O Mundo do Software Livre muito além do Linux! (Notícias e Dicas)

Aúncio


terça-feira, junho 30, 2009

SUPERINTERESSANTE - Google ou Bing? O teste cego das ferramentas de busca - Cibercultura

Google ou Bing? O teste cego das ferramentas de busca

Sabe o Bing, aquela ferramenta de busca que a Microsoft lançou no começo do mês? Eu andei testando e me surpreendendo - não é que o Bing mostra uns resultados relevantes? Em alguns casos, melhores que os do Google. Ou não? Agora existe uma maneira de tirar a prova. Entre no site Blind Search, digite uma busca qualquer e dê ok. Ele vai mostrar, lado a lado, os resultados gerados pelo Google, pelo Yahoo e pelo Bing, sem revelar qual é qual. Você indica, dando um clique, qual dos 3 buscadores gerou a pesquisa mais precisa e relevante - e aí o site te mostra qual é qual. Façam o teste e me digam no que deu.


SUPERINTERESSANTE - Google ou Bing? O teste cego das ferramentas de busca - Cibercultura

 



 

 

 

 







SUPERINTERESSANTE - Novo Firefox é 250% mais rápido! Veja como instalar - Cibercultura

Novo Firefox é 250% mais rápido! Veja como instalar

O navegador Firefox 3.5, que acaba de ser liberado pra download (inclusive em português), é um upgrade e tanto - ele é até 250% mais rápido do que a versão atual. Isso mesmo: o "motor" do Firefox foi totalmente reformulado, e agora tem mais que o dobro da performance. Eu já baixei, instalei e realmente dá pra sentir a diferença - o 3.5 simplesmente voa. Só tem um porém.

Como sempre acontece nas atualizações do Firefox, muitas das extensões (aqueles plug-ins animais, que adicionam recursos sensacionais ao programa) deixam de funcionar. E vc tem que ficar esperando semanas até que sejam atualizadas. Um saco... mas tem solução. É só instalar o plug-in Nightly Tester Tools, clicar em "Override", e pronto: suas extensões voltarão magicamente a funcionar. Então aproveitem o Firefox 3.5, digam o que vcs tão achando e logo mais volto com as
10 extensões mais úteis/espertas/fodásticas que existem. Até!


SUPERINTERESSANTE - Novo Firefox é 250% mais rápido! Veja como instalar - Cibercultura

 



 

 

 

 







PSL-Brasil - Leia na íntegra o discurso do Presidente Lula no Fisl 10 - Software Livre

Leia na íntegra o discurso do Presidente Lula no Fisl 10June 30, 2009, by Miguel Matiolla - No comments yet
This article's tags: Fisl 10Presidente Lula
Viewed 163 times
Go back

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante a cerimônia alusiva à visita ao 10° Fórum Internacional Software Livre Porto Alegre-RS, 26 de junho de 2009.Lula

"Bem, na verdade, a Dilma falou pelo governo brasileiro. Não era necessário eu dizer absolutamente nada aqui, hoje, porque eu acho que passar  naquele “corredor polonês” que eu passei para chegar aqui, já valeu pelo  menos uns quatro discursos. Mas, eu queria cumprimentar os meus companheiros de Ministério que   estão aqui conosco.

Queria cumprimentar os deputados federais, os nossos senadores, o nosso ex-governador Olívio Dutra, o prefeito Fogaça. Queria cumprimentar uma convidada especial que chegou atrasada aqui, que é a nossa companheira Lourdes Munhoz, da Espanha, deputada por Barcelona e assessora do presidente Zapatero na área de Software Livre. Eu nem vi a cara dela, porque ela não se apresentou aqui. Fica em pé.

Quero cumprimentar o nosso querido reitor Joaquim Clutê. Quero cumprimentar o nosso querido companheiro Marcelo Branco, coordenador geral do 10° Fórum Internacional de Software Livre. Quero cumprimentar os  companheiros das instituições públicas brasileiras que estão aqui. Estou vendo na minha frente o Banco do Brasil e o Serpro. Quero cumprimentar os convidados estrangeiros. Quero cumprimentar aquela criancinha que está no colo ali, que deve estar pensando: o que que nós estamos fazendo aqui e porque os seus pais trouxeram ela para cá? Um dia, ela vai saber.

E eu quero cumprimentar uma pessoa especial que está aqui, que é o Sérgio Amadeu, porque agora que o prato está feito... Quero cumprimentar o companheiro Tigre também, o nosso presidente da Federação da Indústria do Rio Grande do Sul.

Agora que o prato está feito, é muito fácil a gente comer. Mas fazer esse  prato não foi brincadeira. Eu lembro da primeira reunião que nós fizemos, na Granja do Torto, em que eu entendia absolutamente nada da linguagem que esse pessoal decidia, e houve uma tensão imensa entre aqueles que defendiam a adoção do Brasil do software livre e aqueles que achavam que nós deveríamos fazer a mesmice de sempre, ficar do mesmo jeito, comprando, pagando a inteligência dos outros e, graças a Deus, prevaleceu no nosso país a questão e a decisão do software livre. Nós tínhamos que escolher: ou nós íamos para a cozinha preparar o prato que nós queríamos comer, com os   temperos que nós queríamos colocar e dar um gosto brasileiro na comida, ou nós iríamos comer aquilo que a Microsoft queria vender para a gente.  Prevaleceu, simplesmente, a ideia da liberdade.

Eu queria contar aqui uma coisa, porque prevaleceu, na minha cabeça, a  questão do software livre. Vocês sabem que eu nunca fui comunista. Quando me perguntavam se eu era comunista, eu falava que eu era torneiro mecânico. Mas eu tenho extraordinários companheiros que participaram da luta armada neste país, companheiros que pertenceram aos mais diferentes partidos e correntes ideológicas do mundo, todos extraordinários companheiros. Eu tinha um irmão mais velho que, a vida inteira tentou me levar para o Partidão, e o meu irmão trazia para mim, acabados, todos os documentos que tinham sido escritos e produzidos 200 anos atrás ou 150. O meu irmão queria que eu decorasse O Manifesto, queria que eu lesse e relesse O Capital, queria que eu discutisse tudo isso, e eu dizia para o meu irmão: Frei Chico, tudo isso foi produzido tanto tempo atrás. Não dá para a gente começar a produzir alguma coisa nova a partir de agora?

Quando caiu o Muro de Berlim, eu fiquei feliz porque ia permitir que a juventude pudesse repensar e escrever coisas novas, construir novas teorias, porque parecia que tudo estava construído e que nada mais poderia ser diferente.

O software livre é um pouco isso, ou seja, é dar às pessoas a  oportunidade de fazer coisas novas, de criar coisas novas, de valorizar a  individualidade das pessoas. Porque não tem nada que garanta mais a  liberdade do que você garantir a liberdade individual, que as pessoas permitam aflorar a sua criatividade, a sua inteligência, sobretudo em um país novo como o Brasil, em que a criatividade do povo possivelmente seja, sem nenhum menosprezo a outros povos, o povo de maior criatividade no século XXI.

