o que motivou um movimento de downgrade desde o lançamento do Vista, em janeiro de 2007?


Mais sobre o SP1 do Vista:
>Especial: tudo sobre o Windows Vista
>PC World: Confira 1º  teste com novo Vista
>Quais são as principais novidades do SP1?
> Brasileiros terão Vista SP1 só em junho


A dúvida você mesmo, usuário do Windows Vista, poderá tirar, acessando o Windows Update ou baixando o pacote, que tem 434 MB para um sistema sem correções de segurança, pelo Microsoft Download Center.

 

Ou melhor: as dúvidas só deixarão de existir agora se você tem o Windows Vista em inglês. Quem comprou a versão em português terá que esperar até junho pelo SP1, quando o segundo pacote de traduções (onde o Brasil está incluído) será divulgado.

 

Para guiar sua instalação, o IDG Now! selecionou seis dúvidas que podem atormentar usuários na primeira atualização de sistema do Windows Vista.


1) O que é o Service Pack 1 do Windows Vista?


O Service Pack é uma tradicional atualização usada pela Microsoft para acrescentar novas funções, divulgar correções de segurança em massa e corrigir eventuais problemas de usabilidade no sistema operacional Windows.


Enquanto o Windows XP espera seu terceiro Service Pack, programado para o primeiro semestre de 2008, o Windows Vista ganhou seu primeiro pacote de atualizações nesta terça-feira (18/03).


2) Onde eu posso consegui-lo?


Desde a tarde desta terça, o Service Pack 1 já pode ser baixado pelo Windows Update ou pelo Microsoft Download Center.


3) Instalar o Service Pack 1 é um processo simples?


Nem tanto, a começar pelo tamanho do arquivo – são 434 MB que precisam ser baixados, caso você não tenha aplicado nenhuma correção de segurança ao sistema.
Caso seu Windows Vista já tenha sido totalmente corrigido, o Service Pack 1 se abreviará a um arquivo de 65 MB caso seu sistema tenha 32-bits ou 125 MB caso você tenha um de 64-bits.


Testes preliminares da versão do Service Pack 1 entregue a integradores levaram nada menos que 27 minutos e exigiram três reinicializações do PC – embora demorado, o processo levou menos tempo que a uma hora alardeada pelo SP1 no início da instalação.


Vale lembrar que configurações mais poderosas, como a usada no teste feito pela PC World, decorrem em tempo menor. Se você tem um micro nem tão poderoso, é bom iniciar o processo com paciência.


4) Quais são as principais novidades do SP1?


Não espere novidades no Windows como o Service Pack 2 fez no XP, ao introduzir uma nova central de segurança com firewall e melhorar a segurança das redes sem fio.
O Service Pack 1 para Windows Vista é, segundo palavras de Ricardo Wagner, gerente de produtos Windows da Microsoft Brasil, uma série de “ajustes na linguagem para otimizar a estabilidade e performance o sistema”


E como isto se traduz para o usuário final? A otimização faz com que a cópia de arquivos seja mais rápida, que a inicialização e o fechamento do sistema ganhe alguns segundos de rapidez e que a atividade de rede não demore tanto com tráfego constante, promete a Microsoft.


A otimização de desempenho do equipamento tornará a “experiência de uso bem mais atrativa que antes” no Windows Vista, alega Wagner.


5) Eu não consigo baixar o SP1 pelo Windows Update. Por quê?


A Microsoft lista três possíveis motivos para a impossibilidade de baixar o Windows Vista Service Pack 1, além da quase impossível possibilidade de você já ter a versão final no seu sistema. 


O primeiro dele é já ter no PC uma versão de testes do Service Pack 1, o que inviabiliza a instalação do pacote final – para fazê-lo, desinstale o beta do SP1.


A segunda razão é a restrição quanto ao número de línguas lançadas inicialmente no SP1 – num primeiro momento, estarão disponíveis apenas versões em inglês, francês, espanhol, alemão e japonês. Se você não tem o Windows Vista em qualquer uma das cinco línguas, terá que esperar até o fim do primeiro semestre.