Pois bem, eu penso que o nosso governo já fez muito, mas o nosso  governo poderia ter feito mais. Nós somos um governo muito democrático. Não acredito que tenha no mundo um governo que exercite a democracia como o nosso governo exercita. Não acredito. Não acredito que tenha no mundo alguém que debata tanto, que discuta tanto como o nosso governo. E isso, as vezes, complica, não é Tarso?

Às vezes nós temos que ouvir uma vez, duas vezes, três vezes, porque como eu sou analfabeto nesta questão da Internet – meus filhos são todos doutores perto de mim. Porque a Internet tem uma coisa fantástica, Olívio: é a primeira vez que os netos são mais sabidos do que os avós. É a primeira vez. Antigamente, pelo fato de você ser mais velho, você queria se impor em tudo, não é isso? Filho não podia falar quando você estava em reunião, você não podia dar palpite na conversa de adulto. Agora, não. Agora tem dois gênios em pé na garagem conversando e tem um moleque (incompreensível) e ele fala: “Como é que muda o canal da televisão?”. É só  colocar dois controles remotos que as pessoas não sabem mexer. E o moleque de oito anos de idade vai lá e mexe, remexe, desvira, vira, aluga casa, paga aluguel, paga luz, paga água.

Então, eu penso que nós estamos vivendo um momento revolucionário  da humanidade, em que a imprensa já não tem mais o poder que tinha há uns  anos atrás, a informação já não é mais uma coisa seletiva em que os detentores da informação podem dar golpe de Estado, a informação não é uma coisa privilegiada. O jornal da noite já está velho diante da Internet, o programa de rádio, se não for ao vivo, for gravado, já fica velho diante da Internet. O jornal fica hiper velho diante da Internet, e fica tão velho, que todos os jornais criaram o bloco para informar junto com os internautas do mundo inteiro. Bem, essas coisas, essas coisas todas nós não sabemos onde vai parar, nós não sabemos?

Eu sei que cada vez que eu converso com vocês, eu fico imaginado que se a minha geração fosse tão inteligente e criativa como a de vocês, nós já seríamos muito melhores do que nós somos hoje, porque a máquina pública é uma coisa complicada. Ela é cheia de vícios, de normas, sabe, que vêm da época do Império. E você ir mudando essas coisas, um burocrata, ele tem um manual, e o manual só diz o que pode e o que não pode. Se você apresentar uma coisa nova, é proibido. Ele não é capaz de falar: “bom, eu tenho uma coisa nova aqui, eu vou tentar intermediar”, não. Ele diz pode ou não pode. E tudo isso levou tempo para que o governo começasse a criar condições para chegar no nível que nós chegamos.

Eu vou contar uma coisa para vocês: há cinco anos atrás, nós tentamos  adquirir uma empresa nossa, veja que absurdo. Nós comprarmos uma  empresa nossa. Ela era nossa, mas quando foi privatizado o sistema de  eletricidade no Brasil, foi privatizado também as redes de fibra ótica e foi criada uma empresa chamada Eletronet, que era aquela empresa americana AES, que não cumpriu com seus deveres e faliu. Então, pelo tratado, pelo contrato, a Eletronet era do governo. E nós então queríamos pegar de volta a Eletronet para que a gente pudesse levar Internet, sabe, para todas as casas brasileiras onde tivesse a rede, em todo o sistema de linha de transmissão do Brasil, inclusive nos oleodutos e gasodutos da Petrobras. Nós não pudemos comprar. Está até hoje na Justiça. Ou seja, querem que a gente pague uma fortuna pelo o que é nosso. Está na Justiça há mais de cinco anos. Tem um síndico da massa falida que quer ganhar mais do que vale a empresa. E nós até hoje não conseguimos a Eletronet de volta, que é um patrimônio público brasileiro.

Apenas para demonstrar para vocês a dificuldade que a gente tem. E eu acho que tem uma coisa acontecendo no mundo, que eu acho fantástico. Eu, quando vejo um menino de 15 anos, de 16 anos, eu quando vejo meu neto de sete anos conversando com todo mundo, eu fico pensando: o que será do mundo daqui a 20, 30 anos ou 40 anos com essa disponibilidade de conhecimento que está chegando na casa das pessoas? Nós tivemos o primeiro desafio: fazer com que o computador chegasse às mãos das pessoas mais pobres. Quem é do governo sabe quanto tempo nós passamos discutindo o Computador para Todos. O que nós queríamos? Nós queríamos que o computador chegasse na periferia do País, para as pessoas que ganhavam pouco, para que pudessem pagar, na época, R$ 50 de prestação. Nós não queríamos dar de graça, apenas vender. Criamos financiamento especial no BNDES para financiar o comércio varejista, para poder fazer chegar mais barato.

Ontem eu tive uma reunião com o comércio varejista, e a maior procura nas lojas hoje é o computador. Não mais o computador, agora já inventaram outro, é notebook. Já deram um passo adiante. Ninguém mais quer se sentar a uma mesa para lidar com o seu computador, já quer carregar o bichinho no colo. Então, é uma coisa exuberante que está acontecendo.

Eu fui agora inaugurar o programa Luz para Todos, e é importante os estrangeiros que estão aqui compreenderem. O Luz para Todos é um programa do governo federal para levar energia elétrica, sobretudo no campo, nas comunidades indígenas, nos quilombos, para as pessoas que não têm energia. Em 2004, a Dilma me apresentou uma proposta de a gente atender 10 milhões de pessoas até 2008, que eram os dados do IBGE. Na segunda-feira eu fui inaugurar a ligação na casa 2 milhões e 40 mil. Vocês sabem o que aconteceu? Preste atenção, Dilma. Peça para a sua assessoria anotar: as pessoas que receberam o Luz para Todos, 83% compraram televisor; 79% compraram geladeira; 47% compraram aparelho de som. E nós não medimos o computador.

A verdade é que agora, Sérgio, aquela mesma discussão que a gente fazia de levar computador para o pobre, agora nós vamos ter que tomar uma decisão de financiar computador para os companheiros que receberam energia elétrica depois de 500 anos no Brasil. Ou seja, nós tiramos as pessoas do século XVIII, colocamos no século XXI e, portanto, elas têm o direito de ter um computador para os seus filhos chegaremao século XXI imediatamente.