A terceira é o motivo que forçou a Microsoft a atrasar por mais alguma semanas o Service Pack 1: incompatibilidade com drivers. Alguns sistemas nas línguas acima não conseguirão instalar o SP1 por problemas relacionados à incapacidade da atualização reconhecer e funcionar direito com drivers de hardware.


O Windows Update, segundo a Microsoft, verificará se o sistema do usuário tem tais drivers e, caso encontre algum, não permitirá o download do Vista SP1. Uma lista dos drivers ainda afetados pode ser consultado no site da Microsoft.


6) O que acontece se eu baixar a versão em inglês?


Você pode até baixá-la, mas não conseguirá atualizar seu PC. Segundo a Microsoft, o SP tem que ter a mesma língua do sistema operacional instalado. A tentativa de instalação do SP1 em inglês em um sistema em português é abortada com pela alegação de incompatibilidade de idioma.


Isto significa que todos os usuários que compraram o Windows Vista em português terão que esperar até o final do semestre, quando a Microsoft divulgará o SP1 em línguas como chinês, holandês, coreano e italiano, além do português.


A Microsoft Brasil diz que o país está no segundo batalhão para receber sua atualização regional, algo que deverá acontecer provavelmente antes de junho, segundo Wagner.

 


Copyright 2008 IDG Brasil Ltda. Todos os direitos reservados.

 

IDG Now! - Windows Vista SP1: 6 dúvidas sobre a 1ª grande atualização do sistema

 







quarta-feira, março 12, 2008

IDG Now! - Microsoft reduz restrições de virtualização do Windows Vista

 

http://www.idgnow.com.br

Computação Corporativa > Sistemas Operacionais

Microsoft reduz restrições de virtualização do Windows Vista

(http://idgnow.uol.com.br/computacao_corporativa/2008/03/11/microsoft-reduz-restricoes-de-virtualizacao-do-windows-vista)

 

Por Computerworld/EUA

Publicada em 11 de março de 2008 às 14h08

 

Framingham - Medida permite que versões Home Basic e Home Premium rodem em equipamentos virtuais para evitar novas ações antitruste.

 

A Microsoft anunciou na segunda-feira (10/03) que levantou a proibição de que versões populares do Vista rodem em equipamentos virtuais. De acordo com um documento emitido por uma corte norte-americana, a proibição foi suspensa em razão de denúncias feitas por órgãos reguladores.

 

Um documento divulgado pela juíza distrital Colleen Kollar-Kotelly afirma que a Microsoft mudou seus contratos de licença para usuários finais (do inglês EULAm end-user licensing agreements) do Vista Home Basic e do Vista Home Premium por pressão da Phoenix Technologies.


Mais sobre Windows:
>Especial: tudo sobre o Windows Vista
>Saiba quais são os recursos do Vista
>Conheça a história do Windows
>Vista versus XP: compare
> Semelhanças do Vista e do Mac OS


A desenvolvedora do firmware (BIOS) vendido a grandes fabricantes de PCs fez uma solicitação, em novembro de 2007, argumentando que a Microsoft deveria abrir as versões mais enxutas do Vista à virtualização.

 

O relatório da juíza aponta que a “Phoenix, que recentemente anunciou uma solução de virtualização, acusou as restrições impostas pelo contrato de licença da Microsoft de impedir a inclusão dos softwares em novos PCs e não permitir que os usuários utilizassem as soluções de virtualização fornecidas por ela e por outras companhias”.

 

O relatório não citou a solução desenvolvida pela Phoenix, mas se referiu ao HyperSpace, tecnologia desenvolvida pela Milpitas e lançada em novembro do ano passado. O HyperSpace embute um hipervisor baseado em Linux na BIOS dos computadores, permitindo que um software aberto rode sem necessidade de boot no Windows.


Um pouco mais de dois meses depois de a Phoenix registrar sua reclamação, a Microsoft fez a mudança. Diz o relatório que “ depois de algumas discussões internas, a Microsoft concordou em remover as restrições de sua licença”.