Nós... eu vou terminar... depois eu vou falar da lei do Azeredo, que eu vi o pessoal com uma faixa aí pedindo para eu vetar antes de a lei ser aprovada.
Primeiro, temos que batalhar bastante. Mas, [deixe-me] contar uma coisa para vocês. Nós, na informática... o Sergio Rezende, nosso ministro de Ciência e Tecnologia está aqui. Na Olimpíada da Matemática... Vocês sabem que, em 2004, a gente tinha uma olimpíada da Matemática que tinha 270 mil alunos de escolas privadas. Quando eu propus fazer a Olimpíada da Matemática nas escolas públicas – o Tarso era o ministro – algumas pessoas disseram para nós: “Não, criança de escola pública não tem interesse”. Em 2005 se inscreveram 10 milhões e 500 mil pessoas; em 2006 se inscreveram 14 milhões de pessoas; em 2007 se inscreveram 17 milhões de pessoas; em
2008, 18 milhões e 300 [mil]; e agora, para 2009, 19 milhões e 200 mil crianças da 5a a 2a série se inscreveram para a Olimpíada da Matemática. A maior olimpíada era a americana, que tinha por volta de 6 mil membros inscritos. A nossa tem 19 milhões e 300 mil crianças. Dessas, tem 300 que receberam medalha, entre bronze, prata e ouro, e dessas, 30 são tricampeãs de medalhas de ouro. Tem um menino que é um gênio, que ele ia para a escola... Ele é tetraplégico, ele é quase cego, quase surdo e não anda. Esse menino ia para a escola, o pai dele carregando ele em um carrinho de construção civil, e esse moleque é tricampeão da Olimpíada de Matemática.

Nós, agora, fizemos a Olimpíada de Português. Na primeira participaram 6 milhões de jovens, e este ano estamos começando a Olimpíada de Ciências, que são as três matérias mais complicadas para o nosso povo aqui. Então,  essa molecada toda que ganhou medalha de ouro são gênios.

Então, o software livre é uma possibilidade de essa meninada reinventar coisas que precisam ser reinventadas. O que precisa? De oportunidade.  Podem ficar certos de uma coisa, companheiros, que neste governo é proibido proibir. Neste governo... O que nós fazemos neste governo é discutir. Os empresários sabem quanto que nós discutimos, sem rancor, sem mágoa, sem querer abater um concorrente, não! É debater, é fortalecer a democracia e levá-la as suas últimas conseqüências. Porque esse país ainda está se encontrando consigo mesmo, porque durante séculos nós éramos tratados como se fossemos cidadãos de terceira classe, nós tínhamos que pedir licença para fazer as coisas, nós só podíamos fazer as coisas que os Estados Unidos permitissem, ou se a Europa permitisse.

E a nossa auto estima está em alta. Nós aprendemos a gostar de nós mesmos. Nós estamos descobrindo que nós podemos fazer as coisas. Nós estamos descobrindo que ninguém é melhor do que nós. Pode ser igual, mas melhor não são, não têm mais criatividade do que nós. O que nós precisamos é oportunidade.

Essa lei que está aí, essa lei que está aí, não visa corrigir abuso de  Internet. Ela, na verdade, quer fazer censura. O que nós precisamos, companheiro Tarso Genro, quem sabe seja mudar o Código Civil, quem sabe seja mudar qualquer coisa. O que nós precisamos é responsabilizar as pessoas que  trabalham com a questão digital, com a Internet. É responsabilizar, mas não proibir ou condenar. (incompreensível) é o interesse policialesco de fazer uma lei que permite que as pessoas adentrem à casa das pessoas para saber o que as pessoas estão fazendo, até seqüestrando os computadores. Não é possível, não é possível.

Então, eu queria, meu querido Marcelo, dizer para você que hoje – eu não sei os meus companheiros o que sentiram. Para mim, hoje foi um dia glorioso, glorioso, porque eu tenho uma assessoria especial, que cuida da cuida da questão digital, amigo do Marcelo, tenho... O governo tem dez ministros que falam em inclusão digital. Inclusão digital é a palavra mais “sexy” do governo, sabe? É a palavra mais “sexy” – todo mundo fala. E, então, eu precisava de um coordenador que falasse uma linguagem só para mim, e coloquei o companheiro César Alvarez, que é um gaúcho aqui do Rio Grande do Sul, torcedor do Internacional, que vai apenas empatar com o Corinthians quarta-feira, por bondade dos gaúchos. O Olívio Dutra é conselheiro e eu pedi para ele falar com o Conselho do Internacional: empata a zero a zero, para nós está bom, Olívio, não tem nenhum problema.

Mas eu, então, com essa coordenação, nós estamos tentando avançar. Eu só queria dizer para vocês uma coisa: olhem, eu tenho mais um ano e meio de mandato. Mais um ano e meio de mandato. É importante que vocês detectem aquilo que nós já fizemos e que precisa ser aperfeiçoado. E é preciso que vocês detectem aquilo que nós ainda não conseguimos fazer, e nos ajudem a fazer. Porque nem sempre o problema do governo é problema de dinheiro. As vezes é que as pessoas têm 500 atividades, e essas novidades vão ficando para segundo plano, e por isso que nós temos uma coordenação. E vamos ver, companheiros, se com todos esses números que a Dilma colocou aqui para vocês, com a nossa intenção de colocar este país dentro da inclusão digital, de fazer com que as crianças da periferia tenham os mesmos direitos que as crianças do rico, de ter acesso à Internet, de poder se formar, de poder transitar livremente por esse mundo, que é a Internet, nos ajude a conseguir.

Tenha certeza de uma coisa, Marcelo: nós não sabemos tudo, nós sabemos apenas uma parte. Sozinho talvez você também não saiba tudo, saiba só uma parte. Mas se a gente juntar um pouco do que cada um de vocês sabe, a gente possa construir um tudo que falta para a gente, definitivamente, democratizar este país de verdade, e que todos sejam livres e que possam fazer as coisas o bem. As pessoas de bem são maioria. Não vamos ficar nervosos porque de vez em quando aparece um maluco falando as coisas. Tem até um site propondo morte ao Lula. Não tem problema, os que propõem vida são infinitamente maiores. Infinitamente maiores.

Então, eu queria dizer para vocês que entrar naquele “corredor polonês” e ver aquela gama extraordinária de meninos e meninas, acho que todos com
menos de 25, 30 anos de idade, é a gente poder sair daqui e dizer em alto e bom som: “Finalmente este país se encontrou consigo mesmo. Finalmente este país está tendo o gosto da liberdade de informação”.

Um abraço e bom encontro para vocês.


PSL-Brasil - Leia na íntegra o discurso do Presidente Lula no Fisl 10 - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







PSL-Brasil - Firefox 3.5 já pode ser baixado - Software Livre

Firefox 3.5 já pode ser baixadoJune 30, 2009, by Miguel Matiolla - No comments yet
Viewed 33 times
Go back

The_firefox_by_djogjpg

Foi disponibilizado para download, na manhã desta terça-feira, 30, a versão oficial do Firefox 3.5.

Suporte para as tags audio e video do HTML5:
Graças às tags e , é possível embeber ficheiros de vídeo e música nas páginas web. O Firefox 3.5 suportará os formatos Ogg Theora, Ogg Vorbis e Wav.

Recursos offline:
A especificação do HTML5 prevê a possibilidade de fazer cache, no computador do utilizador, das aplicações web. O Firefox fará uso desta funcionalidade, criando uma cópia local da aplicação web que está a ser acedida. Isto permite uma maior rapidez no carregamento das páginas, uma vez que os objectos inalterados serão carregados directamente da cache.
O Developer Center da Mozilla explica os detalhes técnicos desta funcionalidade.

Suporte para CSS3:
Com o suporte para CSS3, o Firefox 3.5 terá um vasto leque de novidades ao seu dispor. Uma delas é a regra @font-face, que permite embeber tipos de letra para que o website seja mostrado da forma que o seu criador pretende. Existem muitas mais, como a aplicação de sombra ao texto, definição simples de cantos arredondados em diversos elementos e opacidade.

Novo motor para render de JavaScript:
O Firefox 3.5 inclui um novo motor para fazer o render de JavaScript, o TraceMonkey. Com ele são conseguidas melhores performances, permitindo um carregamento mais rápido dos websites e um menor consumo de memória por parte do browser.

Navegação privada:
Um modo de navegação privada está agora disponível. Quando activada, esta funcionalidade permite que, nenhum cookie, cache ou outro tipo de informação fica guardado no computador do utilizador - é como se o utilizador não tivesse usado o browser.

Novo ícone:
Nem todas as novidades estão relacionadas adição de novas funcionalidades ou optimização das existentes. Com o lançamento do Firefox 3.5, a Mozilla introduz uma nova versão do ícone deste browser.

Restauro inteligente de sessões:
No Firefox 3.0.x, sempre que o browser fechava inesperadamente era possível recuperar a sessão. Assim, todos os separadores que estavam abertos eram reabertos. No Firefox 3.5, esta funcionalidade sofreu uma pequena alteração e agora, em vez de abrir todos os separadores, permite ao utilizador escolher quais os separadores que pretende restaurar. Para além disso, é também possível reabrir separadores e janelas fechados - seja acidentalmente ou porque, na altura, se sentiu não haver necessidade de manter o separador ou janela abertos.

Perfis de cor:
Agora, o Firefox suporta perfis de cor de forma dinâmica. A cada foto é associado um perfil de cor para que esta possa ser vista com as suas cores originais.

Geo-localização:
Graças à informação sobre o endereço IP e à triangulação do Google Wi-Fi, o Firefox consegue determinar - com maior ou menor grau de exactidão - a localização do utilizador e apresentar resultados daquela zona nas pesquisas. Se não quiserem as vossas pesquisas restritas a resultados da zona onde se encontram, ou acharem que isto de alguma forma vos retira privacidade, podem desactivar facilmente esta funcionalidade.

Fonte: Firefox 3.5

 

 


PSL-Brasil - Firefox 3.5 já pode ser baixado - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







segunda-feira, junho 29, 2009

PSL-Brasil - fisl10 reúne mais de 8 mil pessoas em Porto Alegre - Software Livre

fisl10 reúne mais de 8 mil pessoas em Porto AlegreJune 28, 2009, by Vicente Aguiar - One comment
This article's tags: encerramentofisl10
Viewed 66 times
Go back

TribosA 10ª edição do Fórum Internacional Software Livre – fisl10 se consolida cada vez mais como um dos maiores eventos de software livre do mundo. A edição deste ano teve 8.232 participantes, recorde de público, nos dez anos de realização do evento. Os números foram apresentados na cerimônia de encerramento, às 20 horas deste sábado, 27, no Centro de Eventos da PUCRS.

O fisl teve, também pela primeira vez, representantes de todos os estados brasileiros e de 27 países (Argentina, Afeganistão, Albânia, Alemanha, Austrália, Bélgica, Brasil, Canadá, Paraguai, Rússia, Estados Unidos, Uruguai, Nicarágua, França, Peru, Venezuela, Holanda, Chile, Moçambique, México, Equador, Suíça, Suécia, Romênia, Espanha, Irlanda, Índia).
A maior parte dos participantes foi de homens (62%), mulheres (11%) e não identificados (27%). O perfil dos participantes foi de 60% profissionais e empresários de TI e 40% de estudantes.

A maior caravana foi a de Santa Maria (RS), com 71 integrantes. E a caravana mais distante veio de Manaus (AM), com 9 integrantes. A maior caravana internacional foi a Taguato Libre, do Paraguai, com 23 participantes.

Os grupos de usuários formam o coração do fisl. Este ano eles chegaram a 52, vindos de 11 estados brasileiros e de outros 5 países (Uruguai, Argentina, México, Nicarágua e Venezuela).

Durante o encerramento, o coordenador-geral da Associação Software Livre - ASL, Marcelo Branco, agradeceu o trabalho dos voluntários e anunciou o voluntário destaque, Roger Zambiasi dos Santos, premiado pela ASL com um notebook. Marcelo Branco também agradeceu a todos os patrocinadores e apoiadores do evento. “Graças a Prefeitura Municipal de Porto Alegre e aos organizadores do evento, o fisl continua em Porto Alegre no ano que vem”, declarou.


PSL-Brasil - fisl10 reúne mais de 8 mil pessoas em Porto Alegre - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







PSL-Brasil - Sistema operacional da inclusão digital no brasil atinge 2 milhões de cópias - Software Livre

Sistema operacional da inclusão digital no brasil atinge 2 milhões de cópias
Viewed 41 times

Resultado foi anunciado e comemorado durante o 10º FISL -Fórum Internacional de Software Livre. Empresa também revela que o Insigne Momentum deverá ganhar versão em Inglês em breve para ganhar mercado externo.

A Insigne Software, a primeira empresa brasileira a oferecer um sistema operacional de código aberto e livre com 27 aplicativos em português, para computadores de escritório e domésticos em 2002, anuncia que o SO Insigne Momentum atingiu a marca de 2 milhões de unidades distribuídas. Para comemorar esta realização e 10 anos de existência e como parte de seu plano de crescimento, a empresa também pretende liberar a versão em Inglês de seu sistema nos próximos meses visando sua entrada no mercado externo.

A Insigne conseguiu atingir esta marca graças à sua participação entre os principais agentes do programa "Computador para Todos", programa governamental introduzido no Brasil para garantir à maioria da população o acesso à compra de PCs populares.

"Os 2 milhões de unidades também foram possíveis graças ao apoio de fabricantes de PC do Brasil que confiaram na qualidade do sistema Insigne e entregaram aos seus clientes computadores dotados da melhor tecnologia e com um conjunto de aplicativos", comemora João Pereira da Silva Jr, presidente da empresa. Entre estes fabricantes estão a SEMP Toshiba, Novadata, Kelow, Kennex, Mirax e Qbex.

De acordo com Pereira, a versão em Inglês faz parte da estratégia de levar o seu sistema operacional para mercados globais e partir de parcerias com fabricantes de PCs de vários países. "Já estamos iniciando conversas com empresas do México - que poderá ter a sua versão em espanhol- e esperamos poder em breve anunciar a assinatura de acordos de negócios com fabricantes deste e de alguns outros países, inicialmente na América Latina. Estivemos na Computex Taipei 2009 no mês passado para dar um passo à frente neste sentido, com boas conversas com fabricantes de PCs presentes ao evento", conta o executivo.