 

De fato, a Microsoft fez as mudanças no dia 22 de janeiro, algumas semanas antes da divulgação do relatório. Na ocasião, não havia porta-vozes disponíveis para explicar porque a companhia havia decidido fazer as mudanças.


Em um post colocado no blog da equipe do Vista, naquele dia, Shanen Boettcher, gerente geral de produtos de gerenciamento Windows, mencionou as novas regras, dizendo que “ao modificar a licença de virtualização no Vista Home Basic, estendemos os direitos de virtualização a todas as versões do Windows”.

 


Gregg Keizer - Computerworld, EUA

Copyright 2008 IDG Brasil Ltda. Todos os direitos reservados.

IDG Now! - Microsoft reduz restrições de virtualização do Windows Vista

 

Technorati tags: ,






IDG Now! - Redes sociais registram mais páginas vistas do que sites de conteúdo

 

http://www.idgnow.com.br

Internet > Mídia Digital

Redes sociais registram mais páginas vistas do que sites de conteúdo

(http://idgnow.uol.com.br/internet/2008/03/11/redes-sociais-registram-mais-paginas-vistas-do-que-sites-de-conteudo)

 

Por Redação do IDG Now!

Publicada em 11 de março de 2008 às 17h25

Atualizada em 11 de março de 2008 às 17h26

 

São Paulo - Usuários passaram 7,5% de seu tempo em comunidades e 42,7% em sites de conteúdo em janeiro, revela pesquisa.

 

Em janeiro de 2008, os internautas passaram 7,5% de seu tempo em redes sociais, revelou o Internet Activity Index, divulgado pela Online Publisher Association (OPA) e pela Nielsen online, nesta terça-feira (11/03).


Os sites de conteúdo foram os primeiros no ranking de tempo de permanência - os usuários dedicaram 42,7% de seu tempo a eles. Depois, vieram os sites de comunicação (28,7%), lojas virtuais (16,1%), redes sociais (7,5%) e sites de busca (5%).


Embora os usuários tenham passado quase metade de seu tempo online em portais de conteúdo, estes tiveram menos cliques que as redes sociais. As páginas de notícias receberam 72,1 bilhões de page views, em um total de 1,04 milhão de horas de permanência.


Enquanto isso, os 7,5% de tempo online que os usuários dedicaram às comunidades renderam mais navegação se comparados aos sites de conteúdo. Foram 36,5 bilhões de page views em um tempo total também proporcionalmente menor aos campeões de permanência: nas redes sociais, os internautas clicaram em quase o dobro de páginas durante um período total de 182 milhões de horas.


Na comparação com dezembro de 2007, o tempo total gasto em buscas caiu 0,2 ponto percentual, assim como o tempo gasto em sites de conteúdo, que decresceu 5 pontos percentuais.


Já nos sites de comunicação, que englobam serviços como Yahoo! Mail e AOL Instant Messenger, o total de tempo gasto aumentou 0,1 ponto percentual.


O relatório mensal analisa um milhão de usuários únicos de internet com os dados do Nielsen Online.

 


Copyright 2008 IDG Brasil Ltda. Todos os direitos reservados.

IDG Now! - Redes sociais registram mais páginas vistas do que sites de conteúdo

 

Technorati tags: ,






IDG Now! - Microsoft corrige 12 falhas críticas em programas do Office

 

http://www.idgnow.com.br

Segurança > Bugs e Falhas de Software

Microsoft corrige 12 falhas críticas em programas do Office

(http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2008/03/11/microsoft-corrige-12-falhas-criticas-em-programas-do-office)

 

Por IDG News Service/EUA

Publicada em 11 de março de 2008 às 16h55

Atualizada em 11 de março de 2008 às 17h21

 

São Francisco - Correção de março da Microsoft envolve quatro atualizações críticas relacionadas a vulnerabilidades no pacote Office.

 

A Microsoft anunciou nesta terça-feira (11/03) quatro atualizações críticas que envolvem 12 vulnerabilidades no pacote Office. As atualizações podem ser feitas no site de segurança da Microsoft ou automaticamente pelo Windows Update.