Para o presidente da Insigne, outros fatores também contribuíram para a meta de 2 milhões de unidades ser atingida. Segundo ele, a empresa é a única provedora de SO a oferecer um programa de suporte e treinamento aos fabricantes e varejistas, que compõem o primeiro ponto de contato com os novos usuários que buscam informações sobre como comprar um PC novo. "Quando apresentamos o primeiro sistema operacional de código aberto para computadores de escritório, estávamos muito próximos dos vendedores de lojas", afirma Pereira. "A vinda ao 10º Fisl vem consolidar este grande momento de integração com a comunidade de software livre", acrescentou.[14]

Mais informações: http://www.insignesoftware.com

 


PSL-Brasil - Sistema operacional da inclusão digital no brasil atinge 2 milhões de cópias - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







PSL-Brasil - Fórum do software livre termina com mascotes e bom-humor - Software Livre

Fórum do software livre termina com mascotes e bom-humor
Viewed 28 times

1249421-2183-it2

 

O bom-humor e a informalidade que marcaram o encerramento da décima edição do Fórum Internacional Software Livre, em Porto Alegre, neste sábado, refletiam a satisfação dos organizadores e participantes com a repercussão do evento que, pela primeira vez, recebeu a visita do presidente da República. "Com isso, o Brasil ganha uma nova dimensão internacionalmente", disse Marcelo Branco, coordenador-geral do fisl 10.

Os mascotes Tux - o pinguim do Linux -, Gnu - o bovídeo do Projeto GNU - e o javali da linguagem Java abriram a "cerimônia" com piadas e dancinhas, interagindo com o público em meio à área de estandes. Depois das formalidades da abertura oficial e da visita do presidente Lula, o fisl 10 fez questão de ficar mais próximo aos participantes na hora da despedida.

Mais internacional do que nunca

"O fisl está mais internacional do que nunca", disse o coordenador-geral Marcelo Branco ao Terra. Além da repercussão internacional gerada pela presença de Lula, os números desta edição comprovam a amplitude do evento, que teve 8.232 participantes, vindos de todos os estados brasileiros e de outros 27 países - incluindo França, Índia, Afeganistão, Estados Unidos, Rússia e Austrália.

Até mesmo a divulgação das estatísticas do fisl 10 conseguiu causar risos na plateia. "Do total de participantes", anunciou Branco, "62% eram homens, 11% eram mulheres... e 27% não marcaram nenhuma opção".

O fórum recebeu ainda 52 grupos de usuários - do Brasil e de outros países - e 134 caravanas. Quase 400 pessoas trabalharam na organização do evento, a maioria delas como voluntária.

Divisor de águas

Para Marcelo Branco, o fisl 10 deixou clara a importância da web para a democratização da informação e "deu uma nova dimensão ao debate sobre a liberdade na internet".

O especialista em software livre Anahuac de Paula Gil, da Paraíba, participa do fórum desde a primeira edição e acredita que o evento esteja entrando em uma nova fase. A edição deste ano, para ele, "é como um divisor de águas para o fisl".

 Mas quem ganhou mesmo a simpatia do público no encerramento foi Jon Maddog Hall, considerado "guru do software livre", quando disse "este é o melhor fórum de que já participei".

Fonte: Terra

 

 


PSL-Brasil - Fórum do software livre termina com mascotes e bom-humor - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







PSL-Brasil - Stallman: patentes travam o desenvolvimento de software - Software Livre

Stallman: patentes travam o desenvolvimento de software
Viewed 20 times

 

6593030

O guru do movimento software livre alertou para o perigo das patentes de software neste sábado, último dia de Fórum Internacional Software Livre (fisl10), em Porto Alegre. Em palestra concedida numa sala lotada, o fundador do movimento que inspira o evento foi claro ao criticar as patentes, e fez um alerta especial para os brasileiros.

 - As patentes de software travam o desenvolvimento tecnológico. No Brasil, estão querendo mudar a patente para passar a incluir os programas e as ideias a respeito dos programas - opinou Stallman.

 A apresentação durou duas horas, com um breve espaço para perguntas. Uma das principais tarefas de Stallman era esclarecer a diferença entre direito autoral e patente. Segundo Stallman, o direito autoral é algo que o autor tem, o que é totalmente de patente, que pode ser possuída por terceiros, que não os autores diretos de uma invenção.

- É um perigo este tipo de pensamento, porque confunde as pessoas é utilizado pela indústria das patentes para fazer parecer que elas são algo bom.

Especificamente no que se refere aos softwares, Stallman ressaltou que as patentes são prejudiciais pelo modelo de criação dos programas de computador, para ele, similar ao da música.

 - Imagine que em um país, qualquer melodia que pudesse ser descrita em palavras fosse patenteada. Você poderia patentear as notas, as sequências de notas, os instrumentos e as harmonias. Como seria compor num ambiente como este? Impossível, sem ser processado.

 Stallman disse que na programação o processo é similar. As pessoas utilizam as ideias umas das outras para criar novos projetos, novos programas.

 - Ninguém consegue criar música do zero que seja boa de ouvir. Ninguém consegue criar software do zero que seja bom de utilizar.

 Aplaudido a cada afirmação mais enfática, Stallman apontou três formas de se lidar com as patentes: desviar delas, obter uma licença e derrubá-la. Nenhuma delas é infalível. Na verdade, diz Stallman, pode ser que nenhuma delas dê certo.

Open source ou free software

Outro alerta que Stallman fez foi durante as perguntas. Um dos participantes da palestra usava uma camisa com o dizer "open source life style" na frente, e a imagem do GNU, símbolo da fundação de Stallman, nas costas.

- Eu espero que você repense o seu apoio ao open source. Nós não apoiamos o movimento open source. Software livre não é o mesmo que open source.

A explicação faz sentido. O software livre tem a ver com a liberdade dos usuários, enfatiza Stallman, enquanto que a filosofia open source é voltada para um modelo de criação de um produto mais poderoso e eficiente, criado colaborativamente.

- Eles só ligam para o poder do programa, e não tanto para a liberdade. Eu quis esclarecer o rapaz. Deu uma implicada com ele, mas espero que ele não fique magoado, mas repense sua posição.

Durante a palestra, Stallman falou de pés descalços e com o traje de sempre, calças beges e camisa vermelha. Entre uma frase e outra, ajeitava a franja e tomava guaraná. Chegou a reclamar da luz, do microfone e da tradução, mas tudo numa boa. Do guru do software livre a plateia aceitava qualquer coisa. E a saudação final, ganhou o público em definitivo.

- Happy hacking, thanks!

Fonte: Clic RBS

 

 


PSL-Brasil - Stallman: patentes travam o desenvolvimento de software - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







PSL-Brasil - Fisl 10: Stallman encontra Lula - Software Livre

Fisl 10: Stallman encontra Lula
Viewed 37 times

G1246130749_9874

Richard Stallman entregou a Luis Inácio Lula da Silva um documento que pretende alertar para a problema das patentes de softwares durante a visita do presidente ao Fisl 10.