Conforme adiantou a empresa, na quinta-feira (06/03), as correções, que integram o pacote mensal de atualizações da Microsoft (Patch Tuesday), incluem um bug no Excel, que vinha sendo explorado nos últimos dois meses.


De acordo com o especialista em segurança Paul Zimski, diretor sênior de estratégia de marketing da Lumension, entre 2006 e 2007 o número de ataques usando falhas no Office dobrou. "As empresas não podem bloquear anexos do Office e documentos gerados neste pacote são geralmente confiáveis, na visão dos usuários", observa Zimski.
Embora todas as atualizações sejam críticas, os administradores de sistemas devem ficar atentos ao update MS08-014, que corrige uma falha no Excel já conhecida e explorada por terceiros desde meados de janeiro.


O problema afeta os programas Excel 2000, 2002 e 2003, incluindo o Service Pack 2. Já os usuários de Excel 2007, Excel 2003 e Service Pack 3 não estão em risco, esclarece a Microsoft.


Outro update em destaque é a correção MS08-015, que contempla uma falha facilmente explorada por crackers. Conforme informa o boletim de segurança da Microsoft, bastaria convencer a vítima a clicar em um link elaborado como um suposto e-mail, no Outlook Express, e o invasor poderia instalar programas, manipular e apagar dados ou até criar novas contas no lugar da vítima.


Estes tipos de bugs, que envolvem falhas em URI (Uniform Resource Identifier), têm sido constantemente estudados por hackers e especialistas em segurança por abrirem brechas para ataques bem-sucedidos via web.


Os dois outros pacotes de atualizações de março solucionam falhas no Office e nos controles ActiveX  do Office Web Components, usados por programas como Office, BizTalk Server, Commerce Server e pelo Internet Security and Acceleration (ISA) Server.

 


Robert McMillan, editor do IDG News Service, de São Francisco.

Copyright 2008 IDG Brasil Ltda. Todos os direitos reservados.

IDG Now! - Microsoft corrige 12 falhas críticas em programas do Office

 







IDG Now! - Usuários de blogs acessam mais notícias do que a média dos internautas

 

http://www.idgnow.com.br

Internet > Mídia Digital

Usuários de blogs acessam mais notícias do que a média dos internautas

(http://idgnow.uol.com.br/internet/2008/03/11/usuarios-de-blogs-dos-eua-acessam-mais-noticias-que-internauta-comum)

 

Por Redação do IDG Now!

Publicada em 11 de março de 2008 às 19h10

Atualizada em 11 de março de 2008 às 19h34

 

São Paulo - Grupo acessa o dobro de notícias online do que o internauta médio nos EUA. Digg.com é 3,5 vezes mais acessado, diz comScore.

 

Os usuários ativos de blogs nos Estados Unidos acessam duas vezes mais conteúdo online de notícias e entretenimento do que a média dos internautas daquele país, revelou a comScore na segunda-feira (10/03).


A consultoria definiu os usuários ativos de blogs como a fatia de 20% dos visitantes assíduos destes sites, que concentram o equivalente a 84% de todo o tempo dedicado pelos internautas a blogs.


Leia também:
> Entrevista com o CEO do Technorati


O engajamento desta fatia de usuários em blogs é 4,2 vezes maior do que a média dos internautas. O uso de sites por este público é 2,4 vezes mais intenso em páginas de política e 1,99 vez maior no caso de páginas de notícias e entretenimento.


O site mais consumido por este grupo - excluindo os blogs - é o Digg.com, cujo acesso é 3,5 vezes maior do que o praticado pela média dos internautas.


Em seguida, estão o site de celebridades Perezhilton.com - 3,2 vezes mais usado pelos leitores frequentes de blogs - e CTVGlobeMedia, com 3,1 vezes mais acessos pelos usuários ativos de blogs.


Segundo o levantamento Internet Activity Index, os internautas passam 7,5% de seu tempo online em redes sociais.

 


Copyright 2008 IDG Brasil Ltda. Todos os direitos reservados.

IDG Now! - Usuários de blogs acessam mais notícias do que a média dos internautas