"Estão tentando mudar a lei no Brasil para criar patentes de software e isto é muito perigoso. Se vocês não querem que as grandes empresas internacionais esmaguem as desenvolvedoras brasileiras, é melhor se assegurar de que isto não pode acontecer", declarou durante a palestra The Danger of Software Patentns que durou cerca de uma hora e meia, com espaço para mais meia-hora de perguntas e respostas.

 Imagine se os acordes de uma sinfonia fossem patenteados. Alguém diria à Beethoven: "você está com inveja, porque patenteamos antes e agora você não pode criar"?, declara.

 "Não é um discurso sobre software livre, mas sobre o perigo para todos os desenvolvedores em países em que o governo é tolo ou corrupto o suficiente para admitir as patentes", finalizou.

Fonte: Baquete

 


PSL-Brasil - Fisl 10: Stallman encontra Lula - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







PSL-Brasil - Palestra discute temas centrais do fisl10 - Software Livre

Palestra discute temas centrais do fisl10
Viewed 13 times

Uma das últimas palestras do 10° Fórum Internacional Software Livre - fisl10, o "Painel Fronteira Eletrônica" colocou em debate as principais questões discutidas durante os quatro dias do Fórum.

 Marcelo Branco, coordenador-geral do fisl, abriu o debate colocando que "na era em que vivemos atualmente o indíviduo tem mais poder que nas anteriores e se comunica diretamente com o público". O debate abordou, entre outros temas, assuntos como a liberdade na rede, a proteção da propriedade intelectual e o embate entre o uso de software livre e proprietário.

"É preciso impedir que estes caras tomem conta. Autenticar se na internet deve ser possível e não obrigatório", disse Jacob Appelbaum, fotógrafo e hacker de segurança da computação.

Na ocasião o sociológo e ativista do software livre, Sérgio Amadeu, afirmou que "na internet deve prevalecer a cultura de liberdade e não da permissão. Não é possível que o senado considere a liberdade como uma delinquência." O deputado Federal Paulo Teixeira completou que "o senado brasileiro deveria combater outras delinquências, as deles".

Participaram do debate Marcelo Branco, Jacob Appelbaum, Ségio Amadeu, o deputado Paulo Teixeira ,o tecnologista do time da Eletronic Frontier Fundation, Seth Schoen, o co-fundador do site The Pirate Bay, Peter Sunde e Elizabeth Stark da Universidade de Yale.


PSL-Brasil - Palestra discute temas centrais do fisl10 - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







PSL-Brasil - Prefeitura de POA e ASL garantem a permanência do fisl na Capital gaúcha - Software Livre

Prefeitura de POA e ASL garantem a permanência do fisl na Capital gaúcha
Viewed 30 times

A Prefeitura de Porto Alegre, através da Procempa, e a Associação de Software Livre (ASL), representada pelo coordenador Marcelo Branco, assinaram na manhã do último sábado, 27, o protocolo de intenções que vai garantir a permanência do Fórum Internacional Software Livre em Porto Alegre. E o principal apoio oferecido ao fisl11 está a realização do evento na Orla do Guaíba, incluindo a Usina do Gasômetro e os pavilhões do Cais do Porto, eliminando assim um dos principais custos do evento, que é a locação de espaço. O presidente da agência Inova Poa, Newton Braga Rosa, e o embaixador da ASL, Sady Jacques, assinaram como testemunhas.

Na programação cultural para o próximo ano, os destaques são o 1° Festival Internacional de Músicas para Baixar e a 1ª Mostra Internacional de Filmes para Baixar, divulgando a produção cultural de artistas que disponibilizam suas criações para download. Para recepcionar os visitantes, será planejado um roteiro exclusivo da Linha Turismo, a organização de hospedagem solidária em residências, com o desenvolvimento de um software para o gerenciamento do programa, além de roteiros específicos de bares, pontos turísticos, e os tradicionais Caminhos Rurais, Conhecendo o Centro a Pé e o Caminho dos Antiquários. Também será articulado o passe livre no transporte coletivo para os credenciados.

Em termos de conectividade, a Procempa vai garantir toda a infraestrutura tecnológica e a completa cobertura dos locais utilizados pelo fisl11. Estão previstos a conexão em banda larga à internet, conexões wireless nos locais do evento, inclusive nas atividades culturais, broadcasting dos servidores para a internet através da banda de saída da Empresa, hospedagem dos servidores do evento e da Associação Software Livre no Data Center da Procempa, criação e hospedagem do blog oficial do fisl11, além do já tradicional patrocínio Ouro e das palestras técnicas sobre o uso de softwares livres e suas aplicações na administração municipal pelos técnicos da Empresa.

O diretor-presidente da Procempa explicou que este protocolo de intenções é apenas o ponto de partida, e pode ser ampliado ao longo do ano. Segundo André Imar, a objetivo é garantir total apoio ao fórum, que é o maior evento de tecnologia do país. "O fisl situa Porto Alegre no cenário internacional do segmento de tecnologia, com forte apelo turístico também, já que a maioria dos participantes são de fora da cidade. O prefeito José Fogaça determinou que no que dependesse da prefeitura, o fisl não sairia de Porto Alegre. E por isso formamos um grupo de trabalho, que formatou essa proposta, para apoiar o evento de forma decisiva", explicou.

E tanto André Imar quanto o coordenador do fisl, Marcelo Branco, garantiram a continuidade do evento na cidade. "Claro que o fisl fica em Porto Alegre. A prefeitura e a associação já estão viabilizando toda a infraestrutura. Sabemos que ficar na cidade é o melhor para todos. Essa é uma parceria que está rendendo frutos, e só deve melhorar", afirmou Branco. "A assinatura deste protocolo de intenções é uma demonstração clara da importância do evento para a prefeitura e a cidade. E de que Porto Alegre quer o fisl aqui e vai participar de forma efetiva do evento", garantiu o diretor-presidente da Procempa.

fisl10

A 10ª edição do Fórum Internacional Software Livre, que encerrou no sábado à noite depois de quatro dias de atividades, movimentou cerca de 8.000 participantes. Já nesta edição o fórum contou com a participação da prefeitura. A Procempa disponibilizou uma banda de 50 Mbps, aumentando em cinco vezes a conexão oferecida. Esta é a maior banda já oferecida ao fórum e é consequência do crescimento do evento. Através do Data Center da Procempa foi enviado o sinal da Rádio e da TV Software Livre para a Internet, além da hospedagem dos servidores do evento e da associação. A conexão wireless gratuita nos locais das atividades culturais, realizadas no turno da noite, também foi garantida através da Infovia. A Secretaria de Cultura produziu e organizou as atividades noturnas, e a 1ª Mostra de Músicas Para Baixar e o Turismo disponibilzou ingressos reduzidos para a Linha Turismo.

Fonte: Assessoria de Imprensa Procempa


PSL-Brasil - Prefeitura de POA e ASL garantem a permanência do fisl na Capital gaúcha - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







PSL-Brasil - Deputada espanhola diz que Software Livre fortalece a democracia - Software Livre

Deputada espanhola diz que Software Livre fortalece a democracia
Viewed 32 times

 A deputada Lourdes Muñoz Garcia, representante do Congresso em Barcelona, defendeu o uso das tecnologias livres para a garantia da democracia em todos os setores da sociedade. Ao lado de Juan Tomás Garcia, representante do Hispalinux, e do deputado federal membro da Comissão de Ciência, Tecnologia e Informática da Câmara dos Deputados, Paulo Teixeira, Lourdes destacou os avanços da cultura do Software Livre na Espanha.

Segundo ela, nos últimos quatro ou cinco anos, o país progrediu muito na construção de políticas públicas que garantiram o avanço das tecnologias livres na direção correta. A deputada ainda salientou os benefícios que o SL traz à administração pública ao gerar justiça e igualdade social e também ao produzir novos mercados e postos de trabalho. "Apostar em Software Livre é uma oportunidade social e econômica para todos os países. Principalmente em momentos de crise, como o que estamos vivenciando agora, o SL representa uma opção econômica que está ao alcance de todos", afirma.

Paulo Teixeira defendeu o software livre e a democratização da comunicação na rede mundial de computadores. "O Brasil não vai entrar nesta onda da vigilância. E foi isso que o presidente Lula demonstrou em seu discurso, sexta (26) no fisl", lembrou. Ativista pela liberdade na Internet, o deputado ajudou a organizar o movimento contra a aprovação do projeto de lei cybercrimes, que penaliza práticas comuns na Internet, como a troca de músicas e imagens e que institui o vigilantismo na rede.


PSL-Brasil - Deputada espanhola diz que Software Livre fortalece a democracia - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







PSL-Brasil - Tecnologia é transformada em arte no 10º Fisl - Software Livre

Tecnologia é transformada em arte no 10º FislJune 29, 2009, by Miguel Matiolla - No comments yet
Viewed 19 times
Go back

2009_6_25_stande

 Agendas, bijuterias, enfeites, aquários: tudo feito com peças de computadores descartados. Nada se perde, tudo se transforma. É com esse espírito que um grupo de educandos do Centro Marista de Inclusão Digital (CMID), de Santa Maria, veio ao Fórum Internacional do Software Livre (FISL), que acontece até o próximo sábado, 27/6, no Centro de Eventos da PUCRS e está divulgando o seu trabalho no estande da Rede Marista.

O monitor que não funciona mais deu lugar a um aquário. Já os computadores recondicionados ganharam uma nova cor e muitos outros foram recuperados a partir de máquinas caça-níqueis. Além de objetos, os jovens trouxeram, também, alguns robôs desenvolvidos na Oficina de Robótica Livre. O Robô Tux, por exemplo, foi feito com uma parte de um aspirador de pó e o motor utilizado é o do sistema do limpador de pára-brisas dos carros. Além de andar, ele fala, filma e mexe a cabeça.2009_6_25_cmid

Felipe Yuri dos Santos, 14 anos, nunca havia participado do FISL antes. Educando do CMID há quatro meses, ele participa das Oficinas de Robótica Livre, Meta-arte e metarreciclagem. Durante a manhã do dia 25/6, ele mostrava aos participantes uma empilhadeira criada com a ajuda dos educadores em uma das aulas da oficina de Robótica. "É muito bom estar aqui. Participar do Fórum vai ser um diferencial na hora de buscar um emprego no futuro", ressalta.

Próximo dali, Ueslei Diego da Silva Genro, 19 anos, está animado em ser um dos expositores do evento. Há dois anos no Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC Cesmar), ele teve a oportunidade em participar, neste ano, da oficina de Robótica Livre do Centro. No FISL, o CRC é o responsável por um telecentro de cinco computadores conectados à Internet, uma mostra de quadros de grafite artesanal, um barco e um display eletrônico.

A coordenadora pedagógica do CRC, Alessandra Padilha, acredita que o contato desses jovens - que vivem em situação de vulnerabilidade social - com um evento com o porte do FISL é uma grande oportunidade. "Eles têm outra visão do que é a tecnologia. Aqui eles são iguais a todo mundo, independente da classe social e podem mostrar o que eles aprendem lá no Cesmar", afirma.

Educador do CRC realiza palestra2009_6_26_fisl_crc

 Na tarde de quinta-feira, 25/6, um dos educadores do CRC Cesmar e gerente administrativo do Laboratório Especializado em Eletroeletrônica da PUCRS (LABELO), Carlson J. Aquistapasse realizou uma palestra com o tema Lixo Eletrônico e recondicionamento de computadores. Além de trazer dados sobre quantos computadores são comprados por ano, Carlson alertou sobre a forma incorreta em descartar o computador antigo. Constituído de elementos altamente poluentes, colocar o monitor, impressora e demais equipamentos de informática com o lixo seco e orgânico traz sérios problemas ao meio ambiente.

O coordenador do CRC Cesmar, Luiz Osório Waldow, também participou da palestra e expôs a experiência do CRC no recondicionamento e reciclagem de computadores.


PSL-Brasil - Tecnologia é transformada em arte no 10º Fisl - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







PSL-Brasil - Ato Público contra o AI-5 Digital no Rio de Janeiro será na ABI - Software Livre

Ato Público contra o AI-5 Digital no Rio de Janeiro será na ABIJune 29, 2009, by Daniela Fraga da Costa - No comments yet
Viewed 4 times
Go back

O Ato Público contra o AI-5 Digital no Rio de Janeiro será dia 1 de julho, às 18 horas, na sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no centro da capital carioca.

AzeredoAI-5 Digital é o nome que a sociedade civil deu ao projeto de lei de controle e criminalização da Internet, proposto pelo Senador Eduardo Azeredo, sob o falso propósito de combater os crimes virtuais.

O ato irá pedir a não aprovação do PL Azeredo em defesa da liberdade e privacidade na Internet e pelo livre compartilhamento e troca de arquivos.

Vários atos similares estão ocorrendo pelo Brasil. Em São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e Brasília já aconteceram. Em Vitória-ES, será dia 3 de julho. Semana passada, o Presidente Lula pronunciou-se contra a Lei Azeredo durante o Fórum Internacional de Software Livre.

DATA: Dia 01 de julho - 18 horas
LOCAL: Auditório da Associação Brasileira de Imprensa - ABI
ENDEREÇO: R. Araújo Porto Alegre, 71 - Centro - Rio de Janeiro - RJ

APOIO:
Deputado Estadual Alessandro Molon
Deputado Federal Jorge Bittar (licenciado)
Deputada Federal Manuela d'Ávila
Deputado Federal Paulo Teixeira

CONVOCATÓRIA:
Associação Brasileira de Centros de Inclusão Digital - ABCID
Associação Brasileira de Imprensa - ABI
Central Única dos Trabalhadores - CUT
Centro de Ação e Comunicação Comunitária - CENACOC
Coletivo Ciberativismo
Coletivo Digital
Coletivo Intervozes
Conselho Regional de Engenharia do RJ - CREA-RJ
MegaNão!
Projeto Software Livre - Brasil
Setorial de TI do PT do RJ
Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro
Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro - Sintufrj
Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no Estado do RJ -
Sisejufe
União Estadual dos Estudantes - UEE - RJ
União Nacional dos Estudantes - UNE

Fonte: Mega Não


PSL-Brasil - Ato Público contra o AI-5 Digital no Rio de Janeiro será na ABI - Software Livre

 



 

Technorati Marcas: : , , , , ,

 

 

BlogBlogs Marcas: : , , , , ,

 







sábado, junho 27, 2009

SUPERINTERESSANTE - Michael Jackson marcou a história dos games - Cibercultura

Michael Jackson marcou a história dos games

Coitado. Não precisava acabar assim. A morte de Michael Jackson foi terrível, mas também trouxe uma boa lembrança: o game Moonwalker, que teve uma versão arcade e outra para o console Mega Drive, lançada em 1990. Eu joguei muito esse game. Ele pode parecer (e é) tosco para os padrões atuais, mas na época era muito legal. Tão legal que até me deu vontade de jogar de novo.

Para fazer isso, é só instalar o programa Fusion e depois baixar o arquivo do game, que vc encontra pesquisando no Google. Moonwalker teve relevância histórica: foi um dos games de lançamento do videogame de 16 bits da Sega, que começava sua arrancada contra a Nintendo. E ele também tinha, como se pode ver neste vídeo aí de cima, um quê de profético - repare como o personagem do Michael ganha 500 pontos ao encontrar cada criancinha...


SUPERINTERESSANTE - Michael Jackson marcou a história dos games - Cibercultura

 



 

 

 

 







Agência Brasil - Lula chama de censura projeto de lei que endurece penas a crimes cometidos na internet - Software Livre

 
26 de Junho de 2009 - 19h22 - Última modificação em 26 de Junho de 2009 - 19h22


Lula chama de censura projeto de lei que endurece penas a crimes cometidos na internet

Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

 
envie por e-mail
imprimir
comente/comunique erros
download gratuito

Brasília - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva chamou hoje (26) de censura o projeto de lei que endurece as penas para crimes cometidos na internet. Ele visitou o 10º Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre.

O texto prevê que, quem obtiver ou transferir dado ou informação disponível em rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado sem autorização do legítimo titular, poderá ser preso. Para professores de comunicação e organizações ligadas à internet, atividades corriqueiras no mundo virtual, como baixar uma música ou um filme, poderão ser interpretadas como crime.  

“Essa lei que está aí não visa corrigir abuso de internet. Na verdade, quer fazer censura. Precisamos responsabilizar as pessoas que trabalham com internet, mas não proibir ou condenar. É interesse policialesco fazer uma lei que permite que as pessoas adentrem a casa de outras para saber o que estão fazendo, até seqüestrando os computadores. Não é possível”, disse Lula, após ouvir apelos da platéia para vetar a lei. O projeto ainda tramita no Congresso Nacional.

Em ocasiões anteriores, o relator do texto na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado e apoiador do projeto, Eduardo Azeredo (PSDB-MG), alegou que o objetivo não é controlar o uso da web, mas punir crimes via rede mundial de computadores, como cópia de cartões de crédito e senhas.

O texto obriga os provedores online a guardar, por três anos, os registros de acesso e  encaminhar os dados à Justiça, quando solicitados para investigação. Com essas informações, a ideia é chegar ao endereço de um criminoso.



Edição: Antonio Arrais  


Agência Brasil - Lula chama de censura projeto de lei que endurece penas a crimes cometidos na internet - Software Livre

 



 

 

 

 







Agência Brasil - Lula afirma que imprensa tradicional perdeu "poder" para a internet - Software Livre

 
26 de Junho de 2009 - 20h14 - Última modificação em 26 de Junho de 2009 - 20h16


Lula afirma que imprensa tradicional perdeu "poder" para a internet

Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

 
envie por e-mail
imprimir
comente/comunique erros
download gratuito

Brasília - Ao visitar o 10º Fórum de Software Livre, em Porto Alegre, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje (26) que a imprensa tradicional perdeu “poder” para a internet. Segundo Lula, com a rede mundial de computadores, não há mais detentores de informação privilegiada.

“Estamos vivendo momento revolucionário da humanidade. A imprensa já não tem mais o poder que tinha alguns anos atrás. A informação já não é mais uma coisa seletiva, em que os detentores da informação podem dar golpe de Estado. A informação não é uma coisa privilegiada. O jornal da noite já está velho diante da internet”, disse o  presidente.

Lula retorna para Brasília ainda hoje.



Edição: Antonio Arrais  


Agência Brasil - Lula afirma que imprensa tradicional perdeu "poder" para a internet - Software Livre

 



 

 

 

 







Agência Brasil - Presidência apresenta em fórum de software livre blog com decisões e atos do governo - Software Livre

 
26 de Junho de 2009 - 20h15 - Última modificação em 26 de Junho de 2009 - 20h15


Presidência apresenta em fórum de software livre blog com decisões e atos do governo

Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

 
envie por e-mail
imprimir
comente/comunique erros
download gratuito

Brasília - A Presidência da República apresentou no 10º Fórum Internacional de Software Livre, realizado em Porto Alegre (RS), o formato de um blog próprio, que deverá entrar no ar em julho.

O objetivo é criar uma ferramenta de comunicação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com os usuários de internet. O conteúdo prevê textos sobre atos e decisões do governo em uma linguagem informal. Uma equipe, com cinco profissionais, será contratada para manter o blog atualizado.

A ideia do blog foi apresentada no final do ano passado a Lula. Outra frente do Palácio do Planalto na área de comunicação é uma coluna do presidente por meio da qual ele responderá perguntas de leitores dos jornais impressos.

A coluna será chamada O Presidente Reponde e começará a circular a partir do dia 7 de julho. A cada semana, Lula responderá três perguntas sobre políticas do governo federal. A Secretaria de Imprensa da Presidência da República já abriu as inscrições para os impressos interessados.

Lula visitou hoje (26) o 10º Fórum de Software Livre. Ao discursar, o presidente afirmou que a imprensa perdeu “poder” diante das facilidades de acesso à informação promovida pela internet.

“Estamos vivendo um momento revolucionário da humanidade. A imprensa já não tem mais o poder que tinha alguns anos atrás. A informação já não é mais uma coisa seletiva, em que os detentores da informação podem dar um golpe de Estado. A informação não é uma coisa privilegiada. O jornal da noite já está velho diante da internet”, disse o presidente.





Edição: Lana Cristina  


Agência Brasil - Presidência apresenta em fórum de software livre blog com decisões e atos do governo - Software Livre